segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Deus não existe!

Procure entender o pensamento de um existencialista ateu. Ele tenta dizer que Deus não existe e que existe apenas um ser cuja existência precede a essência, a saber...o homem. Como diria Dostoievsk: “Se Deus não existisse tudo seria permitido”. O homem “abandonado” e “sozinho” no mundo, sem um criador no qual possa se amparar é o seu próprio criador. O homem é o que é. Ele se constrói a partir do nada e por isso vive de angústias, de náuseas, como diria Sartre. “Tentando ser”, o homem depara-se com o desejo de ser Deus e com a angústia de jamais poder sê-lo. 

A ideia de Deus para o homem é de onipotência e onisciência, e o desejo de sê-lo representa ser e compreender tudo, não sofrer limites e condicionamentos, realizar-se em todos os sentidos possíveis. Mas Deus não resolve nada. Esta é a base de todo ateísmo sartreano. Ele julgava que Deus não ajudava ou colaborava com as realizações ou problemas humanos, porque toda e qualquer experiência que o homem realiza, seja ela boa ou má, quer o leve ao prazer...à angústia ou até mesmo à náusea, é de sua inteira responsabilidade. O homem é só e, como tal, é responsável por tudo o que fizer, pois o nada de onde vem o persegue por toda a “eternidade”. 

Em determinado momento da minha vida eu tive a necessidade de Deus, ele me foi dado, e eu o recebi sem compreender na verdade o que procurava. Mas este Deus por não ter raízes em meu coração, vegetou em mim durante um período de tempo...mas logo morreu. Posso comparar “fé” com “necessidade”, pois na minha concepção, são termos similares. O homem sente a necessidade de encontrar um sentido para vida, pois, nascido sem razão ou com um propósito pré-determinado, descobre-se como angústia. Essa necessidade se reflete na crença. 

Ter fé em Deus é o mesmo que alienar-se diante de sua própria liberdade. O absurdo do mundo é absoluto devido a sua constante possibilidade. Tudo é gratuito. A vida humana não possui sentido e, para superar esta faceta da existência, o homem inventa Deus. Entretanto, cabe ao homem dar sentido a sua própria vida. Ora, acreditar que a vida humana tem um sentido dado por Deus, não passa de uma grande ilusão. A única coisa que a vida dá ao homem é a sua liberdade de poder escolher fazer dela o que bem quiser. Se Deus não existe, cabe ao homem decidir, sozinho, o melhor caminho para suas escolhas, que conseqüentemente determinarão sua vida e sua essência. 

Também critico o conceito de Deus que é propagado, pois o descrevem como uma entidade inteligível, mas que não pode ser compreendida. A única prova que temos da existência de Deus é a fé, e isso eu também critico. Pelo menos uma evidência, deveria ser critério fundamental de inteligibilidade, mas como não há provas ou evidências, acredito ser impossível aceitar a existência de Deus. O conceito de Deus criado pelo homem une todos os desejos que o homem deseja para si. O que o homem chama de Deus, nada mais é do que a sua aspiração, o seu próprio projeto supremo de vida, todas as ideias que o homem deseja para si e que sabe que jamais conquistará, porque por mais livre e capaz que seja, ele possui limites impostos pela natureza. A religião, assim como a superstição, anula a liberdade humana. 

O povo, sob o comando de Deus, é servil e escravo...sem vontade e amedrontado. Para que de fato o homem possa “viver”, Deus precisa desaparecer. “Se Deus existe, o homem é um nada, mas se o homem existe...então...Deus não existe”. Se o homem se considera livre, e pretende manter essa sua liberdade, ele deve escapar e se distanciar de Deus. O homem deve escolher a si mesmo e, consequentemente, amar a humanidade em oposição ao amor de Deu.

Se Deus não existe não há imposição de valores, não há firmamento nem moral por fundamento. Cabe ao home “re-significar” a ética a cada instante, “re-significar” cada valor sem refugiar-se em justificativas ou desculpas, pois está sozinho no mundo junto com outros seres tão mortais quanto ele. O homem só desenvolve uma relação consigo mesmo quando elimina Deus de sua vida, pois passa a ter uma relação direta com o mundo, e não com “algo transcendental”. É como disse Fauerbach: “Deus não cria o homem, é o homem que cria Deus”. A fé religiosa representa as próprias qualidades e aspirações do homem que, ao sentir-se fracassado, aliena-se e constrói uma divindade superior. 

Noreda Somu Tossan

sábado, 15 de agosto de 2009

Perdi a Fé em “deus”!


Por: Marcio alves


Atenção! Atenção! O texto a seguir, contém idéias muito fortes e provocativas, portanto se você não quiser perde a sua fé ingênua e tradicional dos evangélicos, não leia o texto abaixo.

Perdi a fé em “deus”........Parcial, do tipo que dá emprego, carro, dinheiro e casa para os fieis em quanto deixa milhões morrerem de fome. Que favorece seus escolhidos, dando vantagem sobre os outros mortais. Facilitando a vida de quem o serve. Que em troca da fé, compensa a falta de competência, dando um empurrãozinho, fazendo - por exemplo - os seus fieis passarem no vestibular.

Perdi a fé em “deus” ........Local, que dá livramentos de assaltos e acidentes mas não impede uma tsunami que mata milhares.

Perdi a fé em “deus” ........Medíocre, que cura dor de cabeça, nariz e cotovelo, mas não cura amputados, crianças com síndrome de down.

Perdi a fé em “deus” ........Determinista, que manipula tudo e a todos. Que orquestra todos os acontecimentos. Que micro e macro gerencia todos os eventos no universo.

Perdi a fé em “deus” ........Que destinou na eternidade passada, alguns eleitos para o céu, em quanto a grande esmagadora maioria para queimar nos infernos.

Perdi a fé em “deus"........Vingativo, assassino, carrasco e cruel que cobra desempenhos, sacrifícios e penitências em troca de favores. Que persegue o homem com maldições, esperando uma falha para castigar.

Perdi a fé em “deus” ........Bobalhão, que está a serviço do homem, que recebe ordens. Facilmente manipulado, que é preso por correntes (campanhas) de oração.

Perdi a fé em “deus” ........Passivo e inerte, que precisa de um empurrãozinho, para poder agir, porque é débil no seu amor.

Perdi a fé em “deus”, com “d” minúsculo e entre aspa, que foi e é, cultuado na cultura evangélica, mas que não condiz com o Deus revelado nas escrituras e principalmente em Cristo. Um “deus” pagão, que nada mais é, do que uma projeção da imagem do próprio homem.

O homem vê em "deus" a sua própria imagem, ou seja, se ele (homem) é mesquinho, ele vê um “deus” mesquinho. Se ele (homem) é um interesseiro, que só ajuda quem merece, ele projeta em “deus” está imagem. Ou seja, que “deus” só ajuda quem merece. (quem faz campanhas intermináveis de oração, por exemplo)

Perdi a fé em “deus” ........Mas nem tudo está perdido!!! Alias, algumas coisas para nós ganharmos, antes é preciso perder. Perdi a fé nesse “deus” que os evangélicos vêm propagandeando, por que se mostrou incoerente e incompatível com a realidade da vida.

Mas ganhei outra fé, que está dia a dia sendo re-significada, tendo como chão (base) a pratica (existência) da vida humana. Por esta fé, estou entusiasmado.

Ganhei a fé em Deus........Solidário com a raça humana, que morreu na cruz, sofrendo as injustiças e as dores da humanidade. A mais fabulosa de todas as noticias é que; a nossa dor dói em Deus.

Ganhei a fé em Deus........Imparcial que ama a todos incondicionalmente, pai de todos, que abençoa a todos, sem olhar para classe social ou religiosa. Um Deus que faz com que, sol e chuva venham sobre bons ou ingratos.

Ganhei a fé em Deus........Global que, se agir livrando alguém de assalto, livra também do tsunami. O que não podemos fazer é, crer em um possível livramento de assalto ou testemunharmos que Deus abriu-nos uma porta de emprego, e fecharmos os nossos olhos para a realidade cruel do mundo.

Ganhei a fé em Deus........De milagres, seria insano não acreditar em milagres, mas no entanto não devemos nem buscar e muito menos esperar por milagres. Explico: Como posso orar para Deus curar uma febre ou dor de cabeça, em quanto tem milhões morrendo de AIDS, ou no mínimo piores do que eu? Só pelo fato de ser solidário com a raça humana, o Cristão consciente, não deve buscar alivio para suas dores. Alias, todo verdadeiro Cristão deveria fazer um pacto com Deus, o de pedir bênçãos que sejam universais. Exemplo: Porque ao invés de pedir uma cura individual, não pede pra que Deus de sabedoria aos médicos pra que encontre cura e todos seja beneficiado? Em relação á não esperar por milagres, é que os milagres são raros, ou seja, são exceções do sobrenatural misterioso do agir de Deus. Não devemos organizar nossa vida entorno de um possível milagre, por que as chances de nos frustramos é grande.

Ganhei a fé em Deus........Esvaziado, não somente em Cristo, mas no ato da criação. Por nos amar, Deus decidiu soberanamente abrir mão do poder de controlar tudo e a todos, e nos concedeu total liberdade. Todo sofrimento é o preço pago por nossa liberdade.

Ganhei a fé em Deus........Que morreu para salvar a todos, não somente os escolhidos. A lógica é a seguinte: Se a bíblia diz que Deus deseja que todos sejam salvos, e se ele destinou pessoas para o céu e outras para o inferno, porque ele não destinou todos para o céu? Ou a bíblia cometeu um grande erro, e está se contradizendo (o que eu não acredito) ou, erro de interpretação e de conceito. (que é o que eu acredito)

Ganhei a fé em Deus........Amoroso, que persegue o homem sim, mas com o seu grande amor. Que nos entende e está pronto a nos perdoar.

Ganhei a fé em Deus........Além de Deus, que ninguém o pode controlar, manipular.

Ganhei a fé em Deus........Da graça, que tudo o que nos deu ou vai nos dar, não é proporcional ao tamanho do nosso mérito.

Assim me despeço de uma fé infantil – que jogava para Deus, o que é da responsabilidade humana. (Como conseguir um emprego, passar no vestibular e outras coisas) De uma fé que gera alienados, gente covarde, que tenta através de Deus, fugir e ou se esconder da realidade da vida.

Enfim, uma fé alucinatória, que fecha os olhos para o sofrimento humano, eu não a quero nunca mais. Fé pra mim é muito mais do que um mecanismo para arrancar coisas de Deus, é coragem para enfrentar a vida, com tudo que ela vier.

Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.