quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Deus no banco dos réus: Culpado ou inocente?


Diante da miséria humana, da dor e sofrimento no mundo, as constantes tragédias, como também as catástrofes naturais, e o silencio absurdamente gritante de Deus, como sua ausência constante jamais interrompida, se Deus estivesse nos bancos dos réus, para ser julgado por toda humanidade, Deus seria declarado Culpado ou Inocente?

Vamos fazer o teste então, usando todos os recursos dos quais dispomos, como raciocínio lógico, senso de justiça e sentimentos, para julgar Deus do nosso ponto de vista, tentando assim, chegar a uma conclusão final sobre o veredito de Deus.

Eis algumas das acusações mais graves contra o “todo-poderoso”:
Seu silencio.
Sua ausência.
Dor, sofrimento e miséria humana.
Maldade humana. (Deus não poderia ter criado o homem com limites para se fazer o mal?)
Catástrofes naturais.
Acidentes e tragédias humanas.


Exercício de reflexão:
Deixar um bebê inocente e frágil, ser estuprado e brutalmente assassinado ou morrer por algum acidente, desnecessariamente, sendo que poderia ter sido facilmente salvo, é moralmente condenável, tanto racionalmente, como sentimentalmente?

Pense nisto; se fosse um homem que tivesse o poder de salvar esta criança, mas não o fizeste, sua omissão não seria tão culpada como se tivesse o matado?

Se você esta andando pela cidade, quando de repente se depara com uma criança indefesa e inocente parada no meio de uma avenida movimentada, se você pode salvar ela sem correr risco de atropelamento, mas não o faz, você se sentiria culpado?

Agora sim, depois de tanto pensar, aplique isto a Deus nas milhares de situações similares espalhada pelo mundo inteiro ao longo da historia humana, e sua constante ausência, ele é culpado ou inocente por não interferir?


Inocente por que Deus é:

1-Impotente.
Muitas vezes Deus quis impedir os vários sofrimentos desnecessários dos homens, mas com dor no “coração” e lágrimas nos “olhos”, simplesmente não pode fazer, pois é impotente diante da complexidade do sofrimento, injustiça e maldade humana.

Objeção: Se Deus foi capaz de criar tudo isto, como poderia ser impotente ao ponto, de não poder interferir no sofrimento humano?


2-Uma força consciente.
Deus apenas é uma energia ou força consciente, não tendo moral como os homens e nem muito menos sentimentos e emoções, portanto, não podemos condenar Ele, pois Ele está para além do bem do mal, do bom e mau, do justo e injusto de nossas atribuições e características humanas.

Objeção: Mas Deus continua possuindo o que torna Ele moralmente responsável que é sua consciência, então diante disto, Deus só não seria condenável se Ele fosse apenas uma energia sem consciência, mas ai não seria Deus, e sim o big-bang.


3-Nos deu liberdade por nos amar.
Deus é um ser altruísta e generoso que se esvaziou de Si mesmo, retirando sua presença do universo criado por Ele, justamente para que nós tivéssemos a maior de todas as dádivas que vieram com a vida; a liberdade.

Objeção: Ele podia ter criado um mundo melhor, com menos (ou nada) catástrofes naturais, fazendo da sensação da dor ser bem menos do que é, e pondo limites na maldade e crueldade humana.


4-Assim como nós não sabemos se Deus existe ou não, Deus também não sabe que nós existimos.
A teoria da evolução não estaria totalmente equivocada ao dizer que fomos evoluindo num processo de bilhões de anos, pois Deus ao criar o universo, sem se da conta, acabou por acidente nos criando, e por sermos tão minúsculos e insignificantes diante de um universo tão imenso (talvez infinito), e por ser Ele (Deus) tão grande de tamanho (talvez maior que o próprio universo, sendo o mesmo uma bolinha de gude nas mãos Dele), que Deus ainda não se deu conta de nossa existência, e, portanto de nossa dor e miséria.

Objeção: Culpado por sua incapacidade de nos perceber??


Culpado por que Deus é:

1-Nos abandonou a própria sorte.
Não esta nem ai para nós, simplesmente não liga para nosso sofrimento e dor, Ele fez com toda humanidade, o que uma mãe insana ou cruel faz com seu filho quando ele nasce: Simplesmente nos rejeitou, abandonando-nos, virando suas “costas” para nós, deixando-nos a própria sorte.

Objeção: Se Deus nos criou conscientemente, não há maior dignidade e bondade do que não interferir em nossa vida.


2-Um grande sádico.
Deus é mal e cruel, Ele nos criou com o propósito de se divertir com nossos sofrimentos, pois para vivermos, matamos, (vida se alimenta de outra vida) sabemos que a única certeza da vida é a morte, e isto trás angustia, o mundo é injusto, a vida é cega, os homens são maus.

Objeção: Deus infelizmente não poderia ter criado outro mundo melhor, apesar de ter problemas. (ou seriam defeitos de fabricação?)


Temos uma terceira via ainda, muito racional e lógica, mas como todas as hipóteses levantadas aqui também, têm objeção, que seria:

Deus não é nem culpado e nem inocente, Ele não existe, o que existe são os homens, e o Deus de suas imaginações e desejos.

Objeção:
Da onde surgiu o universo então? Problema maior é:
A matéria precedeu a consciência então? Podemos através dá consciência entender que uma consciência crie a matéria, mas não podemos se quer imaginar a matéria criando a consciência.

E ai, meu caro amigo leitor, conseguiu chegar a uma conclusão final? Qual das alternativas você escolhe? Deus, afinal de contas, partido sempre do ponto de vista humano – até porque, é o único ponto de vista que temos, pois não conhecemos e nem podemos imaginar-nos, olhando do ponto de vista de Deus – é culpado ou inocente?



Por Marcio Alves

156 comentários:

  1. Quem vai julgar Deus?. Vai julgar a si próprio?
    Falso testemunho, calúnia ou remissão dos próprios pecados?
    _ Quem nunca falou não peca por calar.
    _ Quem nunca veio não pode ter ido.
    _ Maldade humana? Ainda bem que é humana!
    _ Miséria humana? Quem mandou?.
    _ Catástrofes naturais? He, he, he, são naturais.
    Por toda ação há uma reação, sendo assim, nós provocamos nosso infortúnio. Não culpe Deus por isto.Falaram por ele, escreveram por ele e lhe imputaram poderes.Prova de oitiva não vale.

    ResponderExcluir
  2. ALTAMIRANDO

    Por suas palavras nem preciso perguntar qual opção você escolhe, não é mesmo??? rsrsrsrs

    Mas assim como os teistas, você afirma com convicção de que deus não existe, ou será que não seria apenas as imagens projetadas das religiões???

    Como podes afirma com tamanha convicção que deus não existe, se conhecemos apenas pouco do vasto e desconhecido universo??

    Se não podemos falar com segurança sobre o universo ainda recém explorado, como podemos ter tanta convicção sobre algum ser superior que possivel poderia ter criado tudo isto???

    Como você responderia a objeção por mim levantada no texto, sobre a incompreensivel possibilidade da materia ter criado a consciencia???

    são algumas perguntas que deixo para sua reflexão....agora tenho que ir trabalhar.

    Mas valeu pela sua presença e comentário, como sempre, riquissimos!!!

    ResponderExcluir
  3. Marcio meu amigo, aqui quem fala é o "fachinha ", sempre fico de fora só lendo os seus textos mas hoje vou dar minha opinião:

    Deus é culpado ou inocente? Se fosse o juiz dessa causa eu anularia esse julgamento por uma questão simples: qualquer sentença contraria ou favorável será feita baseada apenas em argumentos e não em provas.
    Não há e nem haverá alguém capaz de julgar e provar a existência ou a não existência de Deus, tudo o que for dito será apenas argumentos, aliás, para ambas as questões os argumentos são fortes.
    Por exemplo, os argumentos que você traz da culpa de Deus são fortes e nos leva a crer que Deus não existe, seu silencio, ausência, dor, sofrimento e etc., mas são apenas argumentos e não provas, o necessário para a “condenação de Deus “,
    Apesar de estar no processo de descrença de muitas coisas que aprendi, ainda acredito na existência de Deus, não posso provar, mas tenho argumentos, basta olhar para o nosso corpo, tão perfeito, milhões de células, veias, artérias, cada parte interligado uma na outra, não vou nem falar do cérebro de tão perfeito que ele é, e para manter esse corpo humano, existe todo tipo de alimento com todo tipo de vitaminas e nutrientes para mantê-lo funcionando, Quem criou tudo isso com tamanha perfeição? esses argumento é apenas uma introdução, mas como disse são apenas argumentos e não provas.
    Enfim escrevi rápido pois estou na hora do meu almoço, qualquer coisa reescrevo completando melhor minha opinião.

    ResponderExcluir
  4. Apenas para concluir, apesar de não ser possível provar a existência de Deus, também não há como dizer se Deus é bom, mal, falho, cruel, limitado e etc, por isso sugiro adiar esse julgamento para o “juízo final” ( se houver né).

    Marcus.

    ResponderExcluir
  5. Marcinho,

    Deus não está presente no tribunal, sugiro não julgarmos a um réu ausente.

    Você não me visita né?

    Escrevi no meu blog "IRADOS CONTRA O CRIADOR". Deixo apenas um parágrafo: "Senhor, os grandes ateus deste século também vasculharam todo o universo e o lugar aonde habitas e não Te encontraram... Sem resposta, eles foram além do Nietzsche, e proclamaram que Tu jamais existisses, enquanto tentam entronizar no teu lugar vazio... A grande "deusa" ciência, que Tu mesmo facultaste para nosso benefício."

    Como no Édem, o homem sempre buscando um bode expiatório para as suas culpas.

    Me visite ok? Beijão.

    ResponderExcluir
  6. Marcinho, meu amigo..

    Está muito lindo..e chocante o teu ensaio...mas eu tenho que lhe confessar, que estou enfadada com este tipo de assunto!

    Sabe por que?! PORQUE DEUS ESTÁ TÃOOOOOOOOOO LÁ DISTANTE (DIZENDO CLARAMENTE FORA DA NOSSA PERCEPÇÃO) que provar algo ou buscar centenas de possibilidades, é o mesmo que tentar dar nó em água (nunca conseguiremos atingir o nosso OBJETIVO).

    Não vejo Ele como culpado e muito menos inocente...até mesmo porque, ele não precisa de julgamentos e mesmo que o julgássemos, pareceríamos mais um bando de idiotas querendo ser os donos da razão.

    Quando Ele criou o mundo (se criou) ... quem disse que o mundo era para ser perfeito?! Alguém já viveu em um mundo perfeito para dizer que isto é a imperfeição?! E será que todos aqui somos dignos de um mundo perfeito?!

    Você acha que Deus ensinou e incentivou aquele bando de bandidos lá no Rio de Janeiro, acabar com a vida de muitas pessoas inocentes, com tiros e causar aquele impacto que está sendo causado lá?!

    Ou será que a espécie humana, sendo a espécie mais inteligente de toda a existência..."paga o pato" e DESTRÓI A SUA PROPRIA LIBERDADE, POR NÃO QUERER LIMITÁ-LA?!

    É impossível esquecer Sua morte lá na cruz!! (mesmo que seja um "mito")...acredite..tudo isto em vão que não é!!

    Somos um bando de animais...disputando melhor carro...matando por ódio e ira...roubando do irmão....pisamos no próximo...passamos por cima de tudo se for preciso para conquistar a melhor vaga...e ter FAMAAA..sucesso....riqueza...

    Traímos quem amamos...somos traídos por quem amamos...e traímos quem nos ama...e o culpado é ele?!

    E nós é que somos os coitadinhos?!

    Nós merecemos isto tudo..acredite...nós merecemos e colhemos o que plantamos!

    (Nós = Seres humanos)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Olá, meu colega. Sou o Fernando Khoury

    Para tem um julgamento o mesmo precisa esta aqui e ele esta. (já que Deus esta em todo lugar)
    Você dizer: “Se você esta andando pela cidade, quando de repente se depara com uma criança indefesa e inocente parada no meio de uma avenida movimentada, se você pode salvar ela sem correr risco de atropelamento, mas não o faz você se sentiria culpado?”
    Não. Por exemplo, você esta andando pela rua e ver uma pessoa baleada. Você não ajuda o mesmo por algum motivo. Você tão culpado quando quem atirou nele?

    Pra nós sabemos que uma coisa é boa e preciso saber que uma coisa é ruim. Assim sabemos a diferença entre o bom e ruim.
    Deus nós deu liberdade para nós mesmos seguir a nossa vida e não indefere no mesmo.
    Deus não é culpado e nem inocente porque ele não fez nada. Pelo fato dele nós cria já é algo grande.
    Todos nós temos a incrível tendência de procurar culpados para as grandes fatalidades da vida. A inocente criança vítima de abuso sexual. O trágico acidente que roubou a vida de um filho. A queda do avião com recém-casados indo para a lua de mel. O poder devastador do câncer que faz um coração cheio de sonhos parar de bater. A chuva torrencial que deixou 2 mil turistas ilhados sem água e sem comida em Machu Picchu. O terrível terremoto que matou mais de 200 mil pessoas no Haiti.

    Diante de tais tragédias, não resta muito que fazer. Nessas horas, quando não encontramos argumentos racionais e explicações aceitáveis para a tragédia que nos assola, maiores e mais inconsoláveis é a dor que o nosso coração é obrigado a suportar. e maior e mais ardente é a nossa inclinação para culpar a Deus.
    Nos momentos de desesperança, os ateus gostam de se lembrar de Deus apenas para culpá-lo. Muitas das pessoas que eram simpáticas à existência de um Deus amoroso deixam de ser. E muitos daqueles que sempre acreditaram fielmente em um Deus protetor e cuidadoso se decepcionam vorazmente. Todos esses, de uma forma ou de outra, acabam incriminando a Deus em seus corações, vociferando em tom amargo:
    Por que Deus permitiu que minha filhinha fosse abusada sexualmente? Por que Deus não fez nada para evitar que o avião caísse? Por que Deus permitiu que uma pessoa tão jovem fosse consumida por um câncer? Por que Deus se omite ao ver a natureza que Ele criou se rebelando contra a humanidade?

    Não há nada mais natural do que essa reação. Quando acontece uma tragédia que nós, em nossa limitação, não entendemos ou não conseguimos compreender o porquê, é normal que coloquemos a responsabilidade sobre algo ou alguém que também não entendemos ou compreendemos plenamente. Quando o incognoscível nos faz sofrer, colocar a culpa no desconhecido parece ter o poder inexplicável de nos confortar.

    Mas não conforta. Antes, nos aprisiona a uma dor que nunca vai cicatrizar totalmente; torna-nos escravos de uma pergunta que nunca vai ter resposta. Do lado da acusação, estamos nós, os seres-humanos. E Deus, no banco dos réus, acaba se tornando cada vez mais o grande culpado, justamente porque Ele ainda não é conhecido por grande parte de seus acusadores.

    Se a humanidade conhecesse mais o Deus que a criou, certamente pararia para pensar no seguinte: e se Deus simplesmente não for o responsável por tudo isso? E se a culpa for do homem, da máquina, do clima? E se não existir necessariamente um culpado?

    ResponderExcluir
  8. Continuação.....


    Se nós conhecêssemos mais a Deus, fatalmente entenderíamos que Ele nos ama, mesmo que as circunstâncias O acusem dizendo que Ele não nos ama. Compreenderíamos que o amor de Deus se aperfeiçoa, muitas vezes, no abandono. Perceberíamos que Deus é soberano, mas o homem é responsável. Enfim, saberíamos que Ele continua com seus olhos sempre abertos cuidando de nós, mesmo que nossos olhos O acusem da mais terrível omissão.
    O grande erro da humanidade está em pensar que, se Deus existe, nenhum mal pode acontecer. Porém, Deus não depende de acontecimentos extraordinários ou de milagres para provar sua existência e demonstrar seu amor. Deus está na maior de todas as curas, e também está na maior de todas as perdas. Deus não precisa de circunstâncias favoráveis para mostrar que está ao nosso lado, cuidando de nós.
    A verdade é que todos esses desastres apontam para uma única resposta: a fragilidade do ser-humano. Sim, somos vulneráveis, fracos e pequenos demais. Hoje podemos estar cheios de vigor e esbanjando saúde, e amanhã amanhecermos num leito de hospital com insuficiência respiratória, à beira da morte. Deus não nos criou para sentir dor, mas sentimos. Deus não nos criou para morrer, mas morremos. O que aconteceu? O que está errado?
    C.S. Lewis (teólogo) disse que “todo homem sabe que algo está errado quando sente dor”. Portanto, a dor que sentimos não nos mostra que Deus não existe ou não ama o ser - humano. Antes, nos mostra que algo está errado; mostra-nos que a vida que vivemos hoje não é a vida que Deus criou para vivermos. Mostra-nos que o mundo como, o conhecemos não é o mundo como Deus o concebeu. De fato, toda a dor, todas as mortes e todo o sofrimento que nos assolam não estavam de acordo com o plano inicial de Deus, mas são frutos do nosso afastamento de Deus desde o início da criação.


    O frio existe?


    Não existe. De acordo com as leis da física, o que nós consideramos frio, na realidade é ausência de calor. Qualquer coisa é capaz de ser estudada conquanto que ela transmita energia (calor).O zero absoluto é a total ausência de calor, mas o frio não existe. O que nós temos feito é criar um termo para descrever como nós nos sentimos se não temos calor no corpo ou se nós não estamos quentes.




    A escuridão, existe?



    A escuridão também não existe. A escuridão é a ausência de luz. A luz pode ser estudada, a escuridão, não! A escuridão não pode ser dividida. Um simples raio de luz rompe a escuridão e ilumina onde ele bate. Escuridão é um termo que nós humanos criamos apenas para descrever o que acontece quando há falta de luz.


    O mal existe?



    O mal não existe! Assim como nos casos anteriores, mal também é um termo criado para descrever o resultado da falta da presença de Deus nos corações dos homens.


    Se continuarmos olhando para todas essas tragédias através de uma visão estritamente humana e sem conhecer o verdadeiro caráter de Deus, acabaremos empurrando nossas almas do alto de um abismo, cada vez mais para longe dele. E, assim, a cada dia nos tornaremos um pouco mais frágeis, vulneráveis, perdidos e sem esperança. Está na hora de, antes de acusarmos a Deus, olharmos para a trave que está no nosso próprio olho.

    Até meu colega.

    ResponderExcluir
  9. Tem uns videos no youtube com o mesmo principio.
    Ser chama God On Trial é Legendado.
    http://www.youtube.com/watch?v=8auwBvOmfws

    Este é o veredito e o ponto alto, de uma seqüência de 9 vídeos, onde os judeus, fazem um julgamento para concluírem se Deus é culpado ou inocente de ter rompido a aliança. Quem quiser poderá ver a seqüência desde o inicio.

    Eu não quiz deixar de acreditar em Deus, ele foi quem me convenceu disso.

    ResponderExcluir
  10. Marcio desta vez você foi traído por seu ponto forte que a analise minuciosa das possibilidades e catalogação dos problemas de cada questão. Pois ao analisar o maximo que você pode , pelo espaço pequeno da uma postagem, você foi superficial em quase tudo. Se você tivesse mirado em um só ponto e dessecasse as possibilidades deste ponto você faria um arrombo como na postagem do Jesus desumano, mas desta vez nem cócegas você pode fazer em quem crê nestas alternativas.

    Vou analisar alguns pontos.

    Uma das primeiras coisas que você fala é do silêncio e inatividade de Deus neste mundo, mas para quem crê, tal pessoa sente Deus em tudo, o enxerga em todas as obras da natureza e da historia humana, Deus esta tão presente que sufoca a pessoa, então dizer que ele esta ausente é dizer de algo que você sente e que cai em um argumento subjetivo, pois para provar que deus é ausente você tem que desconstruir os argumentos da presença de deus neste mundo, coisa que você não fez por falta de espaço e por querer analisar tudo de uma só vez.

    Outra coisa que você usa sempre é a maldade humana contra os indefesos, mas parta quem acredita em deus tais vitimas inocentes se morrerem aqui brutalmente sem ajuda humana ou divina serão salvas imediatamente no céu, pois o reino de deus é dos pequeninos. Então dizer que deus é injusto ou impotente por que ele não salva crianças indefesas não faz nem um aranhão para quem crê que Deus cuida dos pequeninos neste mundo.

    São vários pontos e eu teria que voltar e ver melhor, e quanto a você dizer que energia sem consciência é um big bem você esta confundindo causa com efeito, pois uma explosão não é causa primária , pois necessita de energia combustão intensidade densidade concentração etc. um deus como finte de vida e energia inconsciente, não é uma mera explosão, mas as estruturas vertebrais que contem todo o DNA da vida concentrada em si mesmo de forma extintiva.

    As maiores forças do mundo são inconscientes. Acaso as plantas e animas tem o mesmo nível de consciência ordenada que nós, acaso eles são eles são coisas e não seres por não dizer: “penso, logo existo!” deus como energia inconsciente é como um célula tronco uma célula elementar e extremamente simples que contém em si toda a possibilidade de vidas complexas existentes. Pela evolução a vida não deveria surgir de uma só “ameba”, “verme” ou célula que contesse a possibilidade de evolução . E por acaso esta “coisa” é uma coisa, por não ter plena consciência de si? Sendo que como ser vivo instintivamente se encaminha para a consciência e complexidade da vida. Ou seja, a consciência é o ultimo processo de algo que é mais importante como força inconsciente que contem em si a universalidade de possibilidades.

    ResponderExcluir
  11. Prezado Marcio


    Passei pela fase Fundamentalista na qual via Deus como uma entidade fora de mim e que me metia medo e só me retribuía o bem quando me sacrificava para servi-Lo ou obedecê-lo . Ele ficava como você talvez imagine ainda, lá no andar de cima (no céu) a comandar os seus desígnios sobre a s criaturas aqui no andar de baixo. Mas isso é um pensamento muito infantil, uma vez que hoje sabemos que Deus está dentro de nossa psique.

    A Trindade composta por Deus – Pai e E.Santo são arquétipos do inconsciente coletivo. O Reino de Deus, composto de um soberano e de súditos, deve ser entendido como metáfora dos nossos mais profundos afetos. O Gênesis mostra tanto o estado de inconsciência do ser humano como o nascimento da consciência.

    Quando dizemos: “Como Deus pode permitir essas coisas?”, estamos simplesmente dizendo: “Como o homem é capaz da fazer essas loucuras”.

    A moral de um Deus que faz o bem e cria o mal são aspectos ou reflexos de nossa ambivalência, representadas em imagens arquetípicas que temos Dele em nossa psique. Não poderíamos ver nunca um Deus racional se a nossa alma é contraditória ou paradoxal.

    O livro de Gênesis conta, através de espetaculares metáforas, as nossas origens e a história de como nasceram os afetos ambivalentes com o desenvolvimento psíquico do homem. Se o homem é bárbaro o Deus dele será também bárbaro. Se ele é pacifico a Sua imagem na psique será sempre a de um Deus pacificador. Se o homem é guerreiro o seu inconsciente mostra um Deus General dos exércitos.

    Imaginamos Deus conforme o nosso estado de espírito e temperamento.
    O imaginário comandado pelo inconsciente dos profetas podia designar-se como mente ou Espírito de Deus, já que por ela eram revelados os decretos divinos. Jeroboão estava irritado com o rei, e, para dar boas notícias aos seus teve que fazer uma psicoterapia pela música, ao pedir um instrumento musical para extrair uma melodia a fim de liberar a mensagem do inconsciente ou de Deus. Jeremias, acabrunhado e entediado pela vida só podia profetizar calamidades, haja vista os seu estado psicológico.

    O inconsciente é uma esfera oculta e transcendental do ser. Sendo ele autônomo, a nossa consciência não pode nomeá-Lo. É a sua irresistibilidade e incognoscibilidade que compele o homem a designá-Lo de divino. Sendo pois substância da psique não pode ser negada.

    A experiência de sentir Deus é subjetiva, contudo autêntica. A linguagem mítica “Deus” e “Demônio” são sinônimos de INCONSCIENTE.

    Como o assunto vai render, ainda volto...(rsrss)

    ResponderExcluir
  12. “Eis algumas das acusações mais graves contra o “todo-poderoso”:

    Seu silencio.
    Sua ausência.
    Dor, sofrimento e miséria humana.
    Maldade humana. (Deus não poderia ter criado o homem com limites para se fazer o mal?)
    Catástrofes naturais.
    Acidentes e tragédias humanas”. (MARCIO)


    "Atrás da corrente do meu cérebro,

    Tremo e não sei por que tremo.

    Teu silêncio, Tua ausência.

    Causam-me dor e desespero.

    Ás vezes penso que és a maldade.

    Responsável por catástrofes naturais.

    NÃO! NÃO! Não és nada disso

    És apenas o INVISÍVEL

    Que espezinha tudo.

    O meu corpo é Teu mundo é Teu céu

    Tu és a pedra tumular

    Que me esconde e resguarda.

    Por que Te vejo tão áspero e selvagem, ó Deus?!"


    Obs: As seis primeiras linhas da poesia foram retiradas do trecho de Márcio, acima reproduzido.

    ResponderExcluir
  13. Levi,
    Ando polemizando con você né? No entanto, você disse: "Imaginamos Deus conforme o nosso estado de espírito e temperamento.
    O imaginário comandado pelo inconsciente dos profetas podia designar-se como mente ou Espírito de Deus, já que por ela eram revelados os decretos divinos. Jeroboão estava irritado com o rei, e, para dar boas notícias aos seus teve que fazer uma psicoterapia pela música, ao pedir um instrumento musical para extrair uma melodia a fim de liberar a mensagem do inconsciente ou de Deus. Jeremias, acabrunhado e entediado pela vida só podia profetizar calamidades, haja vista os seu estado psicológico."

    Eu pergunto: se eles estavam apenas exteriorizando o inconsciente, o mal estado da psique, então por que as profecias se cumpriam na sua íntegra? Por que mesmo quando outros "profetas" que por certo estando de bem com a vida profetizavam coisas boas, se revelavam falsos pelo não cumprimento das suas profecias?

    Abraço amigo.

    ResponderExcluir
  14. Gui, essa eu sei, essa eu sei! rsrsrs
    a dos profetas, é mera questão literária. Primeiro tem-se que provar que a profecia foi escrita ANTES do seu cumprimento. É sabido que em muitos casos foi escrita DEPOIS.

    Segundo que dizer "cumprimento na íntrega" é forçar a barra. Muitas profecias são genéricas, e falar que um povo vai cair é óbvio demais. Ah, e muitas profecias não se cumpriram.

    ResponderExcluir
  15. GUIOMAR

    Quanto a profecias e a profetas, hoje existem mil vezes mais que naquele tempo. Vá à IURD. Assista ao show da fé, e o Waldomiro Santiago. O povão ordeiro e de memória curta lembra-se de 10 que acertam a loteria, e esquecem rapidamente de 1000 prognósticos que não aconteceram.

    Não é assim que se diz, com relação as profecias: "Se for de Deus se cumpre , se não for a gente esquece" (rsrsrs).

    Nunca que eu vou a creditar que Deus mandou arrancar prepúcios e assassinar crianças, derramar rios de sangue para defender o templo de jerusalém. 70 anos anos depois do desaparecimento de Cristo.

    Ô Gui, você já chegou a pensar que aquilo que o profeta tinha tanta certeza não convencia aqueles que estivessem imbuído de opiniões diferentes?

    Samuel acreditava que Deus quando decidia alguma coisa não voltava mais atrás, e diante de um Saul arrependido do seu pecado, disse-lhe que Deus não alteraria a sentença pronunciada contra ele. Quem estava revoltado com Saul não era Deus e sim Samuel. Já pensou nisto?

    Você viu na confusão que deu a profecia de que o Messias viria de uma virgem. E por aí vai... (rsrs)

    Abçs não proféticos

    ResponderExcluir
  16. Se desconhecemos até mesmo a nossa origem, como questionar o criador???

    Beijo grande???

    ResponderExcluir
  17. marcinho, primeiro você tem que dizer qual deus está sendo julgado...

    levi, assim não tem graça, você já disse tudo.

    marcinho, meu filho, vê se passa dessa fase pois já está demorando demais...

    ResponderExcluir
  18. E ai “fachinha” tudo bem?


    Para mim é uma grande alegria e prazer ter sua participação por aqui, agora só falta o Rodrigão aparecer. Rsrsrsrsrsrs


    A questão principal do texto é estimular os leitores a pensarem, talvez, no maior problema da filosofia.


    Em relação a julgar deus, embora este termo seja muito forte, mas é o que fazemos muitas vezes sem perceber, com tudo a nossa volta, pois para tudo que vamos fazer usamos critérios, fazemos analises, escolhemos através de observações, deduções e lógicas.


    Você disse que ainda acredita em deus, então, qual das opções acima você escolhe??


    O problema disto tudo é que o universo por si só já complexo demasiadamente, ainda foram colocar deus na jogada, ai é que o problema ficou ainda mais problemático e enigmático, pois o universo com deus é ilusão, mas sem deus é mágica. Rsrsrsrsrsrs


    Se deus não existe, sendo apenas uma das muitas invenções humanas, eu gostaria de saber que foi a primeira pessoa que inventou deus...ai entra outra questão: o primata que inventou deus, inventou porque era ingênuo e “animal” demais, ou um gênio já naqueles tempos???


    Agora uma pergunta para você pensar e depois me responder com sinceridade: (eu já fiz esta mesma pergunta, para varias pessoas, mas até agora ninguém me respondeu)


    “Fachinha”, a inexistência de prova, não seria a prova da inexistência de deus??


    E mais ainda, para você queimar os “neurônios”. Rsrsrsrsr


    “Fachinha”, você não acha que o mais racional e lógico é não crer até que provem que deus exista, e não acreditar até que provem que ele não exista?


    Pois até é possível provar algo que realmente exista, mas que ainda não se provou, mas agora, provar que não existe algo que realmente não existe é impossível, ilógico e irracional, por simplesmente este “algo” não existir, você não acha???


    Aguardo suas respostas para continuarmos neste empolgante dialogo.


    Abraços

    ResponderExcluir
  19. GUIOMAR


    Minha querida, ainda não pude visitá-la, pois estou muito atarefado no meu serviço, e meu único tempo que sobra para ficar na internet, eu tenho que responder os comentários, mas assim que eu tiver um tempinho eu vou lá na sua sala também, ok?


    Em relação ao trecho do seu texto, gostei muito mesmo, pois de fato é verdade, mas (sempre tem um “mas” para estragar tudo, não é mesmo?rsrsrsrs) se deus é onipresente como diz os crentes, estando Ele em todos os lugares ao mesmo tempo, eu só precisaria procurar em um lugar do universo para dizer que deus não existe, você não concorda??


    Outra coisa, deus pode até existir lá e além, mas se nós não temos como ter contado com ele, nem vê-lo, nem tocá-lo, segue-se que de certa forma Ele não existe para nós, você não acha???


    Abraços

    ResponderExcluir
  20. PAULINHA


    Será que se eu tivesse escrito que deus é lindo, maravilhoso e amoroso, você teria tido o mesmo enfado???


    Todo assunto que nos leve a pensar é valido ou não???


    Você pode estar enfadada, mas os milhões de Brasileiros que acreditam e cultuam deus sem o senso critico e lógicos da razão não estão, e por eles é que eu continuo escrevendo o que escrevo, para tentar de certa forma, trazer uma reflexão que nas igrejas e religiões em geral, não promovem, e não promovem por medo dos fieis perderem a fé.


    Uma questão fundamental que extraio do seu próprio comentário é:
    Se para você deus está tão distante e longe de nós, então segue-se que ele não existe para você, pois esta fora da realidade...é isto mesmo????


    Uma outra coisa....nossa responsabilidade não ausenta “deus” de sua responsabilidade, a não ser, claro, que você entenda que ele ou não existe, ou que ele não nos percebeu ainda, ou é muito fraco para poder interferir em nossa realidade, pois podemos até admitir que deus nada tem haver com nossos erros, pois fomos nós, e não ele, quem os cometeu, mas agora, tirar de deus sua total responsabilidade no mundo criado por ele, também não é correto.


    Apenas um exemplo:
    Uma criança que nasce com câncer, ou síndrome de down, que culpa tem ela de nascer assim, sendo que a mesma não pediu para nascer???


    Tá vendo PAULINHA que as coisas não são tão fáceis assim de se resolver.....a TEODICEIA é uma das questões mais difíceis de se resolver no campo da filosofia e teologia, que já perdura por milênios.


    Se não me engano, quem primeiro formulou uma questão dessas foi Epicuro, que disse:

    “Deus, ou quer impedir os males e não pode, ou pode e não quer, ou não quer nem pode, ou quer e pode.

    Se quer e não pode, é impotente: o que é impossível em Deus.

    Se pode e não quer, é mal: o que, do mesmo modo, é contrário a Deus.

    Se nem quer nem pode, é mal e impotente: portanto nem sequer é Deus.

    Se pode e quer, que é a única coisa compatível com Deus, donde provém então existência dos males?

    Por que razão é que não os impede?”.



    E ai PAULINHA, você ainda continua achando que é fácil explicar o mal no mundo acreditando-se em deus?? Rsrsrsrsr


    Então responde ai, a questão de Epicuro vai. Rsrsrsrsrsrsrs


    Abraços

    ResponderExcluir
  21. Olá FERNANDO


    Seja sempre muito bem vindo em nossa sala do pensamento, sinta-se na sala da sua casa. Rsrsrsrs


    Fique a vontade para dar sua opinião, pois aqui, ela é sempre muito bem acolhida, mesmo que seja para criticar ou discordar dos nossos textos, pois nossa intenção é promover debates e com eles, gerar reflexão.


    A grande diferença do seu exemplo para o meu é que no seu, não há como evitar, pois a pessoa já tinha sido baleada, já no meu, a criança esta viva no meio da avenida, correndo o risco de ser atropelada e morta, bastando alguém para salvá-la.


    Mas me diz ai, como assim você não se sentiria culpado em não socorrer alguém que morreu e que você poderia facilmente evitar??


    Já que para nós sabermos que uma coisa é boa é preciso primeiro saber que também existe a ruim, então você deixaria seu filho cair da laje, só para ele saber o quanto dói???


    Creio que não, não é mesmo?
    Se você ou qualquer outra pessoa em sã consciência não deixaria seu filho cair da laje, mas antes o impediria, salvando assim a vida de seu filho, e deus então, porque não o faz???


    Sua fala: “Se a humanidade conhecesse mais o Deus que a criou, certamente pararia para pensar no seguinte: e se Deus simplesmente não for o responsável por tudo isso? E se a culpa for do homem, da máquina, do clima? E se não existir necessariamente um culpado?”.


    Minha resposta: A grande questão que levanto em cima de sua própria fala é:
    Mas como vamos conhecer algo que esta além de nós, que não vemos, não ouvimos, nem tocamos??


    Você acha que as pessoas se tornam ateias porque simplesmente querem??
    É claro que não! Se tornam porque se deus existir mesmo, ele não fez questão de se apresentar a nós, e como o que conta para nós é a realidade em que vivemos, e se deus não participa desta realidade, o mais sensato é dizer que em certo sentido deus não existe para nós mesmo, ou você acha que não????


    Sua fala: “A verdade é que todos esses desastres apontam para uma única resposta: a fragilidade do ser-humano”.


    Minha resposta: Não é somente isto que esses desastres apontam, mas para a não existência de deus ou o seu completo abandono ou incapacidade de nos ajudar.


    Todo o restante de sua fala pode ser resumida na velha e ultrapassada crença da queda do homem.


    Mais veja a implicação disto:
    Quem pecou foi adão, porque então pagamos por algo que ele cometeu e que nem vivo esta mais????


    Deus então seria injusto por culpar-nos e condenar-nos por algo que outro fez e não nós???


    Sua fala: “Se continuarmos olhando para todas essas tragédias através de uma visão estritamente humana e sem conhecer o verdadeiro caráter de Deus....”


    Minha resposta: Então me diga qual é o verdadeiro caráter de deus???


    Aguardo suas respostas................


    Valeu Fernando, pela rica contribuição!!!


    Abraços

    ResponderExcluir
  22. Outra coisa FERNANDO

    A grande diferença do vídeo para minha postagem é que lá no vídeo, é o deus judaico-cristão que esta sendo julgado através da própria bíblia, enquanto aqui na minha postagem, é a totalidade sintetizada de deus e suas imagens ao longo da historia através do próprio universo.

    Abraços

    ResponderExcluir
  23. GRESDER


    Concordo contigo em seu ponto critico da minha postagem.


    Mas acontece que se eu fosse fazer uma postagem ponto por ponto, o assunto ficaria muito longo e cansativo, por isso eu preferir fazer como os grandes filósofos do passado, que transformavam idéias complexas em auforismas, deixando toda tonelada de argumentos que cada ponto merece, no desenrolar dos comentários.


    Agora, como assim nem cócegas meu texto produziu??
    Se você soube-se quantos e-mails revoltados tenho recebido, você não falaria assim da minha magnífica obra. Rsrsrsrsrs


    Alguns e-mails eu colei aqui, mas outros, as pessoas não permitiram que eu postasse, além do mais também, que a maioria era apenas de insulto, e não de argumentos sólidos.


    Na questão da presença de deus neste mundo como você afirma, se encontra no desejo subjetivo de assim vê-lo e não porque assim o é.


    Mas você tem razão no ponto que disse que não tem tempo e nem tive espaço na própria postagem para descrever isto.


    Mas GRESDER, como você pode usar o argumento fraquinho e ilusório de que deus criou um céu para reparar a injustiça aqui, se nem ao menos você acredita nisto????


    Não seria desonestidade em um debate????


    Mas o seu argumento em favor de deus ser uma energia inconsciente não seria um auto engano para quem não quer – não é que não tenha coragem – admitir um ateísmo???


    Pois se assim for, se assim você acredita, então porque chamar esta energia inconsciente de deus ou de Ele???


    Abraços

    ResponderExcluir
  24. VALERIA

    Por justamente desconhecermos nossa origem é que nós perguntamos se há e quem é esse tal criador....entendeu????

    Abraços

    ResponderExcluir
  25. DUZINHO


    Eu abri uma exceção para você, e vou pular um monte de comentários que estava na sua frente só para responder você agora e não deixar para amanhã, porque amanhã pode ser tarde demais. Rsrsrsrsrsrsrs


    Já deu uma olhada na imagem que escolhi da postagem?


    Me diz, quem você vê ali????
    Sei que não vou precisar falar, porque sei também que você como é um dos caras mais inteligentes que já conheci, irá entender a filosofia por trás de uma imagem, não é mesmo???


    Então é desnecessário responder sua pergunta de qual deus estamos a julgar, correto???


    Agora, para fechar, colo aqui sua fala: “marcinho, meu filho, vê se passa dessa fase pois já está demorando demais”.


    Minha resposta: Oras DUZINHO, será que o questionamento sobre a existência de deus é um assunto tão simplista assim, para qualquer um de nós por um ponto final??


    A filosofia gastou e ainda gasta milhares de anos para responder perguntas que talvez não existam respostas, e você quer eu passe a face de re-fazê-las e pensarem nelas???


    Sei que li ainda muito pouco, mas o pouco que li e pensei é que vamos gastar nossas vidas discutindo questões tão complexas sem chegar a uma resposta final, pois é a duvida que nos faz questionar, buscar e pensar e não o conhecimento pronto ou a resposta fácil e engessada que mais paralisa a inteligência do que contribui para a mesma.


    Portanto, meu amigo, se você tem esperanças que daqui algum tempo, eu pare de levantar essas questões, pode perder sua esperança, pois para mim o conhecimento é uma verdade sempre em fluxo e nunca estática.


    Abraços

    ResponderExcluir
  26. Os demais comentários, depois eu respondo, agora eu preciso ir trabalhar.

    Abraços e obrigado a todos.

    ResponderExcluir
  27. Marcelo Santos da Silva25 de novembro de 2010 12:40

    Acho muito intrigante uma criatura querer julgar seu criador. Você já viu um vaso virar para o oleiro que o fez e reclamar que a alça dele deveria ser maior, ou que talvez ele deveria tê-lo feito com mais enfeites? Como pode um ser humano chegar a tamanho disparate?
    Vamos anialisar algumas de suas alegações:

    1 - Deus criou o homem à sua imagem e semelhança, mas ele preferiu seguir o caminho do erro. E não importa o que você possa dizer acerca do livre arbítrio, Deus o deu ao homem, e ele escolhe o que quer fazer, porém deve se responsabilizar pela sua escolha. É mais ou menos como se você desse um carro a um filho seu, e o velocímetro do carro vai até 300Km/h, então você dá as orientações ao jovem e o informa para não ultrapassar os limites de velocidade, pois pode acontecer algo muito ruim. Então o jovem pega o carro e para experimentar vai até o limite e então acontece um acidente. A culpa do acidente é do pai que deu um carro ao seu filho? Ou a responsabilidade pelo que ocorreu é do próprio jovem? Reflita nisso.

    2 - O mundo têm catástrofes naturais porque está se degradando a cada dia por causa do pecado, pois a Bíblia, nosso manual de fé, diz que o mundo jáz no maligno, diz também que toda a criação geme por redenção. Dessa forma ninguém pode querer responsabilizar a Deus pelos acidentes naturais que ocorrem, pois o próprio ser humano está causando boa parte desses problemas e justamente pelo mau uso dos recursos naturais.

    3 - Deus criou o homem com liberdade, se ele criasse o homem com um limitador de mal, o ser humano seria um mero boneco, você não acha?

    Conclusão, acho que você deveria rever seus conceitos, pois pode estar te arrumando um sério problema. E como já disse em uma postagem anterior, tenho certeza que tu eras um daqueles crentes que não orava, não lia a bíblia e acabou se desviando do evangelho por deixar o mundo, que jaz no maligno, te influenciar. Portanto vigia e volte para os braços do pai, e ele te mostrará todas as coisas que precisa saber, mas isso é por meio da fé.

    ResponderExcluir
  28. Marcinho;
    Enquanto você acreditar que possa existir esse deus ao qual se refere não chegará a conclusão nenhuma. Esse deus é o criado pelas cabeças humanas.
    abraços

    ResponderExcluir
  29. Marcio, desculpe por invadir assim sua postagem, mas é que eu, por saber que você se desdobra para responder os comentários de todos, gostaria de pedir que não perca seu tempo com o tal de "Fernando Khoury".

    Ao que me parece, o cara é apenas um plagiador como outros ...ou outro que conhecemos. Como sei disso?! É simples:

    Observe a escrita do meliante no começo do comentário, depois é só compará-la com o restante do que ele "escreve" (cola).

    O link para a página que contém o texto na íntegra é este:

    http://prizao.wordpress.com/2010/03/24/se-deus-e-culpado-a-culpa-e-nossa/

    Não existe problema nenhum em copiar e colar artigos de outros blogs,até porque o assunto é pertinente e acredito que o rapaz em questão até tenha "meio que lido" o que colou...mas o esforço que você fará para contra argumentar será em vão.


    A segunda parte do comentário é mais perigosa ainda de se rebater Márcio, pois quem desenvolveu o raciocínio foi nada mais nada menos que Albert Einstein...creio que você nem eu ainda estamos prontos para refutar o gênio...não é? rsss

    Este é o link:

    http://joaocruzue.blogspot.com/2007/02/o-jovem-albert-einstein.html


    Agora a pergunta que não quer calar:

    Você tem idéia de quem é o anônimo (fernando)?


    Parabéns pelo texto Marcio..mas eu tenho que concordar com o Gresder:

    Os temas foram abordados muito rapidamente.

    Sei que você vai falar que a idéia era justamente esta, pois pretendia dar prosseguimento ao tema, durante os comentários, então...parabéns de novo!

    ResponderExcluir
  30. KKKKKKKKK! Eu morro de rir! Olha só o comentário do Marcelo Santos da Silva.


    Marcio, pega leve quando for responder o item # do comentário do cara. Só para clarear sua memória, eu vou colar aqui pra você ver:

    "3 - Deus criou o homem com liberdade, se ele criasse o homem com um limitador de mal, o ser humano seria um mero boneco, você não acha?"

    Abraços e vai se converter "de novo" seu desviado! rsss

    ResponderExcluir
  31. Marcio eu apenas usei o raciocínio fundamentalista seu dãããã!!

    Agora se você não consegue conceber mentalmente o monismo então leia Espinosa, Huberto Rohden, Schleiermacher e Ralpf Waldo Emerson.

    Eu entendo uma pessoa não concordar com uma idéia teologia ou filosofia explicativa sobre deus, mas seu travamento mental em não conseguir conceber o monismo é admirável.

    Procure entender, e depois você diga se concorda ou não, não fui eu que inventei isso, creio ser o filosofo Espinosa o melhor representante e que matematicamente explicou o monismo no seu celebre livro: “Ética demonstrada a maneira dos geômetras”

    ResponderExcluir
  32. Meu deus olha quem apareceu ai, atende ai o telefone seu ateu metido

    ResponderExcluir
  33. Edson o Fernando Khoury nao é um perfil inventado, eu o encontrei no fecebook depois de ler seu belisimo comentario educado que detonou o marcinho kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  34. Ao Levi, meu mestre Bronzeado:

    Trocando em miúdos Levi, você está dizendo que deus não existe. Mas diferentemente de mim, simplesmente por questões de maturidade intelectual, você faz esta afirmação de uma forma bem sutil...quase imperceptível...sem destruir os corações mais românticos.

    Se Deus está em nossa psique, e se nós criamos um Deus segundo os nossos desejos inconscientes, logo, ele não existe de fato, mas como sou um ser de sentimentos e pensamentos ambivalentes, como você bem salientou, Deus existe artificialmente em cada um que assim o quiser possuir. O que faz de Deus a maior criação humana, pois, depois de criada, a criatura (Deus) ganhou vida própria, e, como um vírus que se aloja em seu hospedeiro, vai consumindo-o e não permite (na maioria das vezes) que o seu criador o destrua.

    Abração meu mestre.

    ResponderExcluir
  35. Marcio.
    Seu silencio.
    Sua ausência.
    Dor, sofrimento e miséria humana.
    Maldade humana. (Deus não poderia ter criado o homem com limites para se fazer o mal?)
    Catástrofes naturais.
    Acidentes e tragédias humanas”. (MARCIO)

    Marcio o seu texto é firmado em pressuposições relativas a forma de pensar de cada um.
    Na realidade o Gresder acertou em cheio ao comentar:

    “Uma das primeiras coisas que você fala é do silêncio e inatividade de Deus neste mundo, mas para quem crê, tal pessoa sente Deus em tudo, o enxerga em todas as obras da natureza e da historia humana, Deus esta tão presente que sufoca a pessoa, então dizer que ele esta ausente é dizer de algo que você sente e que cai em um argumento subjetivo...” (Gresder).

    Interessante é que em cada período da história a crença em Deus foi mudando, com o advento do iluminismo, Deus foi perdendo o comando, a liberdade humana foi mais acentuada, com o avanço das ciências a “morte de deus foi anunciada”, agora não mais buscava se a cura nos ritos de exorcismo, afinal o que era certo como atuação demoníaca, passou a ter o nome de “epilepsia”!

    Todas as teorias apresentadas tanto na culpa quanto na defesa, depende da experiência subjetiva de cada um. Acredito que você descreveu as varias faces que os homens pintam de Deus, mas na realidade cada uma é reflexo do próprio rosto!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  36. Confraternos no banco dos réus: Culpado ou inocente?

    Toda pessoa acusada de um ato delituoso tem o direito de ser presumido inocente até que se prove culpado de acordo com a lei, em julgamento público no qual lhe tenham sido asseguradas todas as garantias necessárias à sua defesa.

    Ninguém poderá ser culpado de qualquer ato delituoso por conta de qualquer ação ou omissão que não constituía um ato delituoso, sob a legislação nacional ou internacional, no momento em que foi cometida. Também não deve ser uma pena mais grave imposta do que aquela que era aplicável no momento em que o acto delituoso foi cometido.


    Você deve ser considerado inocente até que se prove que você é culpado. Se você for acusado de um crime, você deve sempre ter o direito de se defender. Ninguém tem o direito de condenar e castigar alguém por algo que não fez.

    A não retroactividade da lei significa que uma pessoa não deve ser punido por actos que são legais quando eles foram cometidos, embora mais tarde as mudanças na lei podem considerar os mesmos atos ilegais.

    Abraços

    ResponderExcluir
  37. Gabriel, tuas asas estão caídas em cara? kkkkkkkkkkk

    "É sabido que em muitos casos foi escrita DEPOIS."

    Quem te garantiu isto?

    O pior é que os profetas não falaram que eles iriam cair e sim da consequência da queda... E meu anjo, era muita dor...
    Beijo pra tu.

    ResponderExcluir
  38. Gui, eu nunca tive asas. Eu te pergunto: quem te garante que as profecias foram escritas antes do seu acontecimento?

    É sabido que muitos livros foram escritos centenas de anos após os supostos eventos, como o Êxodo, o cativeiro na babilônia etc. Dado isso, quais são as evidências que as profecias foram ditas antes dos eventos, e ainda, de que elas realmente se cumpriram?

    ResponderExcluir
  39. Levi,

    você disse:"Quanto a profecias e a profetas, hoje existem mil vezes mais que naquele tempo. Vá à IURD. Assista ao show da fé, e o Waldomiro Santiago. O povão ordeiro e de memória curta lembra-se de 10 que acertam a loteria, e esquecem rapidamente de 1000 prognósticos que não acontecera"

    Num esculhamba né Levi? Estamos falando de coisa séria e não de covil de salteadores. Meu irmão... Esta corja nem se nomeia quando se fala de profecia kkkkkkkkk

    "Ô Gui, você já chegou a pensar que aquilo que o profeta tinha tanta certeza não convencia aqueles que estivessem imbuído de opiniões diferentes?"

    Veja que mesmo sem convencer, as profecias de Jeremias aconteceram para vergonha daqueles que o humilharam tanto. E com outros profetas, não foi diferente.

    Agora entender... é outra história.

    "Samuel acreditava que Deus quando decidia alguma coisa não voltava mais atrás, e diante de um Saul arrependido do seu pecado, disse-lhe que Deus não alteraria a sentença pronunciada contra ele. Quem estava revoltado com Saul não era Deus e sim Samuel. Já pensou nisto?"

    O que eu sei, é que Deus perguntou a Samuel: Até quando terás pena de Saul, havendo-o Eu rejeitado, para que não reine sobre Israel?

    "Você viu na confusão que deu a profecia de que o Messias viria de uma virgem. E por aí vai... (rsrs)"

    Quanto a confusão, eu não estou ciente amigo. Eu acredito em um Deus ilimitado e que realiza infinitamente mais do que tudo que podemos imaginar. Tudo Ele pode.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  40. Marcinho você disse:

    "Em relação ao trecho do seu texto, gostei muito mesmo, pois de fato é verdade, mas (sempre tem um “mas” para estragar tudo, não é mesmo?rsrsrsrs) se deus é onipresente como diz os crentes, estando Ele em todos os lugares ao mesmo tempo, eu só precisaria procurar em um lugar do universo para dizer que deus não existe, você não concorda?"

    Concordo! Na incredulidade do homem. Mesmo assim Ele vê e espera com paciência e muito amor.

    "utra coisa, deus pode até existir lá e além, mas se nós não temos como ter contado com ele, nem vê-lo, nem tocá-lo, segue-se que de certa forma Ele não existe para nós, você não acha???"

    Como o vento, podemos senti-Lo, sem tocá-lo, sem vê-Lo. Ele é tão real como o vento que me refresca agora, através da janela do quarto do meu filho. E eu amo a presença dEle na minha vida. E espero o dia em que você vai senti-Lo e vai amá-Lo com todo o seu coração.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  41. Quem te garante que nunca fostes um ser alado? kkkkkkkkkk

    Pois, ai está Gabriel. Eu creio na bíblia e creio que as profecias se cumpriram na sua íntegra. Creio também que historiadores podem deixar muito a desejar...Mesmo os bíblicos.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  42. O onorável professor J. Lima já chegou dando com os dois pés no peito do meu sócio.rsss

    Simplesmente adorei isso que o "Jota" L. escreveu:

    "Interessante é que em cada período da história a crença em Deus foi mudando, com o advento do iluminismo, Deus foi perdendo o comando, a liberdade humana foi mais acentuada, com o avanço das ciências a “morte de deus foi anunciada”, agora não mais buscava se a cura nos ritos de exorcismo, afinal o que era certo como atuação demoníaca, passou a ter o nome de “epilepsia”!"

    Exatamente meu professor, mas gostaria de complementar seu belo raciocínio com este pensamento:

    As crenças foram evoluindo, a ciência também, e hoje, estamos na era da razão...das neuro-ciências e dos questionamentos existenciais. A morte de Deus foi anunciada, mas o caixão nunca desceu ao túmulo, já passou da hora de acendermos a fornalha do crematório, enquanto a certidão de óbito é processada no cartório de nossas mentes.

    Como cético, eu tendo a puxar a sardinha mais para perto da minha brasa, epergunto:

    Não seriam loucos, esquizofrênicos e psicóticos, aqueles que ouvem a vós de Deus. É sabido que até o próprio Paulo (apóstolo) sofria de ataques epiléticos com a tal chamada "aura estática" (que é uma sensação prazeirosa...transcendental, e por que não dizer...divina, como dizia Dostoiévski)


    Agora, se dissermos que todas as experiências "pessoais" devem ser respeitadas, não estaríamos condenando a psiquiatria, psicologia e psicanálise à extinção?


    É claro que o texto do meu sócio Marcio é apenas um exercício de lógica, pois até aqui, não saímos do lugar ao tentar julgar "culpado" ou "inocente" um réu que não existe.

    Os argumentos da fé são, ao mesmo tempo, os mais fortes e mais frágeis que uma pessoa poderia usar para respaldar sua maneira de observar a existência. Eu explico:

    Quem é louco o suficiente para afirmar que uma pessoa não pensa o que acha que pensa, e que suas fantasias religiosas não passam de uma ilusão?

    Ou, quem tem tamanha insensatez de dizer que Deus existe, e que sonda o mundo com esmero (mesmo que não intervenha) a uma pessoa que optou racionalmente por não ser vítima da fé Cristã?

    Abraços!

    ResponderExcluir
  43. Gresder, você articulou bem seu comentário, mas falhou, assim como o Marcio, em explicar com mais detalhes o que está tentando nos dizer.

    Pessoas que sentem Deus, ou que consideram Deus Real, podem estar sendo vítimas de suas próprias ilusões. O que elas sentem é a verdade subjetiva, ou melhor dizendo, não passa de crença, uma representação do que ela acha que é real.

    Sabemos que a realidade está atrelada às nossas escolhas, ou seja, nós é quem determinamos uma fração do que achamos ser fato, um ato ou uma mera..ou grande possibilidade, algo conseguido a partir dos sentidos e do conhecimento adquirido.

    Sendo assim, a criação de nossas fantasias, crenças, deuses ou Deus, das coisas e as nossas relações, dependem de um ramificado e complexo contexto, que ao longo da nossa existência cria o prisma entre o que aprendemos e o que desejamos.

    O que você, meu caro menino prodígio, aceita como REAL?

    Por que a realidade em que nos mergulhamos está sempre mudando de foco?

    Ao mudarmos de realidade, o que vivíamos antes, deixa de ser REAL, cedendo lugar a uma nova realidade?

    Aguardo réplica.

    ResponderExcluir
  44. Comentando sobre o post do Marcelo Santos da Silva


    Acho muito intrigante uma criatura querer julgar seu criador.
    Na verdade, como seres pensantes, nesta confraria tentamos debater sobre se somos nós os criadores, ou se somos criaturas de um ser divino, ou seres divinos, ou energias, ou apenas mero fruto do acaso. Não temos medo de pensar, e não ache que vai colocar medo em nós. Já somos crescidinhos e vacinados

    Você já viu um vaso virar para o oleiro que o fez e reclamar que a alça dele deveria ser maior, ou que talvez ele deveria tê-lo feito com mais enfeites? Como pode um ser humano chegar a tamanho disparate?

    Nooooossa, que comparação inteligente! A porra do vaso NÃO é um ser pensante, NÃO tem consciência e só nos desenhos da disney ele fala. Nós somos MUITO mais que vasinhos, pelo amor de Shiva!

    Vamos anialisar algumas de suas alegações:
    lá vem uma série de clichés, mas tudo bem

    1 - Deus criou o homem à sua imagem e semelhança, mas ele preferiu seguir o caminho do erro.
    nã na ni na não. se somos à imagem e semelhança de Deus, e Deus é incapaz do Mal, então deveríamos ser incapazes também. Se somos capazes do Mal, é por quê Deus nos fez assim. Culpa divina.

    E não importa o que você possa dizer acerca do livre arbítrio, Deus o deu ao homem, e ele escolhe o que quer fazer, porém deve se responsabilizar pela sua escolha.
    O "livre-arbítrio" do Deus cristão é mais ou menos como um bandido apontar a arma para sua filha dizendo: ou tira a calcinha ou te mato, a escolha é sua! Ou seja, NÃO há liberdade de escolha, há só duas opções. No caso do mito cristão é: Ou me bajula eternamente ou vai para o inferno sofrer eternamente.

    É mais ou menos como se você desse um carro a um filho seu, e o velocímetro do carro vai até 300Km/h, então você dá as orientações ao jovem e o informa para não ultrapassar os limites de velocidade, pois pode acontecer algo muito ruim.
    Se você soubesse qual seria a escolha do seu filho, daria o carro mesmo assim? E se você FEZ seu filho já propenso a acelerar? É como fazer um robôzinho que ao ver uma poça dágua, pula nela, mas não fazê-lo à prova dágua. Que culpa ele tem?

    Então o jovem pega o carro e para experimentar vai até o limite e então acontece um acidente. A culpa do acidente é do pai que deu um carro ao seu filho? Ou a responsabilidade pelo que ocorreu é do próprio jovem? Reflita nisso.
    A analogia não serve, pois o pai não é oniciente, não fez o carro, nem as leis da física. No caso do mito cristão, foi Deus quem fez o moleque propenso a acelerar, o carro irresistível, e a punição por infrigir a Lei que ele mesmo criou.

    ResponderExcluir
  45. 2 - O mundo têm catástrofes naturais porque está se degradando a cada dia por causa do pecado
    bullshit. Catástrofes aconteciam muito antes do homem andar por aqui. A Terra foi formada do caos, meteoros sempre cairam por aqui. Ou vai dizer que os dinossauros viviam na orgia e Deus resolveu puní-los por seus pecados mandando um meteoro? Catástrofres naturais não se importam com nosso conceito de pecado

    pois a Bíblia, nosso manual de fé, diz que o mundo jáz no maligno, diz também que toda a criação geme por redenção.
    Eu não estou nem aí para o quê a bíblia diz sobre a sociedade. Ela não é padrão de moral para nada, visto que os Heróis dela fizeram coisas inomináveis. Essa visãozinha de quê o corpo é mal, o mundo é mal, a terra está fodida, estamos todos condenados... é muito pessimista e depressiva. Eu prefiro ter esperança, lutar por um mundo melhor, do quê ficar choramingando por aí.

    Dessa forma ninguém pode querer responsabilizar a Deus pelos acidentes naturais que ocorrem, pois o próprio ser humano está causando boa parte desses problemas e justamente pelo mau uso dos recursos naturais.
    Blá blá blá. Foi Deus mesmo que deu o aval ao ser humano para se multiplicar e dominar a terra. Nenhum profeta fala sobre ambientalismo.

    3 - Deus criou o homem com liberdade, se ele criasse o homem com um limitador de mal, o ser humano seria um mero boneco, você não acha?
    Imagine só se o ser humano não conseguisse causar mal ao outro, como o mundo seria? Nossa, não consigo imaginar que inferno seria.

    Conclusão, acho que você deveria rever seus conceitos, pois pode estar te arrumando um sério problema. E como já disse em uma postagem anterior, tenho certeza que tu eras um daqueles crentes que não orava, não lia a bíblia e acabou se desviando do evangelho por deixar o mundo, que jaz no maligno, te influenciar. Portanto vigia e volte para os braços do pai, e ele te mostrará todas as coisas que precisa saber, mas isso é por meio da fé.
    Você é que devia começar a VER conceitos, e não repetir igual a um papagaio as mesmas ladainhas de sempre. Aqui tem gente que conhece mais a bíblia que você, e mais religiões que você possa pensar. Tem gente que orava todo dia, que fez jejum, até falou em profecia. Mas antes de tudo, aqui há pensadores, e isso faz toda a diferença.

    ResponderExcluir
  46. Gui,

    Quem te garante que nunca fostes um ser alado? kkkkkkkkkk
    Bem, só se mamãe me escondeu isso e na verdade eu tive as asas cortadas. Ficaria muito frustado se isso fosse verdade

    Pois, ai está Gabriel. Eu creio na bíblia e creio que as profecias se cumpriram na sua íntegra.
    Mas aí não é questão de se crer, mana. A parada é que, se as profecias se cumpriram, devem haver evidências disso. Afinal, algumas delas são bem catastróficas. O problema é que muitas falharam. Há profecias sobre cidades serem destruídas e nunca mais habitadas, mas hoje vemo-nas habitadas e muito bem resolvidas.

    Creio também que historiadores podem deixar muito a desejar...
    sim, muitos deixam a desejar, e por isso acabam desacreditados. Historiadores, independente de quem sejam, devem apresentar evidências concretas. E não apenas ficar falando abobrinhas aos ventos

    Mesmo os bíblicos.
    Desses então, nem se fala. Há mais erros de datas e nomes na bíblia do quê sonha nossa vã filosofia rsrsrs

    Abraço.
    Aperna

    ResponderExcluir
  47. “Trocando em miúdos, Levi, você está dizendo que deus não existe. Mas diferentemente de mim, simplesmente por questões de maturidade intelectual, você faz esta afirmação de uma forma bem sutil...quase imperceptível...sem destruir os corações mais românticos”.(Edson)

    Meu Caro Edson Noreda

    Essa tua frase acima mostra que não estamos distantes, mas, sim, muito próximos um do outro: “Realmente, o que escrevi dá para concluir que imagens são imagens. Elas são representações que estão à espera de uma tradução ou desmitologização.

    Também sou um herdeiro rebelde de Javé (rsrsrs)

    Abçs imperceptíveis

    ResponderExcluir
  48. Levi,

    "“Trocando em miúdos, Levi, você está dizendo que deus não existe. Mas diferentemente de mim, simplesmente por questões de maturidade intelectual, você faz esta afirmação de uma forma bem sutil...quase imperceptível...sem destruir os corações mais românticos”.(Edson)"



    Você não está em cima do muro né?
    No seu blog em uma postagem, te perguntei se você acreditava em Deus,você me respondeu que não no Deus criado pelo homem...

    Qual o Deus que você crer?

    ResponderExcluir
  49. Gabi, não leve tão a sério as asas, não ver que estou brincando com você?

    Não fiz um estudo acurado sobre as profecias, sei que por exemplo o Iraque está em um lugar que segundo profecia não deveria ser habitado.

    Eu estava lendo "e a Bíblia tinha razão" de Werner Kelle", infelizmente parei para ler "A Arte da Guerra" e não voltei a ele ainda, mas ele nos esclarece muito da história dos hebreus.

    Pelo cumprimento de várias profecias, até mesmo as escatológicas, eu creio nelas, e não vou me pronunciar quanto aquelas que não parecem ter se cumprido, porque não estudei o suficiente para chegar a uma conclusão.

    Como já falei várias vezes aqui, tenho muitos questionamentos quanto a história bíblica. Mas não tenho nenhum quanto a profecia.

    Comentei um dia no blog do Levi, de uma determianda vez que cheguei a uma reunião de oração em uma igreja em Salvador, aonde ninguem me conhecia e nem eu a eles, as creio, seis pessoas que estavam ali de joelhos, estavam de costas para a porta. Me ajoelhei e em silêncio, apenas na mente, orava à Deus cheia de interrogações, quando um Pr.começou a falar em línguas, e uma senhora começou a interpretar. Para minha surpresa, ela respondia a cada questionamento da minha mente. Eu então perguntei várias coisas a Deus e todas foram respondidas. O mais incrível foi que quando sai de lá, uma das promessas de Deus se cumpriu e daí para frente, tudo aconteceu como Deus falou através dela.

    Já ouvi tambem muitas "profetadas", que descartei na hora, mas muitas se cumpriram na sua íntegra e não foram aquelas coisas óbvias que falsos profetas falam não.

    Meu querido Gabi, eu tenho razões suficientes para acreditar em Deus e na sua atuação na vida daqueles que O buscam com sinceridade.

    Beijo, vou almoçar.

    ResponderExcluir
  50. Gui, suas evidências proféticas são anedóticas demais. Exatamente qual foi a questão que você considera "impossível" de ser coicidência, ou profecia padrão?

    Eu já fiz muito questionamento, sem nunca ter tido resposta. As profecias a mim dirigidas, sempre vi que eram padronizadas de acordo com um esteriótipo.

    E, além disso, o máximo que se prova no seu caso é telepatia (o quê seria uma grande descoberta rsrs). Afinal, foram PESSOAS falando.

    ResponderExcluir
  51. Guiomar

    Toda vez que queremos definir o sujeito olhando pelas suas costas, nos estrepamos.

    Moisés coitado, queria ver Deus de frente para dizer: "olha meu povo, Deus é isso, é aquilo. Deus é assim e tal".

    Ver Deus de costas é uma metáfora, e esta figura de linguagem é um recado ou mensagem do INCONSCIENTE, que quer simplesmente dizer:

    Por mais que se queira definir o INDEFINÍVEL através de demonstrações ou racionalizações de como é a sua forma, o seu andar, o seu falar, vamos cair no ridículo.

    Entendo que há um sentimento de vazio ou de falta em todos nós, que deseja se religar com um passado longinquo, ou a um pai simbólico - e é a isso que eu chamo o "efeito Deus" de nossa psique.

    Acredito no "sentimento religioso", por que o sinto, mas não acredito em religião que quer dar um Nome a esse sentimento.

    Toda vez que a religião tencionar configurar Deus, tornando-o FIXO e imutável, estará apenas construindo BEZERROS DE OUROS, como estes que estão sendo oferecidos por um "devasso evangelho" pregado na mídia.

    A instituição religiosa será sempre uma gaiola cujo anseio do seu dono é prender Deus em suas grades. Mas Deus é infinito e ilimitado. Ele é "o É" e é "o não É", e é por isso, que eu estou aqui no meio da Confraria dos Pensadores Fora da Gaiola, com os quais me identifico.

    Agora eu pergunto:

    O que te move a sempre frequentar essa nossa mesa totêmica, por acaso, não é o sabor da comida que serve por aqui???

    Abçs fraternos

    Levi B. Santos

    ResponderExcluir
  52. marcinho, primeiro obrigado pelo "inteligente", eu sei que o sou, sou tão inteligente que creio em Deus...kkkkkkkkkak kakakakkakak kak akka kak ak kaka

    agora, a sua questão:

    "Já deu uma olhada na imagem que escolhi da postagem?


    Me diz, quem você vê ali????"

    ou seja, você está julgando um deus que não existe. logo, isso faz de você um maluco...kkkakak kakakakaakakak

    mas pensando bem, deus até que pode estar ali sentado, afinal de contas, ele é invisível e onipresente...

    e aí, qual o juiz que dará a sentença? qual de nós tem a plena capacidade cósmica de resolver suas questões?

    não podemos nem provar que Deus não existe e ainda queremos julgá-lo culpado pelo mal que ele não cometeu, já que ele não existe, mas não dá para provar que ele existe, logo, também não dá para julgá-lo...mas se ele é invisível, ele pode existir e ser julgado...e bla bla bla bla....

    cancei disso.

    ResponderExcluir
  53. Edu meu capitão, como assim cansei disso? O assunto "Deus não existe" e mesmo assim pode ser julgado, ainda está muito longe de terminar, ou você não sabe que a melhor maneira de desmascarar uma mentira , é justamente trazê-la sempre à tona e esperar que seus divulgadores acabem por contradizerem-se?

    Se uma pessoa sente Deus; vê Deus em tudo que existe; sente-se amparado por Ele...é correto dizer que Ele exista para essa pessoa? E essa pessoa pode afirmar que Ele exista?

    Mas se uma pessoa não sente nada; não vê Deus em absolutamente nada; compreende que a vida é totalmente "sem propósito", fruto de uma evolução lenta e aleatória; conforta-se apenas em saber que terá o direito de morrer sem esperar nada do "outro lado"...é correto dizer que Deus não exista para essa pessoa? E essa pessoa tem todo o direito de afirmar que não existe Deus algum?

    Respire um pouco Edu, já que está cansado, e volte para o tribunal e defenda o Deus da psique, o Deus inacessível, o Deus onisciente, e que certamente é inocente das acusações formuladas pelo Marcio.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  54. Edson

    Você tirou a palavra da minha boca, pois, já estava pensando convidar a Guiomar para colocar seu nome no rol da C.P.F.G.(rsrs)

    Mas, o espírito me diz, que ela já não é mais a engaiolada de antes, apesar, de como nós, não ter o poder ainda de deletar a "saudade do céu" que de vez em quando aparece na tela do nosso computador bio-psíquico, ativada por vírus que vem não sei de onde, não respeitando nem os nossos mais modernos programas antivírus (rsrsss)

    E aí... Como fica o Edson diante do Noreda?!

    ResponderExcluir
  55. Ora Leví, não entendi sua pergunta, poderia ser mais claro?

    O Noreda é apenas uma personagem, criado com o intuito de ser usado posteriormente em algum romance que pretendo escrever. Sei que você vai dizer que o Noreda é meu inconsciente superego ou coisa do gênero...talvez sim...em partes, mas assim como Agatha Crhistie criou Hercule Poirot, eu tomei a liberdade de criar o Noreda Somu.

    Como fica o Edson diante do Noreda? é simples:

    Ele apenas contempla a magia de colocar nos lábios de outra pessoa, palavras que deveriam sair dos seus. Achas que estou escrevendo na terceira pessoa? Talvez eu seja um outro personagem ainda não revelado ao público. rss

    ResponderExcluir
  56. Como adorava as confissões do Noreda... Mas também aprecio o ceticismo do Edson (rsrs)

    O poeta, o escritor, o filósofo estão ligados espiritualmente aos seus pseudônimos. Na pele dos pseudônimos ele se deixa levar pela espontaneidade de sua fala, assumindo uma postura aparentemente alheia ao discurso da personalidade “real”.
    Não é assim que acontece no divã, onde o cara executando as suas associações livres, relaxa ao máximo, permitindo ao analista(que só é ouvidos) escutar o avesso do bordado das palavras ditas onde se escondem as suas fantasias e utopias?

    Mas me desculpe, que isso não tem nada a ver com tema da postagem do Márcio. Ou tem?

    Abçs

    ResponderExcluir
  57. Edson, aí é que tá:

    quem diz que sente deus, sente deus e deus existe para ela, quem diz que não sente deus, não sente deus, e deus não existe para ela.

    no final das contas, nen um nem outro pode provar o que sente.

    daí, a grande perda de energia em julgar tal entidade tão Ser-não-sendo...

    ah, e a época da razão já passou e já foi critica veementemente pelos filósofos de frankfurt.

    abraços e vai lá conhecer meu botequim e tomar umas

    ResponderExcluir
  58. Bem pessoal, desculpe-me pela demora em responder os comentários, mas é que eu estava muito ocupado com meu trabalho.

    Fiquei um dia fora, sem aparecer por aqui, que estou me sentindo um estranho na minha própria “casa”.....são tantos comentários que nem sei por onde começar....mas vou tentar, na medida do possível, responder um a um a todos os comentários, ok?

    Só deixa me achar neste oceano de comentários. Rsrsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  59. LEVI

    Sua fala: “Passei pela fase Fundamentalista na qual via Deus como uma entidade fora de mim.... Mas isso é um pensamento muito infantil, uma vez que hoje sabemos que Deus está dentro de nossa psique”

    Minha resposta: Levi, esta sua fala resume tudo, ou seja, Deus não existe como ser-em-si igualmente o homem ou animal, mas apenas na imaginação humana, ou seja, de novo, (rsrrs) resumindo a opera, você é ateu como bem antes eu havia dito ao GRESDER.....bem vindo LEVI, ao grupo seleto dos “cavalheiros ateístas”. Rsrsrsrsrsrs

    Mas ai é que esta a questão das questões:
    Enquanto houver uma mente neste nosso mundo, que pense, deseje e creia em deus, deus nunca deixará de existir, porque ele só existi e se alimenta na mente das pessoas religiosas.

    Não sei por que LEVI, mas hoje acordei ateu. Rsrsrsrsrs

    Abraços

    ResponderExcluir
  60. GUIOMAR

    Caramba, o BILL já respondeu tudo sobre as profecias, eu apenas gostaria de acrescentar mais um ponto:
    O cumprimento de muitas profecias, não é se não, a percepção e constatação do que vemos acontecer no mundo, mas que já era visto e acontecido muito tempo antes também, ou seja, o apocalipse da terra é apenas uma constatação e não uma revelação.

    Abraços

    ResponderExcluir
  61. MARCELO SANTOS

    Não sei não viu, mas acho que você esta me cheirando a PAULINHA, ou será que deveria se chamar MARCELA SANTOS, a amiga da PAULINHA, heim??? Rsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  62. ATENA

    Sua ilustre fala: “Enquanto você acreditar que possa existir esse deus ao qual se refere não chegará a conclusão nenhuma. Esse deus é o criado pelas cabeças humanas”.

    Minha resposta: Ok ATENA, mas agora me diga uma coisa, que “deus” que exista que não seja criado pela cabeça humana???

    Abraços

    ResponderExcluir
  63. GRESDER

    A partir do momento que você lê um livro, onde você absorve a idéia do mesmo, aquela idéia passa a ser sua, então, explique-me a sua idéia, pois os caras que escreveram sobre isto, por mais que eu leia, eles não estão vivos para eu discutir ou perguntar para eles, já você sim, eu posso questionar e até debater.

    Então sendo assim, não adianta você mandar ler o livro, querendo escapar de explicar sua idéia e ponto de vista tirada do livro, pois ou você deve estar com preguiça, ou é incapacidade mesmo, não conseguindo ir adiante com o pensamento que você desenvolveu a partir desses caras.

    ResponderExcluir
  64. JOTA

    Ai é que esta a questão, pois se uma pessoa baseada em sua própria experiência subjetiva pode afirma na objetividade, o que é só possível em sua subjetividade, se segue que os que afirmam existir duendes ou gnomos, também estão corretos, mas de forma alguma elas podem provar externamente o que sentem internamente, valendo no final das contas a objetividade concreta e não a fantasia da imaginação interna.

    Abraços

    ResponderExcluir
  65. HUBNER

    Como você é desprezível mesmo...não consegue fazer um comentário bom que não tem sido copiado e colado de algum site por ai, não é mesmo???

    Todo este seu comentário foi tirado dos direitos universais, achando-o em vários blogs ou sites, um deles que eu achei é:
    http://portal.mj.gov.br/sedh/ct/legis_intern/ddh_bib_inter_universal.htm

    HUBNER, quando você aprender a comentar que nem gente grande, abandonando este seu vicio de plagiador, deixando esta incapacidade de dialogar, você vem debater comigo, ok?

    Caso contrario é melhor você ficar calado, te garanto que passarás menos vergonha e desprezo.

    Cuidado HUBNER, plagio é mentira e falsidade coisas que o deus judaico-cristão abomina, se continuares assim, nós veremos logo, logo no fogo do inferno abraçando as capetinhas. Hahahahahahaha

    ResponderExcluir
  66. Eu já expliquei e a incapacidade é sua de não querer entender por pirraça.

    Você esta parecendo meu pai, que não é capas de pensar um pensamento diferente a não ser pelas molduras mentais que ele já tem.

    Se você não consegue conceder deus como energia e pensamento inconsciente, como uma célula extremamente simples que contem em si todas as possibilidades de vida, que se move não por ver, mas por tatear o mundo, que rege sem dominar, que diz sem falar, que se movimenta sem andar, e confundir isso com o big bang é confundir causa com efeito.

    Big bang é um explosão, mas antes da explosão uma concentração mínima da máxima possibilidade existia comprimida em si mesma com todos os genes primários e DNA da vida e da matéria, que compulsoriamente se conduziram em uma marcha inexorável que formou toda a existência.

    Puta Marcio como tu é burro, tu não sabe nem a diferença de causa e efeito, tu não sabe nem que o big bang é efeito e não a um causa pura. Agora me diz como esta energia concentrada que causo o big bang continha em si todas as probabilidade de matéria, vida, existência, e consciência.

    E sendo esta energia uma fonte ilimitada de vida e possibilidade acaso é ridículo chamá-la de deus, e sendo este deus tão universal em si mesmo, acaso seria estranho dizer que ele e impessoal, e sendo a inconsciência uma faculdade que contem em si mesmo todos os impulsos geradores de possibilidades de vida emoções e inteligência, acaso não seria ridículo achar que algo inconsciente é tão frio como uma explosão por acaso.

    Meu velho não me limite, me solte que, se você quer ficar ai embaixo eu estou flutuando sobre suas questões.

    ResponderExcluir
  67. MARCINHOooOOOOOOo,

    VOCÊ: Será que se eu tivesse escrito que deus é lindo, maravilhoso e amoroso, você teria tido o mesmo enfado???

    EU: Sim, pois também não temos certeza de toda esta lindeza, maravilhosidade e amorosidade deste deus. Estaríamos novamente falando de algo imperceptível..o que CANSA!! pela falta de convicção.

    VOCÊ: Todo assunto que nos leve a pensar é valido ou não???

    EU: Sim, concordo.

    VOCÊ: Se para você deus está tão distante e longe de nós, então segue-se que ele não existe para você, pois esta fora da realidade...é isto mesmo?!

    EU: Não..não..não...Ele é imperceptível e invisível, o que nos distancia deste deus. Mas pra mim ELE EXISTE. Não porque o vejo, mas eu creio que Ele existe..ele existe dentro de mim, em meu coração...e pelo fato de eu crer, Ele existe, pelo menos para mim!

    VOCÊ: Uma criança que nasce com câncer, ou síndrome de down, que culpa tem ela de nascer assim, sendo que a mesma não pediu para nascer?!

    EU: Nenhuma. Mas, nem nós pedimos parar nascer também, simplesmente aceitamos a vida que nos foi dada, e temos milhões de motivos para vivermos esta vida enquanto pudermos!

    No demais, eu não sei porque razão ele não impede ou porque razão ele impede...eu só sei que nada sei...mas entre crer e não crer, eu já escolhi crer, pois este é o mais profundo desejo do meu coração....me sinto bem e feliz! Graças a DEUS!!!

    Beijos....me desculpe por não entrar na parte de Epicuro, pede auxílio ao DUDU, nosso capitão kkkkkk....FUI!!!

    ResponderExcluir
  68. Marcitto,

    Sabia que você iria descobrir, coloquei de propósito, e isso não é um plágio, mais sim direitos universais que até o Deus todo poderoso tem!!!!

    Ou você quer outorgar este direito????

    Esta DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS
    Foi Adotada e proclamada pela resolução 217 A (III)da Assembléia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948

    Você nem tinha nascido ainda..., então eu me coloco como um advogado para defender a causa do ser Superior a nós. Rsrsrsrs

    Você é contra isso????? Kkkk

    ResponderExcluir
  69. Todos tem o direito de saber os seus direitos universas.

    Irei a defesa de todos..., pelo menos para dizer que existe direito de defesa. Mas quem defenderá um acusado invisivel??? Ele mesmo se defenderá com alguns pródigios e maravilhas.

    Esses dias eu estava com muita sede e tinha plantado um limoeiro no meu terreno a dois anos atraz, mais derrepende olhei para a arvore e vi um limão que provavelmente teria surgido de um dia para o outro.

    E assim, matei a minha sede com um suco de limão delicioso dado por uma arvore que eu pensava que era estéril. Assim foi feito justiça pela ação sobrenatural que ele impôs a natureza respondendo as minhas orações.

    Isso sim é milagre, e pra mim ele sempre foi inocente...

    Glória a Deus que faz milagres para aqueles que tem Fé.

    ResponderExcluir
  70. Hahhaaaa...

    Marcinho...eu estava olhando todos os comentários agora a pouquinho pelo e-mail, e vi que apareceu um Marcelo aí..e vc ainda desconfia que eu sou ele...kkkkkkkkkkkkkkk.....My God!

    Eu rolei de rir aquii...estou rindo até agora...mas faz um tempinho que parei de armar com vocês! kkkkkkkkkkkkkkkkkk..

    Ahh!! preciso te replicar ainda...mas de Epicuro, eu não entendo nada..vou me lascar nesta! rss..

    Beijoss...

    ResponderExcluir
  71. e só uma correção(pretensiosamente kkkkkk) em relação ao pensamento do edson "Se Deus está em nossa psique, e se nós criamos um Deus segundo os nossos desejos"

    não é que nós inventamos deus, ele sempre esteve de uma forma ou de outra no nosso inconsciente. a arqueologia e a antropologia provam que até os mais antigos seres humanos já possuíam algum tipo de transcendentalidade.

    não criamos deus, ele veio junto com a programação do nosso cérebro (dizendo a grosso modo), por isso que até negá-lo é no final das contas, afirmá-lo.

    : )

    ResponderExcluir
  72. GUIOMAR

    Não acho que se existir um deus com um mínimo de inteligência irá condenar os seres humanos que não acreditarem nele, pelo simples fato dele não ter se manifestado e dito que ele é ele, e que ele existi, e também pelo fato de ter-nos criado ignorante sobre sua compreensão.

    Interessante mesmo é que as pessoas que dizem que deus existe, são as mesmas que dizem poder senti-lo, ou seja, são tendenciosas a sentir deus, pois logicamente por definição se a pessoa vai buscar a deus através de muita oração é porque ela acredita em deus, e logo, esta totalmente inclinada ao mínimo de sensação dizer que sentiu deus.

    Agora querer comparar deus com um fenômeno da natureza que é visivelmente comprovado é demais, pois o vento todo mundo senti e perceber seu efeito, mas agora deus, somente alguns “escolhidos” o sentem.

    ResponderExcluir
  73. GABRIEL

    Gostei muito de sua resposta ao MARCELO, pena que ele não é real, e mesmo que fosse, depois dessa, deve estar até agora procurando o caminho de casa....sinto que não voltará tão cedo assim. Kkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  74. LEVI

    Diz logo abertamente e claramente para GUIOMAR que você é ateu....não tenha medo. Kkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  75. GUIOMAR

    O LEVI não te respondeu e nem te responderá, porque ele é ateu....na verdade, não precisaria nem perguntar ainda, só pelas palavras dele já estão postas tão claramente como a luz do dia. Hahahahahhaha

    ResponderExcluir
  76. DUZINHO

    O julgamento de deus é apenas um exercício de reflexão, pelos menos para nós, pois ao dizermos que o mundo não teve um criado, simplifica a questão, mas ao dizermos que o universo teve sim um ser cósmico inteligente e consciente por trás dele, é problematizar a questão demasiadamente.

    Mas o que seria da filosofia se não fosse a criação de deus pelo homem??
    Justamente a invenção de deus é que levanta “N” possibilidades pensantes.

    Agora se você não quer discutir mais sobre o assunto deus, seja por incapacidade, ou por preguiça mesmo, ai meu amigo é uma questão só sua, pois quanto a mim, enquanto tiver fôlego e coragem de pensar, irei sempre por em xeque os conceitos, até os meus próprios, pois não quero tornar meu pensamento estático e paralisado.

    ResponderExcluir
  77. PESSOAL,

    Agora tenho que resolver algumas coisas, mas já volto. (ala hubner) rsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  78. GRESDER

    “Tua” teoria é apenas mais uma entre milhares que o ser humano já inventou e que talvez irá ainda inventar, portanto, como qualquer outra é limitada e frágil, porém tenho que reconhecer sua lógica e coerência, mas mesmo assim uma possibilidade entre tantas outras.

    ResponderExcluir
  79. PAULINHA

    Suas palavras são incompatíveis com suas atitudes, pois se realmente o assunto deus lhe cansa, porque você acabou de escrever sobre ele em seu blog???
    (te peguei PAULINHA!!! Rsrsrsrss)

    Na verdade o que lhe cansa não é falar sobre deus, pois se você crer nele e o adora, você deveria amar falar sobre ele, mas o que lhe cansa é o modo como eu escrevo sobre deus, que é na verdade uma afronta para aqueles que nele crêem. Rsrsrsrsrs

    Sua fala: “Mas pra mim ELE EXISTE. Não porque o vejo, mas eu creio que Ele existe..ele existe dentro de mim, em meu coração...e pelo fato de eu crer, Ele existe, pelo menos para mim!”

    Minha resposta: Quer dizer que seu crer que gnomos existem, eles passaram a existir por simplesmente eu crer que eles existem???

    A grande questão de deus não é “se ele existe para MIM?”, mas é “deus existe como ser concreto na realidade da existência?”.

    Oras PAULINHA, dizer que uma coisa existe só porque se acredita que ela exista, não torna ela real na existência, se não, teríamos de admitir que gnomos, fadas, duendes e outras tantas esquisitices existam também, e que os loucos que estão nos hospícios não são loucos, e não deveriam lá esta por simplesmente acreditarem no que eles acreditam.

    A pergunta que eu tinha feito para você era: “Uma criança que nasce com câncer, ou síndrome de down, que culpa tem ela de nascer assim, sendo que a mesma não pediu para nascer?!”

    E você saiu pela tangente ao responder: “Nenhuma. Mas, nem nós pedimos parar nascer também, simplesmente aceitamos a vida que nos foi dada”.

    Mas a questão que levantei na pergunta, dizia em relação a deus, porque você disse que deus não tinha culpa nenhuma, sendo toda culpa nossa, por isso eu perguntei que culpa tem a criança nascer com câncer ou AIDS, ou seja, nenhuma!
    Mas e deus??? Como é que fica a responsabilidade de deus diante de uma frágil e inocente criança que com uma doença incurável????

    Entendeu agora??? Rsrsrsrsrs

    Sua fala: “entre crer e não crer, eu já escolhi crer, pois este é o mais profundo desejo do meu coração....me sinto bem e feliz! Graças a DEUS!!!”

    Minha resposta: Eu sei PAULINHA, pois toda crença esta embasada não na realidade e nem na razão, mas simplesmente no desejo de se acreditar.

    Se você se sente feliz em acreditar em deus, que continue crendo, pois assim são todos os fracos e doentes que precisam de alguma crença para se sentirem confortáveis e seguro em um mundo totalmente inseguro e angustiante, iguais a crianças que acreditam na ilusão do mundo das suas imaginações.

    Sempre o abrir os olhos para a realidade trás angustia, dor e tristeza, mas acredite, com o tempo você aprende a dar sentido em sua vida por você mesmo, e não acreditando num amiguinho imaginável fora de você – deus!!!

    Abraços

    Obs: Graças a deus que eu não acredito mais em deus. Rsrsrsrsrsrsr

    ResponderExcluir
  80. DUZINHO

    Mas o desejo sempre existente no ser humano de transcender sua própria morte não é puro instinto de sobreviver depois da morte???

    Daí, do desejo de sobreviver à própria morte é que os homens talvez tenham criado um mundo e deuses em outra dimensão e “realidade”, você não acha???

    ResponderExcluir
  81. MARCIO

    Um ateu, jamais escreveria o que escrevi lá no blog "Ensaios & Prosas".

    O título da postagem: "NÃO FAÇAS IMAGEM DE MIM", já é uma resposta ao teu questionamento a meu respeito(rsss)

    Se quiseres conferir, eis aí o link:

    http://levibronze.blogspot.com/2010/11/nao-facas-imagem-de-mim.html

    ResponderExcluir
  82. Marcinho,

    você disse: "GUIOMAR

    O LEVI não te respondeu e nem te responderá, porque ele é ateu....na verdade, não precisaria nem perguntar ainda, só pelas palavras dele já estão postas tão claramente como a luz do dia. Hahahahahhaha"

    Não foi isto que ele me disse quando perguntei em um comentário no blog dele, no ensaio: "Um Sentimento Indestrutível."

    Eu: "amigo você ainda crer em Deus?"

    Levi:
    Prezada Guiomar

    Sobre a sua pergunta:

    "Amigo, você ainda crer em Deus?"

    Antigamente cria como criança. Hoje creio como adulto. Mas, de vez em quando sonho com o velho Deus de barba longa e vestes brancas compridas.

    Entendo que se pessoas com a bagagem cultural do Levi abraçam o ateismo, é um fortalecimento para aqueles que estão cheios de dúvidas e conflitos quando ao silêncio de Deus e a Sua existência. No entanto, querido, aqueles que têem um dia a dia com Deus, que buscam comunhão com Ele, serão inbaláveis, porque vivenciam algo mais forte que suposições. Vivenciam o próprio Deus!

    Eu O amo com todo meu coração e tenho desfrutado nestes dias do mover dEle, de uma forma inconfundível.
    Beijão.

    ResponderExcluir
  83. kkkkkkkkkkkkkkkk Respondi ao Márcio e fui ler os outros comentários, percebi que alguns já estão saboreando o meu engaiolamento nesta gaiola que não "cabe" Deus.

    Levi dise:

    "O que te move a sempre frequentar essa nossa mesa totêmica, por acaso, não é o sabor da comida que serve por aqui???"

    Talvez seja o "totens ciência e cultura" rsrs. Por outro lado, eu amo vocês e isto é o mais importante.

    Gostaria de ter respostas completas sobre partes dos meus comentários que não foram tocadas.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  84. Nao Marcio! "minha" teoria é epacial, veio das estrelas, e criado por outros seres diferentes de nós! dããã!

    ResponderExcluir
  85. Gabriel, você disse:

    "E, além disso, o máximo que se prova no seu caso é telepatia (o quê seria uma grande descoberta rsrs). Afinal, foram PESSOAS falando."

    Será que você realmente está com toda esta capacidade de afirmar a origem da profecia?

    Ainda que você classifique como anedota... eu mesma ja recebi mensagens de Deus para determinadas pessoas que se cumpriram a risca.
    E uma delas que foi muito forte, eu preferi esperar o resultado, só depois que aconteceu é que eu compartilhei o que Deus já havia me falado.
    Para mim é uma irresponsabilidade muito grande afirmar Deus falou, quando Ele não falou e Deus não tem compromisso com nenhuma "profetada", mas quando Ele fala, Ele cumpre.

    Beijão pra tu.

    ResponderExcluir
  86. marcinho, aí tudo o que se diga é mesmo especulação. será que é somente o desejo de sobrevivência após a morte que levou o homem a criar os deuses e a religião?

    essa não é a questão mais importante para mim. o que mais me deixa fascinado é o sentimento em si não provocado mas já herdado em nossa constituição psiquica(o que não é uma afirmação absoluta mas muito possível). talvez o desejo de sobreviver `a morte venha exatamente do sentimento e não o contrário.

    marcinho, quando você disser que este julgamento já deu o que tinha que dá me avisa que eu vou postar um texto bem levinho e sem especulação nenhuma...rssss

    mas você precisa deixar o seu veredito...

    eu até quero continuar a discutindo sobre religião e sobre deus, só que quero fazer isso em um outro nível. estou lendo alguns livros e logo volto de novo ao "batente", mas definitivamente, nesse nível primário, não quero mais discutir o assunto, talvez alguns crentes que começam agora a se questionar tenham nele um prato cheio, mas para mim já deu mesmo, entendeu?

    abraços

    ResponderExcluir
  87. Guiomar, me diz uma coisa que eu sempre tive curiosidade nos meus tempos de crente pentecostal:

    como o profeta pode ter certeza que a mensagem vem de Deus e não de alguma outra instância como o inconsciente? eu acredito que nosso psiqué tem "poderes" especiais que na verdade não tem nada de sobrenatural, só não é explorado pela maioria das pessoas.

    e aí, como ter certeza que é o "Deus exterior" falando e não o "Deus interior" se manifestando?

    ResponderExcluir
  88. MARCINHO,

    Você é bem espertinho né...vai em meu blog curiar o que tem por lá..e vem tirar uma onda na minha "cara" aqui né ...hahaaaaa....mas porque você não deixou um comentário lá para debate?!....kkkkk...

    Mas meu amigo, de tudooo o que você disse, eu já refleti...já opinei...já ouvi...e confesso que já passei pelo processo CPFG....mas hoje, eu tenho a minha decisão...que é CRER.

    Tive mil escolhas a um tempinho atrás...poderia não crer mais, poderia me tornar uma atéia...enfim, mas eu ainda resolvi crer...este foi o meu desejo...assim como você desejou e ansiou não crer mais, eu desejei crer.

    A decisão do CRER Marcinho, não é somente uma decisão para os fracos ou doentes incapazes de viver a realidade...a decisão do crer, é apenas uma decisão pessoal.

    Tem pessoas que crêem em Deus, e apenas agradecem a Deus por cada dia, sem nada pedir..sem nada esperar....simplesmente por escolha e não por fraqueza.

    O que acontece, é que para você..o fato da pessoa crer, é o fato de estar fraca. É o fato de necessitar de um "ser imaginário" para se fortalecer...mas não é em todo o caso que funciona assim. Cada caso é um caso.

    Pois dizer isto, é generalizar...ou é o mesmo que eu dizer que todo ATEU é um decepcionado com a vida..estou certa na meu julgamento?! Claro que não. Mas caio no erro quando generalizo!

    Mas de tudo Marcio..deixo claro que as "tangentes" é prova que não quero entrar em detalhes e muito menos debater algo que em minha consciência está tudo muito bem trabalhado.

    Não sou engaiolada..nem alienada...não espero por milagres...não faço de Deus uma fonte de pedidos de desejos....enfim, eu tenho uma fé tãoo saudável, que gostaria de transmití-la para as pessoas..e assim não estaria tentando arrancar delas, o que elas ainda tem de tão bonito!

    Só uma pergunta para você meu amigo:

    Qual o problema de uma pessoa crer em Deus...crer que Ele existe?!

    Eu não vejo problema, assim como não vejo problema na pessoa que não crê.

    O ateu passa uma vidaaa tentando provar que Deus não existe, e o crente passa uma vida tentandoo provar que Deus existe...enfim, quem está com a razão?!

    Estamos no mesmo barco.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  89. LEVI

    Assim que eu tiver um tempinho, com certeza estarei lendo sua postagem...é que agora eu tenho pouco tempo, e o pouco tempo que me resta na net esta sendo para responder aos comentários.

    Agora não adianta querer tampar o sol com a peneira meu grande amigo, dês que eu te conheci, já achava você um ateu, agora não me resta mais duvidas, mas você espertinho como sempre esta querendo dar um jeitinho não é mesmo??!! Rsrsrsrsrsrs

    Abraços

    ResponderExcluir
  90. GUIOMAR

    A resposta do LEVI a você, onde ele diz que “cria antigamente como criança, e hoje como adulto”, é no sentido que ele já vem explicado há muito tempo, que deus não passa de uma projeção criada pela nossa mente, interiorizada pela nossa subjetividade, mas jamais uma realidade fora de nós vivendo no universo, nem muito menos em um céu fantasiado pela fértil imaginação humana.

    ResponderExcluir
  91. Outra coisa GUIOMAR, você não respondeu aos meus comentários feitos a você....

    Gostaria que você respondesse, ok????

    Abraços

    ResponderExcluir
  92. DUZINHO

    Duvido muito que se nós pegássemos uma criança recém nascida, e déssemos um jeito dela nunca ouvir a palavra deus, se ela iria um dia em sua vida crer em deus.

    Mas tenho que concordar contigo na questão da onde veio a crença universal dos deuses que realmente é muito enigmática, mas dizer que nós fomos programados para crer também não faz sentido, pois hoje o mundo se tornou universalmente religioso.

    Agora eu não entendo você dizer que este debate esta em um nível primário.....oras a questão da existência de deus já é por si só, enigmática e muito complexa, imagina juntando se a isto a problemática universal do mal e sofrimento....por isso eu confesso não entender seu rotulo de primário para essas questões milenarmente discutidas.....e melhor você admitir como admitiu que perdeu o tesão de debatê-las ou será que seria pré-conceito com o modo sempre provocativo que escrevo????

    Quanto a colocar sua postagem, demorou, pode colocar.

    ResponderExcluir
  93. PAULINHA

    Só se for para deixar o comentário anterior que eu fiz a você aqui, pois tem tudo haver com sua postagem também. Kkkkkkkkkkkk

    Sua fala: “poderia não crer mais, poderia me tornar uma atéia...enfim, mas eu ainda resolvi crer...este foi o meu desejo...assim como você desejou e ansiou não crer mais, eu desejei crer”.

    Minha resposta: Acontece que o não crer ou descrer nunca é desejado, pelo contrário!
    Sempre é remar contra a maré do desejo quem decide não crer mais, por justamente ser incompatível o crer com a realidade da existência.

    O ateísmo não esta embasado no desejo de não crer mais ou em alguma espécie de fé, mas na constatação da realidade e racionalidade.

    Sendo assim eu lhe pergunto:
    Qual o mais racional e lógico, acreditar que deus existe, mesmo sem ter provas disto, ou não acreditar até que provem???

    Pois se deus existe é possível provar sua existência, mas, se ele não existe, segue-se impossível tanto a prova de sua existência como não existência, porque se ele não existe, como provar que ele não existe, se ele realmente não existe????


    Sua fala: “A decisão do CRER Marcinho, não é somente uma decisão para os fracos ou doentes incapazes de viver a realidade...a decisão do crer, é apenas uma decisão pessoal”.

    Minha resposta: Claro que a decisão de crer passa pela decisão pessoal, isto não se discuti, porém, o que eu estou dizendo é que, é justamente uma decisão pessoal, onde a pessoa escolhe crer pelo desejo de crer, e não porque é tão real e evidente, pois se assim fosse, não precisaria de fé para se crer em deus, mas como precisa, então se segue que é uma ilusão fantasiada pelo desejo de crer.

    Sua fala: “O que acontece, é que para você..o fato da pessoa crer, é o fato de estar fraca. É o fato de necessitar de um "ser imaginário" para se fortalecer”.

    Minha resposta: Oras PAULINHA, se o crer está embasado no desejo de crer, porque a pessoa desejaria crer em deus então??

    Não seria pelo fato de não ter força ou não encontrar sentindo em si mesma, precisando de algo fora dela – no caso de deus, um amiguinho imaginável – para ter sentido ou consolo, ou força???

    Qual seria outra motivação fraca e doentia que leva a pessoa a crer em deus???

    Sua fala: “Mas de tudo Marcio..deixo claro que as "tangentes" é prova que não quero entrar em detalhes e muito menos debater algo que em minha consciência está tudo muito bem trabalhado”

    Minha resposta: Se realmente esta tudo resolvido em sua mente, porque não debater???

    Será que o fato de você não querer debater sobre deus, não é uma prova contundente de que na verdade não está tão bem resolvido assim???

    É a mesma coisa de um crente que passa longe de livros de filosofia, justamente por sua fé ser frágil, tem medo de expo-lá e questiona – lá...não seria este o seu caso???

    Sua fala: “Qual o problema de uma pessoa crer em Deus...crer que Ele existe?!”

    Minha resposta: O problema da ilusão que se cria na mente da pessoa, deixando-a fraca e dependente da idéia fantasiosa de deus.

    Sua fala: “O ateu passa uma vidaaa tentando provar que Deus não existe, e o crente passa uma vida tentandoo provar que Deus existe...enfim, quem está com a razão?!”

    Minha resposta: Pode até ser que isto ocorra com alguns ateus, mas a maioria não tenta provar, por um simples argumento:
    Pode-se provar que gnomos não existe?
    Claro que não! Pois se eles não existem, como irá provar que eles não existem???

    A mesma coisa se aplica em deus.....é tão burrinho o ateu quanto o crente que tenta provar o improvável: deus!!!

    Abraços

    ResponderExcluir
  94. Segue meu comentário:

    http://freetas.blogspot.com/2010/11/quero-deixar-bem-claro-que-repasso-esse.html#links

    ResponderExcluir
  95. Marcio,

    Aqui o 'fachinha" acho que ta na hora de voce trocar esse meu apelido rsrsrs, Desculpa a demora pra responder, mas segue abaixo minhas respostas.

    Voce perguntou “a inexistência de prova, não seria a prova da inexistência de deus??”,
    Respondo: não necessariamente pois se for assim posso usar esse argumento para a falta de prova da inexistência de Deus, ou você tem alguma prova de que Deus não existe? Se não tiver eu te pergunto “a inexistência de prova de que Deus não existe, não seria a prova da existência de Deus??”,

    Agora Marcio, supondo que realmente Deus não exista, como você explica a existência de tudo? Acidente? Obra do acaso?
    Vou te trazer um raciocínio que encontrei quando pesquisava sobre isso, é do teólogo William Paley onde ela narra assim:

    ““Ao atravessar uma mata, suponha que tropeço numa pedra e me perguntam como foi ela ali parar. Poderia talvez responder que, tanto quanto me é dado a saber, a pedra sempre ali esteve; e talvez não fosse muito fácil mostrar o absurdo desta resposta. Mas suponha que eu tinha encontrado um relógio no chão e procurava saber como podia ele estar naquele lugar. Muito dificilmente me poderia ocorrer a resposta que tinha dado antes — que, tanto quanto me era dado saber, o relógio poderia sempre ali ter estado. Contudo, por que razão esta resposta, que serviu para a pedra, não serve para o relógio? Por que razão não é esta resposta tão admissível no segundo caso como no primeiro? Por esta razão e por nenhuma outra: a saber, quando inspecionamos o relógio, vemos (o que não poderia acontecer no caso da pedra) que as suas diversas partes estão forjadas e associadas com um propósito; por exemplo, vemos que as suas diversas partes estão fabricadas e ajustadas de modo a produzir movimento e que esse movimento está regulado de modo a assinalar a hora do dia; e vemos que se as suas diversas partes tivessem uma forma diferente da que têm, se tivessem um tamanho diferente do que têm ou tivessem sido colocadas de forma diferente daquela em que estão colocadas ou se estivessem colocadas segundo uma outra ordem qualquer, a máquina não produziria nenhum movimento ou não produziria nenhum movimento que servisse para o que este serve. […] Tendo este mecanismo sido observado […], pensamos que a inferência é inevitável: o relógio teve de ter um criador; teve de existir num tempo e num ou noutro espaço, um artífice ou artífices que o fabricaram para o propósito que vemos ter agora e que compreenderam a sua construção e projetaram o seu uso. […] Pois todo o sinal de invenção, toda a manifestação de desígnio, que existia no relógio, existe nas obras da natureza, com a diferença de que na natureza são mais, maiores e num grau tal que excede toda a computação. Quero dizer que os artefatos da natureza ultrapassam os artefatos da arte em complexidade, em sutileza e em curiosidade do mecanismo; e, se possível, ainda vão mais além deles em número e variedade; e, no entanto, num grande número de casos não são menos claramente mecânicos, não são menos claramente artefatos, não são menos claramente adequados ao seu fim ou menos claramente adaptados à sua função do que as produções mais perfeitas do engenho humano. […] Em suma, após todos os esquemas e lutas de uma filosofia relutante, temos necessariamente de recorrer a uma Deidade. Os sinais de desígnio são demasiado fortes para serem ignorados. O desígnio tem de ter um projetista. Esse projetista tem de ser uma pessoa. Essa pessoa é Deus.”

    ResponderExcluir
  96. Marcio,

    Aqui é o "fachinha", ta na hora de voce trocar esse meu apelido hein... Desculpa a demora pra responder, mas segue abaixo minhas respostas.

    Voce perguntou “a inexistência de prova, não seria a prova da inexistência de deus??”,
    Respondo: não necessariamente pois se for assim posso usar esse argumento para a falta de prova da inexistência de Deus, ou você tem alguma prova de que Deus não existe? Se não tiver eu te pergunto “a inexistência de prova de que Deus não existe, não seria a prova da existência de Deus??”,

    Agora Marcio, supondo que realmente Deus não exista, como você explica a existência de tudo? Acidente? Obra do acaso?
    Vou te trazer um raciocínio que encontrei quando pesquisava sobre isso, é do teólogo William Paley onde ela narra assim:

    ““Ao atravessar uma mata, suponha que tropeço numa pedra e me perguntam como foi ela ali parar. Poderia talvez responder que, tanto quanto me é dado a saber, a pedra sempre ali esteve; e talvez não fosse muito fácil mostrar o absurdo desta resposta. Mas suponha que eu tinha encontrado um relógio no chão e procurava saber como podia ele estar naquele lugar. Muito dificilmente me poderia ocorrer a resposta que tinha dado antes — que, tanto quanto me era dado saber, o relógio poderia sempre ali ter estado. Contudo, por que razão esta resposta, que serviu para a pedra, não serve para o relógio? Por que razão não é esta resposta tão admissível no segundo caso como no primeiro? Por esta razão e por nenhuma outra: a saber, quando inspecionamos o relógio, vemos (o que não poderia acontecer no caso da pedra) que as suas diversas partes estão forjadas e associadas com um propósito; por exemplo, vemos que as suas diversas partes estão fabricadas e ajustadas de modo a produzir movimento e que esse movimento está regulado de modo a assinalar a hora do dia; e vemos que se as suas diversas partes tivessem uma forma diferente da que têm, se tivessem um tamanho diferente do que têm ou tivessem sido colocadas de forma diferente daquela em que estão colocadas ou se estivessem colocadas segundo uma outra ordem qualquer, a máquina não produziria nenhum movimento ou não produziria nenhum movimento que servisse para o que este serve. […] Tendo este mecanismo sido observado […], pensamos que a inferência é inevitável: o relógio teve de ter um criador; teve de existir num tempo e num ou noutro espaço, um artífice ou artífices que o fabricaram para o propósito que vemos ter agora e que compreenderam a sua construção e projetaram o seu uso. […] Pois todo o sinal de invenção, toda a manifestação de desígnio, que existia no relógio, existe nas obras da natureza, com a diferença de que na natureza são mais, maiores e num grau tal que excede toda a computação. Quero dizer que os artefatos da natureza ultrapassam os artefatos da arte em complexidade, em sutileza e em curiosidade do mecanismo; e, se possível, ainda vão mais além deles em número e variedade; e, no entanto, num grande número de casos não são menos claramente mecânicos, não são menos claramente artefatos, não são menos claramente adequados ao seu fim ou menos claramente adaptados à sua função do que as produções mais perfeitas do engenho humano. […] Em suma, após todos os esquemas e lutas de uma filosofia relutante, temos necessariamente de recorrer a uma Deidade. Os sinais de desígnio são demasiado fortes para serem ignorados. O desígnio tem de ter um projetista. Esse projetista tem de ser uma pessoa. Essa pessoa é Deus.”

    ResponderExcluir
  97. continuação...

    Você já parou pra pensar como os seres vivos são tão perfeitos para serem obra do acaso, analise o planeta Terra, está no centro do sol e da lua, girando em rotação para ter dia e noite, e girando em translação para as quatro estações do ano, tudo isso para que o planeta possa ter condições de ser habitada por seres vivos e produzir alimentos. Veja outros pontos que pesquisei sobre o corpo humano:
    •o milagre do cérebro, com o coeficiente de bilhões de células;
    •o aparelho elétrico do sistema_nervoso, com os gânglios à maneira de interruptores e células sensíveis por receptores em circuito especializado, com os neurônios sensitivos, motores e intermediários, que ajudam a graduar as impressões necessárias ao progresso da mente encarnada, dando passagem à corrente nervosa, com a velocidade aproximada de setenta metros por segundo;
    •a câmara ocular, onde as imagens viajam, da retina para os recônditos do cérebro, em cuja intimidade se incorporam às telas da memória, como patrimônio inalienável do espírito;
    •o parque da audição, com os seus complicados recursos para o registro dos sons e para a fixação deles nos recessos da alma, que seleciona ruídos e palavras, definindo-os e catalogando-os na situação e no conceito que lhes são próprios;
    •o centro da fala;
    •a sede miraculosa do gosto, nas papilas da língua, com um potencial de corpúsculos gustativos que ultrapassa o número de 2.000;
    •as admiráveis revelações do esqueleto ósseo;
    •as fibras musculares;
    •o aparelho digestivo;
    •o tubo intestinal;
    •o motor do coração;
    •o caprichoso sistema_sangüíneo, com os seus milhões de vidas microscópicas e com as suas artérias vigorosas, que suportam a pressão de várias atmosferas;
    •o avançado laboratório dos pulmões;
    •o precioso serviço de seleção dos rins;

    Voce não concorda comigo que o raciocínio do teólogo William Paley está correto, e que tudo o que existe foi projetado e criado por alguém?

    abraaços

    Marcus.

    ResponderExcluir
  98. Marcinho,

    "A resposta do LEVI a você, onde ele diz que “cria antigamente como criança, e hoje como adulto”, é no sentido que ele já vem explicado há muito tempo, que deus não passa de uma projeção criada pela nossa mente, interiorizada pela nossa subjetividade, mas jamais uma realidade fora de nós vivendo no universo, nem muito menos em um céu fantasiado pela fértil imaginação humana."

    O que Levi respondeu no comentário está cristalino, se ele mudou de idéia, somos mutantes...
    Vou responder sim, a coisa é que encontrei vários comentários e não me deu tempo de responder tudo.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  99. Edu,
    "como o profeta pode ter certeza que a mensagem vem de Deus e não de alguma outra instância como o inconsciente? eu acredito que nosso psiqué tem "poderes" especiais que na verdade não tem nada de sobrenatural, só não é explorado pela maioria das pessoas."

    Você sabe que é uma experiência profundamente subjetiva, no entanto, quando nós estamos em comunhão com Deus e o Espírito de Deus começa a falar ao nosso coração para comunicar algo é como se todo nosso ser recebesse um alerta, ficamos então, totalmente envolvidos pelo Espírito e a palavra vem clara ao nosso coração ou audível.

    Veja bem, como poderia está no meu inconsciente que uma pessoa ainda jovem, que está lá em BH, com quem eu não tenho nenhum relacionamento iria morrer? Foi exatamente o que Deus me falou, que aquela pessoa iria morrer.

    Daí pouco tempo, eu estou numa festa super contente, brincando, rindo, no meio de vários amigos e irmãos meus de sangue, que pouco temos oportunidade de nos ver, porque moramos em cidades distantes, ai me bate uma tristeza profunda e a certeza que alguém morreu, quando chego em casa que entro no computador, está o recado para mim, do filho daquela pessoa dizendo que ela havia morrido.

    Eu lhe pergunto o meu inconsciente tem poder de matar pessoas que eu não tenho nem um motivo para desejar sua morte, nem poder graças a Deus?

    Quando eu estava na Bolívia, estava vivendo momentos terríveis com a recuperação de rapazes. Um moço, lá em Recife, viu meu nome em um jornal, nem sei qual e Deus lhe falou: ore por essa moça.
    Ele procurou a direção do jornal, localizou meu endereço e me escreveu perguntando o que eu estava vivendo... Nós nunca nos conhecemos até hoje, mas ele obedeceu ao Senhor, graças a Deus.

    Seria o inconsciente?

    Edu, eu contaria mil experiências para você, fantásticas, que provam que Deus fala. Agora também já ouvi muita gente falando em nome de Deus por infantilidade, ignorância e desejo de ser profeta, por esse motivo existe muita gente decepcionada, frustrada, afastado-se de Deus.

    Tem aquela coisa também de discernimento. Por exemplo eu já orei com um pastor, homem sério, reponsável, que falou um montão de coisas que iriam acontecer comigo no meu ministério, mas eu tive certeza que era desejo dele apenas, e realmente nada se cumpriu.
    Portanto, eu não saio por ai comprando tudo e nem acredito em muitas manifestações ruidosas que andam se desenvolvendo ai em muitas igrejas.
    Já tive minhas emoções desequilibradas, graças a Deus hoje eu procuro discernir.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  100. MARCIO

    Um ateu, jamais escreveria o que escrevi lá no blog "Ensaios & Prosas".

    O título da postagem: "NÃO FAÇAS IMAGEM DE MIM", já é uma resposta ao teu questionamento a meu respeito(rsss)

    Se quiseres conferir, eis aí o link:

    http://levibronze.blogspot.com/2010/11/nao-facas-imagem-de-mim.html

    Marcinho, você não tem em Levi um aliado ateu...
    Me alegro muito com isto.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  101. Edinhooooooooooo,tava fazendo falta amigo.

    você disse: "Não seriam loucos, esquizofrênicos e psicóticos, aqueles que ouvem a vós de Deus. É sabido que até o próprio Paulo (apóstolo) sofria de ataques epiléticos com a tal chamada "aura estática" (que é uma sensação prazeirosa...transcendental, e por que não dizer...divina, como dizia Dostoiévski)"

    Me conta aonde você viu que o Paulo tinha ataques epiléticos? Não apela né?

    Beijão.

    ResponderExcluir
  102. Gui, vou fazer minha avaliação de suas experiências. Vamos lá:

    Você sabe que é uma experiência profundamente subjetiva, no entanto, quando nós estamos em comunhão com Deus e o Espírito de Deus começa a falar ao nosso coração para comunicar algo é como se todo nosso ser recebesse um alerta, ficamos então, totalmente envolvidos pelo Espírito e a palavra vem clara ao nosso coração ou audível.

    Veja bem, como poderia está no meu inconsciente que uma pessoa ainda jovem, que está lá em BH, com quem eu não tenho nenhum relacionamento iria morrer? Foi exatamente o que Deus me falou, que aquela pessoa iria morrer.
    Você afirma que não tem nenhum relacionamento, mas a conhecia, certo? Era filho de alguém que você conhecia.

    Daí pouco tempo, eu estou numa festa super contente, brincando, rindo, no meio de vários amigos e irmãos meus de sangue, que pouco temos oportunidade de nos ver, porque moramos em cidades distantes, ai me bate uma tristeza profunda e a certeza que alguém morreu, quando chego em casa que entro no computador, está o recado para mim, do filho daquela pessoa dizendo que ela havia morrido.
    Esta foi uma morte repentina, ou essa pessoa já estava em condições ruins, algo como uma doença ou um vício? Foi realmente uma surpresa para todos, ou era algo minimamente esperado?

    Eu lhe pergunto o meu inconsciente tem poder de matar pessoas que eu não tenho nem um motivo para desejar sua morte, nem poder graças a Deus?
    O máximo que essa experiência levantaria era que coisas estranhas acontecem. Algum tipo de conexão mental, de alguma forma a informação da morte iminente de outra pessoa chegou até você. Por quê seria, necessariamente, Deus? E se for algo natural, uma espécie de telepatia? Por quê você assume logo de cara a opção mais complexa, que é Deus te fazendo fofoca (ora, qual outro motivo ele teria de te ficar falando que alguém vai morrer?).

    Quando eu estava na Bolívia, estava vivendo momentos terríveis com a recuperação de rapazes. Um moço, lá em Recife, viu meu nome em um jornal, nem sei qual e Deus lhe falou: ore por essa moça.
    Por quê seu nome estava no jornal? Algo indicava que você estava na Bolívia recuperando pessoas? Se sim, é facilmente deduzido que você estava em dificuldades

    Ele procurou a direção do jornal, localizou meu endereço e me escreveu perguntando o que eu estava vivendo... Nós nunca nos conhecemos até hoje, mas ele obedeceu ao Senhor, graças a Deus.
    Novamente, qualquer intuição, qualquer fenômeno estranho é atribuido a um ser divino, mais especificamente, o deus judaico-cristão

    Seria o inconsciente?
    Seria telepatia, seriam espíritos, seria coincidência, seriam duendes? Ora, a verdade é que dizer que "Deus me falou" não explica nada, pois apenas adiciona-se um ser mais complexo ainda do quê os eventos.

    ResponderExcluir
  103. Gabriel,

    Não sei em qual comentário, falei de Jericó que no seu lugar foi construido Iraque, perdoe-me foi um equívoco.

    A maldição:

    "Maldito diante do Senhor seja o homem que se levantar e reedificar esta cidade de Jericó; com a perda do seu primogênito lhe porá os fundamentos e, a custa do mais novo, as portas. Josué 6.26.

    Cumprimento:
    "Hiel, o betelita, edificou a Jericó; quando lhe lançou os fundamentos, morreu-lhe Abirão, seu primogênito; quando lhe pôs as portas, morreu Segube, seu último, segundo a palavra do Senhor, que falara por intermédio de Josué. filho de Num.
    "1 Reis 16.34).

    Veja o que diz a Wikipedia:http://en.wikipedia.org/wiki/Babylon#Reconstrucion

    "Babilônia (Βαβυλών grego, acádio: Babili, Babilla) foi uma cidade-estado da antiga Mesopotâmia, os restos mortais dos quais são encontrados na atual Al Hillah, província de Babil, Iraque, cerca de 85 km (55 milhas) ao sul de Bagdá. Tudo o que resta da antiga cidade de Babilônia original famoso hoje em dia é um monte, ou dizer, de edifícios de tijolos quebrados e entulho na fértil planície da Mesopotâmia entre os rios Tigre e Eufrates. A própria cidade foi construída sobre o Eufrates, e dividido em partes iguais ao longo de suas margens esquerda e direita, com taludes íngremes para conter as enchentes periódicas do rio."

    Parece que as profecias não falharam né?

    mas se você quiser você faz falhar kkkkkkkkk Beijo.

    ResponderExcluir
  104. BEM, COMO O ASSUNTO ESTÁ RENDENDO, VAMOS CONTINUAR CONVERSANDO E QUE SE DANE O MEU TEXTO...KKKKKK

    Marcinho, não entendi bem o que você quis dizer com

    "mas dizer que nós fomos programados para crer também não faz sentido, pois hoje o mundo se tornou universalmente religioso."

    beeim, é exatamente por isso que toda sociedade humana tinha algum tipo de religião e ainda hoje, em plena era científica, a religião continua firme e forte, está no DNA(considere isto uma ênfase enfática...rs)

    eu disse que a discussão era infantil por que você está querendo julgar javé ou jesus,mas aí você me chamou a atenção por ter uma cadeira vazia da qual eu deduzi que você estava julgando um deus que nem existir existia...

    é ou não é infantil e inútil?

    e além do mais, todos nós sabemos que os deuses(todos eles) sao representações de algo maior, de algo que pulsa em nossa psiqué e sentimento: a transcendência, logo, esse julgamente para nós da confraria não faz sentido.

    bem, mas como eu não sou cabeça dura, posso reconhecer que o texto pode servir de discussão com os fundamentalistas, e é por isso que para mim não dá mais tesão discutir pois como você sabe, eu já passei longe do fundamentalismo cristão assim como você e a maioria da confraria.

    então como eu vou defender um deus que eu sei que é apenas uma representação? mas é claro, para quem crê no deus da bíblia como existente o assunto caberia.

    dá bom assim para você meu pupilo?

    gostaria de ver você usando essa tua inteligência sagaz e perspicaz para debatermos o que de fato podemos discutir:

    por que o homem é e sempre foi religioso? esqueça os deuses e discuta a origem dos deuses. mas se quiser discutir com fundamentalistas, então está certo, use o deus da bíblia.

    mas vou de dar uma dica: descontrua o deus bíblico pela própria bíblia, isso sim seria interessante e convenceria aqueles que tem uma fé infantil a ter um fe´mais madura como disse o LEVI, uma fé de adulto.

    você me perguntou se uma criança fosse criada sem ouvir falar de deus ela talvez não manifestaria o sentimento religioso, sobre isso eu diria:

    quem ensinou ao primeiro homem religioso que ele deveria ser religioso?

    ResponderExcluir
  105. GUI E GABRIEL, AGORA É PARA VOCÊS:

    Gui, como eu te disse, eu vivi no meio pentecostal por décadas e também já vi muitos fenômenos como estes que você relatou, então, eles não são novidades para mim; fenômenos parecidos e até mais fantástico acontece no meio budista, hinduísta, etc.

    já ouviu falar do paul yong cho que agora se chama david yung cho? o autor do best-seller cristão "A Quarta Dimensão"?

    ele diz lá no seu livro que quando se converteu ao cristianismo ele era budista e quando começou o seu ministério ficava apreensivo em manifestar fenômenos espirituais para os que lhe ouviam pois todos eles estavam acostumados a ver tais fenômenos no budismo.

    vou seguir por enquanto a linha de argumentação do GABRIEL, ANJO MALDITO E SEM ASAS...

    por que tais fenômenos viria de deus? e se no meio cristão vem de deus, no meio budista ou hindu vem de quem?

    agora, BILL, permita-me comentar sua frase:

    "O máximo que essa experiência levantaria era que coisas estranhas acontecem."

    bem, pode ser mesmo estranho, mas é um fenômeno bem interessante. chamá-lo de "estranho" esvazia-lhe o conteúdo fenomenológico.

    eu também não saberia ver qualquer serventia em deus me dizer que fulano vai morrer se eu não tiver nenhum poder de alterar tal evento, ainda mais alguém distante.

    minha esposa sonhou que a avó dela morria e no dia seguinte ela morreu. bem, pelo menos o sonho permitiu que ela pudesse ficar minimamente preparada se de fato, acontecesse. aliás, minha esposa é meio vidente através de sonhos; muitos sonhos que ela tem acaba acontecendo mas eu não reputo isso a mensagem de deus. creio que deus tem coisas mais importantes para fazer do que ficar mandando sonhos e visões para as pessoas de fatos que não poderão ser mudados.

    então para mim, isso são fenômenos do nosso inconsciente que ao que parece, é capaz de fazer coisas bem "estranhas"...rss

    ResponderExcluir
  106. Eduardo, é como eu disse, o máximo que essas experiências anetódicas demonstram é que "coisas estranhas acontecem". Ocorre que, como você sabe, antigamente até trovão era algo estranho demais.

    Como adoto uma postura cética, não aceito nem nego a princípio. Não consigo olhar para um caso destes e dizer "Foi Deus" ou "Foi telepatia". É preciso MUITO mais que isso, muita ciência, investigação.

    A questão é que até hoje ninguém conseguiu reproduzir tais fenômenos em laboratório, com a devida monitoração e pré-requisitos básicos para que fraudes e enganos sejam evitados. E como você disse, povos de TODAS as religiões informam casos parecidos, e cada um dá sua explicação para o fenômeno, mas, de fato, nenhum consegue provar que a sua é melhor que a outra.

    Alguns sentem-se satisfeitos com respostas simplistas ao que faria tais fenômenos funcionarem, mas historicamente nós nos enganamos todas as vezes que fizemos isto. É muito mais interessante e seguro adotar uma postura cética, e buscar explicações mesmo, indo a fundo.

    Um exemplo é o caso de sonhar que alguém vai morrer. Ora, todo mundo sonha que alguém vai morrer um dia, principalmente se for um filho de mãe doente. Isso é comum. Ocorre que, quando um destes sonhos se torna realidade, a pessoa acha que teve uma premonição. Mas é fato que milhões de outras pessoas sonharam a mesma coisa, e nada ocorreu.

    O caso da Gui, ainda está anedótico demais. Ela não ofereceu todos os dados possíveis, de modo que temos que confiar em seu relato e em suas memórias, coisas que são provadas falhas (para qualquer pessoa). Para se aceitar isto cientificamente, é preciso muito mais.

    ResponderExcluir
  107. MARCIO

    Há um hino que meus pais sempre cantavam. Eu me lembro que o seu estribilho dizia: “Deus está nas SOMBRAS”

    A nossa consciência é como um frágil chama de uma vela que carregamos a nossa frente. Só quando olhamos para trás é que nos apercebemos da forma gigantesca da nossa sombra que nos segue. O que nos irrita e às vezes nos magoa, não é essa “sombra”, uma vez que todos a temos, mas, sim, o “negá-la e o “ignorá-la”.

    Muito daqueles que vemos como inimigos são componentes de nossa própria sombra, por isso Jesus falou: “amai aos vossos inimigos” — o que significa reconhecer a sua própria “sombra”
    Viver como se fôssemos totalmente luz, sem a OBSCURIDADE, é muita pretensão.

    O “sentimento religioso” — aquele afeto profundo de nos re-ligar a um Pai simbólico, habita nas nossas “sombras”, como bem sabiamente escreveu o autor do Hino, “Deus está nas Sombras”.


    (Comentário também publicado na Postagem : ”Não Faças Imagem de MIM” – no “Ensaios & Prosas”)

    ResponderExcluir
  108. Marcus, vai estudar biologia, vai. A TE já explica isso tudo a anos, sem nunca ter aparecido a necessidade de um criador, de uma deidade qualquer. E os seres vivos não são "perfeitos", a gente envelhece, morre de câncer, nascemos com defeitos congênitos, nossa visão vai piorando, temos uma série de problemas intestinais... na verdade, o homo sapiens sapiens é tão cheio de problemas, que antes morríamos com 30 anos. Foi só com a ciência, as tecnologias, a medicina, que conseguimos prolongar nossa vida.

    As considerações do teólogo sobre biologia são risíveis. Logico, é o mesmo que uma criança dar palpites sobre a obra de shakespeare sem nunca a ter lido. Neste caso, a TE já responde essas perguntinhas idiotas, e prova-as cientificamente.

    Então, se vai querer falar sobre "Deus", não tente atacar a TE, que não tem NADA a ver com teologia. TE não diz se qualquer deus existe ou não, apenas prova-se que, por meio das leis naturais, os seres vivos vieram a evoluir.

    ResponderExcluir
  109. GUIOMAR 1

    Sua fala: “O que Levi respondeu no comentário está cristalino, se ele mudou de idéia, somos mutantes..”.

    Minha resposta: Não tem problema para mim, se o LEVI mudou de idéia, ou ainda mudará, pois todos nós somos seres vivos pensantes, e não seres estáticos petrificados.

    Outra coisa GUIOMAR, você ainda deve respostas aos meus comentários. Rsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  110. DUZINHO

    Oras DUZINHO, dizer que só porque a grande maioria é religiosa, não autentica esta experiência e nem muito menos a torna um instinto já herdado no ser humano.....não é tão difícil de explicar isto, pois sabemos que naquela época era compreensível acreditar nos deuses, já que eles não tinha o recurso tecnológico e cientifico que temos hoje.

    Já hoje, também é em parte compreensível se acreditar em deuses, já que herdamos dos nossos antepassados e continuamente estamos também a passar para nossos filhos, que por sua vez irá passar aos seus filhos...isto pode acabar um dia?

    Talvez sim...se nós, a geração da pós-modernidade, que diga-se de passagem, cada vez mais aumenta o numero de ateus e céticos, ensinarem aos filhos que por sua vez ensinarem também aos seus filhos o ceticismo e ateísmo, daqui a centenas de anos, a religião pode no mínimo, se não acabar por completo, diminuir a tal ponto, que será a minoria a crer.....você não acha???

    Não! A discussão não é infantil porque não estou apenas julgando javé ou Jesus, mas sim a concepção universal de deus, não é a toa que eu pus, tentando exaurir as possibilidades racionais das varias formas de se conceber deus.

    Se você ainda crer, ou melhor dizendo, “sabe” deus, qual das opções acima se encaixa sua concepção sobre ele???

    Não vale joga para o colo do mistério esta pergunta, heim. Rsrsrsrsrsrsrs

    Sua última questão: “quem ensinou ao primeiro homem religioso que ele deveria ser religioso?”

    Minha resposta: Como eu já tinha dito anteriormente acima, o homem vivia com o desconhecido, e este desconhecido, provocava nele medo, foi justamente este medo frente ao desconhecido que nasceu a fé.

    Mas hoje através dos recursos da ciência, o desconhecido começou a se torna conhecido, como os fenômenos naturais.
    Ninguém, nem o mais religioso diria que os fenômenos naturais são causados por alguma ou algumas divindades, mas reconhecem que é a própria natureza cega e cruel.

    O que eles podem admitir, no entanto, é que esta mesma natureza foi criada por deus, mas pensar como os antigos não.

    Sendo assim, se tirássemos das futuras crianças que vão nascer, as inúmeras concepções de deus, será que elas quando crescessem iriam acreditar em deus e se tornar religiosas???

    Se isto fosse no tempo das cavernas, com certa que sim, mas e hoje, qual a necessidade de se acreditar em deus, se o homem cada vez mais vai se tornando autônomo e responsável pela sua própria historia???

    Abraços

    ResponderExcluir
  111. LEVI

    Se realmente deus só existir dentro de nossa psique, habitando em nossa sombra, e nunca fora de nós, se segue a impossibilidade de matarmos deus por completo.

    Pois se deus fosse uma realidade fora de nós, poderíamos muito bem negá-lo, uma vez que não o vemos, mas uma vez estando dentro de nós mesmos, teremos que sempre esta lidando com os pensamentos que vão e que vem sobre o deus imagem construída e alojada em nossa subjetividade pensante.

    Abraços

    ResponderExcluir
  112. MARCUS

    Ok! Então vou chamá-lo apenas de Marcus mesmo. Rsrsrsrsrs

    Só que o problema de você se identificar pelo nome é que como poderei saber que você é você, se não for pelo “fachinha”??? hahahahaha

    Quanto a sua pergunta: “não necessariamente pois se for assim posso usar esse argumento para a falta de prova da inexistência de Deus, ou você tem alguma prova de que Deus não existe? Se não tiver eu te pergunto “a inexistência de prova de que Deus não existe, não seria a prova da existência de Deus??”

    Minha resposta: Muito inteligente você, não é “fachinha”, invertendo minha pergunta. Rsrsrrs

    Só que você esqueceu-se de um detalhe substancial:
    Se deus não existir, não há como provar que ele não existe, pelo simples fato de não existir, “oras bolas”. Rsrsrsrsr

    Não há como provar que não existe algo que não existe mesmo.
    Portanto, a inversão da minha pergunta a você é ilógica e irracional, agora, se deus existisse mesmo, teria como ser provado, e como até hoje, depois de milhões de anos, de muitos esforços e tentativas, não se conseguiu provar empiricamente a existência de deus, segue-se de que ele não existe.

    Não é a inexistência de provas que provam que deus existe, mas o oposto, pois a inexistência de provas é a prova cabal da inexistência de deus.

    Se assim não fosse “fachinha”, poderíamos então se acreditar em qualquer coisa bizarra, pois não se poderia provar que elas não existem.

    É como alguém que acreditasse que os espíritos de dinossauros estão rondando a terra, então, essa mesma pessoa lhe pedisse para você provar que eles não existem, que não são reais, você poderia provar que eles não existem??

    Logicamente e racionalmente que não, pelos simples fato de que os espíritos de dinossauros não existem, portanto, não se pode provar que não existe algo que realmente não existe!!!

    Quanto ao argumento do design inteligente do teólogo Paley, eu lhe pergunto:
    Se o universo teve uma origem criadora inteligente, no caso deus, e deus, veio da onde, ou quem é que fez deus????

    Sei que ainda a ciência não conseguiu explicar de forma absoluta sobre a origem do universo, e que talvez não consiga, mas dizer que tudo foi criado num passo de mágica por um deus, é responder uma pergunta misteriosa por outra mais misteriosa ainda, e também responder a um problema com outro problema maior ainda.

    Por isso que das alternativas possíveis, a mais lógica e racional é que o universo sempre existiu e foi sofrendo transformações durante bilhões de anos, até chegar hoje em nossa existência, num processo de evolução.

    ResponderExcluir
  113. Outra coisa MARCUS, você falou, falou e falou, mas não disse qual das alternativas apresentadas em minha postagem, você concorda. Rsrsrsrsrsrs

    Qual delas é a que mais se encaixa em sua opinião sobre deus???

    Abraços

    ResponderExcluir
  114. KESIA TAMARA

    Assim que eu tiver um tempo, eu dou uma lida e comento sua postagem resposta ao meu texto, ok?

    Abraços

    ResponderExcluir
  115. Guiomar, desculpe por chamar o apóstolo de epilético, mas é que os sintomas de Paulo, mais a necessidade de um médico sempre por perto, mais a forma como escrevia, elevam em muito a possibilidade de o apóstolo ter sido de fato um epilético.

    Se os sintomas de Paulo descrevem os sintomas de epilepsia, então a probabilidade deve ser elevada. Por exemplo:

    Segundo Atos dos apóstolos, Paulo foi cercado por uma luz...caiu...teve uma experiência religiosa...ouviu vozes e ficou cego durante três dias.

    Segundo as suas cartas, teve visões...sentiu-se arrebatado para o "Paraíso"...desejou que arrancassem os olhos para substituirem os seus...sentia-se esbofeteado por Satanás...notou que escrevia com letras grandes...dizia várias vezes que queria gloriar-se e enumerava as suas fraquezas e tinha uma doença que quem pedacia costumava ser desprezado (a epilepsia era chamada de "morbus insputatus": doença cuspida; era costume cuspir nos epiléticos).

    Sobre a hipótese da epilepsia Paulina, tenho consciência que muito do que se sabe, são "especulações" mas está fundamentada na comparação feita por médicos dos sintomas de epilepsia com as cartas de Paulo.

    Nos sites dedicados à epilepsia, São Paulo é usado como exemplo de um epilético e a epilepsia era até chamada de "doença de São Paulo" na Irlanda.

    Espero que tenha diminuído um pouco dúvida que você ficou ao me ver escrevendo que o Paulo era um doente mental.

    Abraços Guiomar.

    ResponderExcluir
  116. Guiomar, só complementando:

    Qual a probabilidade de uma pessoa que sofre de epilepsia levar à prosopagnosia e cegueira temporária?

    Problemas de visão é um sintoma predominante da epilepsia, que inclui cegueira que dura várias horas ou alguns dias depois de um ataque (sintoma de uma fase pós-ictal). Se alguém tem esse sintoma, muito provavelmente sofre de epilepsia, mesmo se acontecer num cão. É um dos sintomas descritos leva médicos a suspeitarem de que Paulo sofria de epilepsia.


    fonte:

    http://crerparaver.blogspot.com/2010/08/paulo-epilepsia-e-falacia-de.html

    ResponderExcluir
  117. Ainda para a Guiomar:

    Durante um ataque epilético. As alucinações visuais e auditivas com figuras luminosas, alterações de personalidade e sensação de estar a ser perseguido ou de ser alguém muito importante são sintomas da epilepsia.

    Se alguém caiu subitamente no chão e ficou cega durante três dias, e depois disso considera-se mais importante num contexto religioso e diz que viu ou ouviu Jesus e que sentiu-se perseguido no momento da queda ... então provavelmente teve um ataque epilético, especialmente se diz que normalmente tem um mal físico e que sente um "espinho na carne".

    Quanto mais sintomas de uma doença se tem, automaticamente torna-se mais provável que seja essa doença mesmo. E não o contrário.

    Abraços Gui!

    ResponderExcluir
  118. Agora é sério, é só para clarear as idéias:

    Se hoje em dia, uma pessoa que tem os mesmos sintomas do apóstolo Paulo, é diagnosticado como epiléptico, então o mais racional é que Paulo tenha sofrido mesmo de epilepsia, afinala de contas, como já disse lá em cima:

    São os sintomas que levam pensar que se sofre de uma determinada doença.

    Fui!

    ResponderExcluir
  119. Gabriel Nagib, confesso que sou leigo quando o assunto é biologia, mas pelo que sei a TE possui muitas falhas, voce diz que a TE explica tudo a anos, se já esta tudo explicado a anos, poque então ainda existem muitos biologos e cientistas que são cristãos ou defendem a Teoria do criacionismo e confrontam a TE?
    Tem uma coisa que não consigo entender na TE, voce citou que a TE prova que por meio das leis naturais os seres vivos vieram a evoluir, pergunto, como a vida pôde ter surgido expontaneamente? os seres vivos começaram a evoluir do nada? para ocorrer evolução e formação de novas espécies, precisa-se primeiramente de vida, ou não?

    ResponderExcluir
  120. Marcio,

    Sua postagem trouxe todas as alternativas possiveis? pois todas trazem uma possivel falha de Deus, você quer que o leitor elimine todas elas e chegue na ultima alternativa concluindo que Deus não existe, esperto hein.
    Posso criar outra alternativa diferente das que voce trouxe?

    ResponderExcluir
  121. Edu,
    Eu vi uma macumbeira fazendo um milagre, não invocando o nome de Deus e sim de espíritos, não me impressionou em nada, porque sei que eles também podem fazer sinais.

    Sei que existem missionários explorando as pessoas em nome de Deus e porque elas têem fé são curadas.

    Devem ser eles que irão dizer: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas?

    Você sabe a resposta de Jesus.

    "Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos."

    você disse:"já vi muitos fenômenos como estes que você relatou, então, eles não são novidades para mim; fenômenos parecidos e até mais fantástico acontece no meio budista, hinduísta, etc."

    E Faraó também chamou os sábios e encantadores; e os magos do Egito fizeram também o mesmo com os seus encantamentos... mas...

    "ele diz lá no seu livro que quando se converteu ao cristianismo ele era budista e quando começou o seu ministério ficava apreensivo em manifestar fenômenos espirituais para os que lhe ouviam pois todos eles estavam acostumados a ver tais fenômenos no budismo.

    Os fnômenos de Deus são para bençãos na vida daqueles que recebem. Se Moisés houvesse desistido porque os encantadores de Faró fizeram o mesmo, o povo de Israel estaria escravo, quem sabe até hoje, ou Moisés teria perdido o privilégio de ser benção e outro teria tomado o seu lugar.

    A eu não sabia que o paul yong cho havia mudado de nome. Por que? kkkkkkkkkkkkkk

    "eu também não saberia ver qualquer serventia em deus me dizer que fulano vai morrer se eu não tiver nenhum poder de alterar tal evento, ainda mais alguém distante."

    Este é um problema Edu, que os feitos de Deus sejam julgado pela nossa ótica.
    Quero que você saiba que Deus sabia que eu seria um canal de conforto e bençãos para a esposa dele que foi recuperada das drogas através do meu trabalho. Apesar de que eles estavam separados, o abalo na família foi muito grande e eu até hoje tenho dado assistência a viuva
    mesmo a distância, o que segundo ela tem se constituido numa força muito grande.
    Ou seja, assim como sua esposa foi preparada em sonhos Edu, eu fiquei bem sensível para dar assistência a família enlutada.

    Você disse:" creio que deus tem coisas mais importantes para fazer do que ficar mandando sonhos e visões para as pessoas de fatos que não poderão ser mudados.

    Na bíblia está bem claro que existem anjos a nosso serviço. Por outro lado, o tempo de Deus não tem limites, nem tampouco os anos, mil dias para ele é como um dia...

    Acho que o problema não seria mudar a situação, mas como enfrentá-la. Você sabe que muitas pessoas são profundamente ajudadas a superar momentos trágicos e outras poderiam estar vivendo felizes, sem traumas, amarguras, se houvessem encontrado uma mão amiga, sensível.

    para mim, isso são fenômenos do nosso inconsciente que ao que parece, é capaz de fazer coisas bem "estranhas"

    Esta última afirmativa sua, nem a ciência confirma. Acho totalmente sem fundamento. Imagina o meu inconsciente ter poder de matar alguém. Creeeeeedo. Deus me livre.

    Beijão

    ResponderExcluir
  122. Marcinho,

    "Minha resposta: Não tem problema para mim, se o LEVI mudou de idéia, ou ainda mudará, pois todos nós somos seres vivos pensantes, e não seres estáticos petrificados"

    Você já entendeu meu querido, Levi não deixou interrogações.

    Levi disse: "Um ateu, jamais escreveria o que escrevi lá no blog "Ensaios & Prosas".

    O título da postagem: "NÃO FAÇAS IMAGEM DE MIM", já é uma resposta ao teu questionamento a meu respeito(rsss)

    Se quiseres conferir, eis aí o link:

    http://levibronze.blogspot.com/2010/11/nao-facas-imagem-de-mim.html

    28 de novembro de 2010 13:09 "

    Não tem mais argumento né querido? Beijão.

    ResponderExcluir
  123. Marcinho, você disse:
    O cumprimento de muitas profecias, não é se não, a percepção e constatação do que vemos acontecer no mundo, mas que já era visto e acontecido muito tempo antes também, ou seja, o apocalipse da terra é apenas uma constatação e não uma revelação.

    Muitas profecias já se cumpriram constatando a revelção profética. Outras estão se cumprindo desde muito, e tomando proporções que espanta a terra. Quantas vezes você já ouviu no jornal: Nunca visto antes? E até mesmo? parece apocalíptico?
    Se você fizer um pesquisa na net, você vai descobrir que tem muitas profecias se cumprindo.

    Você vai subir comigo e não admito outra história rsrs
    Beijos.

    ResponderExcluir
  124. Gabi, porque você não é anjo seu incrédulo kkkkkkkkkk

    O cara sofreu um acidente e pouco depois morreu.

    você disse: "Por quê você assume logo de cara a opção mais complexa, que é Deus te fazendo fofoca (ora, qual outro motivo ele teria de te ficar falando que alguém vai morrer?).


    Isto nem sequer cheira a fofoca, só na sua cabeçinha que quer negar que Deus fala, que se comunica, que interage.
    Você que está fazendo fofoca, rsrsrs querendo saber porque Deus falaria... E ainda mais exigindo que se você não vê a lógica disto, então não aconteça. kkkkkkkkkk

    Creio que no comentário que fiz para Edu, tem outras respostas

    Beijos.

    ResponderExcluir
  125. Levi,

    Quando minha irmã morreu assassinada, um grupo foi visitar mami e uma moça com a voz belíssima cantou este hino: "Deus está nas sombras". Hoje eu começei a cantar ele e me veio a memória o consolo que minha mãe recebeu naquele dia, mesmo chorando de saudades, agradeci a Deus pelo consolo.
    Abração

    ResponderExcluir
  126. Gabi,

    "Seria telepatia, seriam espíritos, seria coincidência, seriam duendes? Ora, a verdade é que dizer que "Deus me falou" não explica nada, pois apenas adiciona-se um ser mais complexo ainda do quê os eventos."

    Só poque você acha o ser complexo, você esperneia?
    Assim como você não pode provar seus sentimentos para alguém que duvida deles, mas eles são tão reais para você quanto você é real para a pessoa que está duvidando dos seus sentimentos, Deus é real para mim e fala comigo de maneira clara e objetiva.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  127. Gui, então "Deus" não é complexo?

    Lógico que eu posso provar meus sentimentos, com ações, ou até mesmo com uma tecnologia com capacidade para tal.

    Como eu disse, você diz que foi Deus, mais especificamente, o deus judaico-cristão, de acordo com o quê está na bíblia. Mas você ignora solenemente o quê os Vedas dizem a respeito destes fenômenos, ou o quê dizem os espíritas, ou os maçons, ou budistas. E olha que muitas destas crenças são mais antigas que a sua.

    A sua explicação é tão "boa" quanto as outras, ou seja, não explica nada. É como diziam antigamente sobre os trovões: foi um deus qualquer que ficou com raiva. Hoje sabemos que não é isso.

    Você sente alguma coisa estranha, daí alguém morre e você imediatamente bota na conta divina a responsabilidade pelo insight. Ora, você fez isso pois aprendeu desde criança que essa é a resposta.

    Eu, como cético, não aceito respostas fáceis. E como cientificamente ninguém conseguiu provar sequer que isso passe de coicidência e má interpretação, continuo não acreditando na existência do sobrenatural. Ainda mais do deusinho mesquinho da bíblia.

    ResponderExcluir
  128. MARCUS

    Fachinha não é bem assim, pois se você der uma olhada no argumento ateu de que deus não existe, lá também tem uma falha, como todas as outras possibilidades de deus.

    O que eu quis provocar nas pessoas nesta postagem foi um demasiado esforço reflexivo, já que em todas possíveis alternativas eu exponho falhas.

    Se você tem uma outra alternativa que não estas que estão na postagem, me diga qual, pois pensei que tinha exaurido todas possibilidades possíveis sobre deus.....ficarei grato se você expor seu pensamento, trazendo uma nova alternativa para deus.

    Agora, espertinho mesmo foi você, que não respondeu meu comentário e as questões que levantei para você. Rsrsrsrsrsrs

    Sendo que o mais fundamental de tudo é que o crer é desonestidade e suicídio intelectual, porque não há possibilidade nenhuma de provar que deus ou gnomos ou qualquer outra coisa não exista, se elas não existem mesmo, ou seja, o mais racional, lógico e honesto é não acreditar até que provem que existam, pois se existe mesmo, então logo daria para provar que realmente existam.

    O máximo que os teólogos conseguiram através da historia “provar” foi à possibilidade de deus, usando de sofismas e argumentos sobre argumentos, mas nunca de forma concreta e empírica........porque será????? Rsrsrsrsrsrs

    Abraços mano e valeu pela sua rica e fundamental participação até aqui.

    Obs: Cadê o RODRIGÃO??? Falta só ele aqui. Rsrsrsrsrsrsrss

    ResponderExcluir
  129. GUIOMAR

    Em relação ao LEVI, acho que foi você que não entendeu a postagem dele “não faças imagem de mim”, onde ele é claro ao dizer nas “entrelinhas” do seu texto que todo deus não passa de uma mera fabricação do nosso inconsciente.

    Para ele, deus não esta “lá” e “além”, em “cima” ou “embaixo”, fora da nossa realidade física, em “outro mundo”, mas antes, dentro de nossa imaginação.

    A diferença do LEVI para nós, é que ele fala sempre em “parábolas” ocultando assim o seu pensamento dos mais “inocentes”. Hehehehehhe

    Quanto a mim, tanto faz se o LEVI ou qualquer outro acredita ou não num deus-em-si ou no deus-em-nós, pois a beleza do mundo reside em sua pluralidade de pensamentos.

    Abraços

    ResponderExcluir
  130. Outra coisa GUIOMAR, desde que o mundo é mundo já havia terremotos, furacões, inundações, maremotos, tsunamis e toda espécie de cataclisma, sendo a única diferença daqueles tempos antigos para o nosso, é que hoje nós temos informações através da alta-tecnologia, de todas as catástrofes naturais recorrente no mundo, daí termos a percepção de que hoje é bem pior do que antes, sendo que na verdade sempre foi assim, e, sempre continuará a ser até que o mundo deixe de ser mundo, claro, se isto vier acontecer, o que é uma grande possibilidade, pois como diria Schopenhauer "o objetivo da existência é morrer!".

    ResponderExcluir
  131. Marcus, aponte quais as falhas da TE, sim? E por favor, cite algum cientista que a defenda e com artigos publicados em periódicos científicos. Não acredite em sites criacionistas, eles só conseguem público na internet e entre leigos.

    A TE tem "buracos" não explicados? Sim. Mas falhas absurdas que a invalidariam? Não.

    A religião dos cientistas nada diz sobre a TE. Francis Colins, por exemplo, é cristão, e defende a TE, embora ainda assim acredite em um deus. Suas considerações teológicas sobre a criação não tem valor científico algum, e ele sabe disso.

    E sobre cientistas que defendem a criação divina nos moldes bíblicos (mais recentemente o DI), eles não passam de teólogos. Publicar artigos que demonstrem o DI, nada. Ou seja, não passa de posição religiosa. E ainda assim, estes "muitos", não passam de 1%.

    E TE não diz nada sobre o aparecimento da vida. Este tema é tratado pela abiogênese, e há várias teorias muito boas, e experiências já feitas, que demonstram como seria possível surgir aminoácidos, uma espécie de rna primitivo, etc, e que explicam o surgimento da vida a partir de reações químicas complexas. O complicado é saber exatamente quais eram as condições na terra primitiva.

    ResponderExcluir
  132. Marcio,

    Ok, vou refletir mais um pouco, rsrsrs.
    Agora você disse que o crer é desonesto e um suicidio intelectual pois não se pode provar nada, e eu até concordo com você, mas isso se aplica tambem na crença de que o "universo sempre existiu e foi sofrendo transformações durante bilhões de anos, até chegar hoje em nossa existência, num processo de evolução", para mim, isso exige mais fé do que crer em um criador, rsrsr.
    Vamos marcar um sabado ai pra gente conversar, estou de férias na faculdade e agora to com mais tempo.

    Abraços.

    Marcus

    ResponderExcluir
  133. Putz! Agora é que caíu a ficha de que o Marcus não é outro senão o "Fachinha" rsss...que vacilo meu!

    Ôh Fachinha, é um prazer tê-lo por aqui em nossa sala. Sinto muito por, logo de cara, você trombar com o Biel, pois o cara é um "rato de laboratório" e está mais por dentro dos avanços científicos do que muitos cientistas por aí.

    Lembra daquela vez que fomos ver o Marco Feliciano pregar? KKKKK" Pois é mano, muita coisa mudou de lá pra cá. Hoje sou um cético, assim como o Gabriel, e o Marcio é um ateu não declarado...ainda.

    Mas como o Marcio mesmo disse num comentário logo acima:

    O interessante por aqui é justamente a pluralidade de pensamentos...aliás, o mundo não teria graça alguma se todos pensassem igual.

    Abraços meu mano!

    ResponderExcluir
  134. Marcio Alves, pena que outros já responderam por mim.Tardei.
    Eduardo Medeiros, então você alude que há o Deus dos outros e que podem ser julgados?
    Mas, os outros não acreditam no seu Deus e podem estar julgando-o, não é mesmo? Sendo assim, se não existe o Deus dos outros, o seu também não. Pela inexistencia nenhum merece julgamento.

    ResponderExcluir
  135. Marcinho,

    Que te passa amigo, estás sem querer enfrentar a verdade de que Lei acredita em Deus?

    Leia bem o que ele falou:

    "Levi disse: "Um ateu, jamais escreveria o que escrevi lá no blog "Ensaios & Prosas".

    Precisa mais claro? Se você quiser voltar a crer pode... rsrs

    ResponderExcluir
  136. Gabi,

    Você se desespera para provar que Deus não fala. O rapaz que viu meu nome no jornal, ficou impressionado pelo fato de não saber nada sobre mim e DEUS haver mandando ele orar por aquela pessoa que tinha o nome ali em alguma matéria que ele desconhecia. Entendeu? Pode dizer que é telapatia. Você prova? kkkkkkkkkk

    você disse: "Eu, como cético, não aceito respostas fáceis. E como cientificamente ninguém conseguiu provar sequer que isso passe de coicidência e má interpretação, continuo não acreditando na existência do sobrenatural. Ainda mais do deusinho mesquinho da bíblia"

    Eu como crente, vou continuar crendo em DEUS que se revela a mim a cada dia e que cientificamente ninguém nunca provou que Ele não existe, mas Ele me prova dia a dia sua existência.

    Você está é perdendo amigo. Beijão.

    ResponderExcluir
  137. Gui, eu não estou desesperado. Pelo contrário, estou tranquilo. Eu simplesmente não aceito provas tão simplistas e anedóticas, visto que não provam nada. Como eu disse, milhares de outras religiões, mais antigas que a sua, dão diversas explicações para este tipo de evento. Não vejo motivos óbvios para aceitar a sua explicação em detrimento das outras.

    E eu sei o quanto perdi enquanto acreditava nestas fábulas. Não volto para lá nem a pau, juvenal rsrsrs

    ResponderExcluir
  138. Edsinho,
    "Guiomar, desculpe por chamar o apóstolo de epilético, mas é que os sintomas de Paulo, mais a necessidade de um médico sempre por perto, mais a forma como escrevia, elevam em muito a possibilidade de o apóstolo ter sido de fato um epilético.

    Donde você tirou mais essa: médico por perto?

    você disse: "Segundo as suas cartas, teve visões...sentiu-se arrebatado para o "Paraíso"...desejou que arrancassem os olhos para substituirem os seus...sentia-se esbofeteado por Satanás...notou que escrevia com letras grandes...dizia várias vezes que queria gloriar-se e enumerava as suas fraquezas e tinha uma doença que quem pedacia costumava ser desprezado (a epilepsia era chamada de "morbus insputatus": doença cuspida; era costume cuspir nos epiléticos)."

    Você precisa de letras garrafais como Paulo amigo. Veja a diferença das palavras do Paulo:

    "Qual é, logo, a vossa bem-aventurança? Porque vos dou testemunho de que, se possível fora, arrancaríeis os vossos olhos, e mos daríeis."
    Gálatas 4:15 (Veja o amor dos galátas por ele)

    O que se chega a conclusão que ele teria uma enfermidade asquerosa nos olhos, tanto que ele tambem diz: "E vós sabeis que vos preguei o evangelho a primeira vez por causa de uma enfermidade física. E, posto que a minha enfermidade na carne vos foi uma tentação, contudo, não me revelastes desprezo nem desgosto; antes, me recebestes como anjo de Deus. como o próprio Jesus Cristo." (Gálatas 4.14).

    Ele foi muito honesto quando falou da sua propensão de gloriar-se e das suas fraquezas na carne. Isso era tão forte nele, que ele diz que recebeu um espinho na carne para reconhecer que ele não passava de um homem, apesar da grandezas das suas revelações.
    Ele não passou a idéia de ser ele um deus, mas desnudou-se. Mas quando a gente quer criticar os defeitos de uma pessoa, não tem nada que ela faça que impeça.

    Veja que você fez uma baita de uma confusão com o Paulo.

    Não vejo respaldo bíblico nenhum para dizer que ele era epiléptico. Ele era um crânio...
    O rei Festo chegou a gritar: 'Estás louco, Paulo; as tuas muitas letras te fazem delirar.'

    Beijos amigo querido. No céu um dia nos veremos. Oração tem poder!

    ResponderExcluir
  139. Edsinho,

    você dise:"Se alguém caiu subitamente no chão e ficou cega durante três dias, e depois disso considera-se mais importante num contexto religioso e diz que viu ou ouviu Jesus e que sentiu-se perseguido no momento da queda ... então provavelmente teve um ataque epilético, especialmente se diz que normalmente tem um mal físico e que sente um "espinho na carne".

    Quanto mais sintomas de uma doença se tem, automaticamente torna-se

    Leia melhor a bíblia que você vai ver um Moisés que viu Deus pelas costas e vai ver vários discípulos e mulheres que viram Jesus após a sua ressurreição.

    Se várias pessoas disserem que viram um ET vc acredita né amigo?

    ResponderExcluir
  140. Marcinho,

    Outra coisa GUIOMAR, desde que o mundo é mundo já havia terremotos, furacões, inundações, maremotos, tsunamis e toda espécie de cataclisma, sendo a única diferença daqueles tempos antigos para o nosso, é que hoje nós temos informações através da alta-tecnologia, de todas as catástrofes naturais recorrente no mundo, daí termos a percepção de que hoje é bem pior do que antes, sendo que na verdade sempre foi assim, e, sempre continuará a ser até que o mundo deixe de ser mundo, claro, se isto vier acontecer, o que é uma grande possibilidade, pois como diria Schopenhauer "o objetivo da existência é morrer!".

    Quem está gritando ai sobre catastrofes nunca vista no mundo em proporção, não é A Gui não amigo, são os estudiosos dos fenômenos... Por outro lado confirma: "os céus que agora existem e a terra estão entesourados para o fogo. Mas nós aguardamos novos céus e nova terra." Aleluia!

    Estaremos lá viu Marcinho. Beijo

    ResponderExcluir
  141. Gabi, meu querido você disse:
    "Gui, eu não estou desesperado. Pelo contrário, estou tranquilo. Eu simplesmente não aceito provas tão simplistas e anedóticas, visto que não provam nada. Como eu disse, milhares de outras religiões, mais antigas que a sua, dão diversas explicações para este tipo de evento. Não vejo motivos óbvios para aceitar a sua explicação em detrimento das outras.

    E eu sei o quanto perdi enquanto acreditava nestas fábulas. Não volto para lá nem a pau, juvenal rsrsrs"

    Eu ouvi a pouco tempo que descobriram que o mundo não é tão velho como parecia. Ví no jornal, mas não pesquisei o assunto. Mas minha religião data da idade do Deus que criou todas as coisas, portanto...

    Eu também não vou acreditar em bla bla bla que a ciência nunca provou, como exemplo dizer que Deus não existe.

    Se você volta ou não, o tempo dirá. Um dia eu falei: Eu não te quero Deus! kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  142. Gui, não seja ignorante a respeito de sua própria religião. Ela tem nem 2000 anos filha. Se for falar da judaica, ela é mais nova que o hinduismo. Todas elas alegam as mesmas coisas que você, fato é que algumas são, historicamente, mais antigas que a sua. Pela ordem de idade, elas teriam até mais vantagem rsrsrs.

    E não sei o quê você leu no jornal, mas o tem-se como a idade do Universo em torno de 14 bilhões de anos, a bastante tempo.

    ResponderExcluir
  143. a quem interessar possa: o "meu deus" não poderia ser julgado e nem classificado em nenhum dos quesitos que o marcio expôs.

    meu deus não está "lá", não vive no céu e nem no nirvana, meu deus é inominável, dele não se pode dizer nada, pois dizer alguma coisa dele já é falsificá-lo.

    "o reino de deus está dentro de vós"

    logo, esta discussão não me diz respeito. já não disse que parei de teologizar????

    estou meio na correria aqui em casa, só devo conseguir postar talvez no domingo. se algém quiser postar alguma coisa antes, fique a vontade.

    ResponderExcluir
  144. Guiomar, que bom que você resolveu debater este assunto, pois bem, assim como um ateu sempre será tendencioso ao falar de deus, posso dizer o mesmo dos que Nele crêem.

    Você me pergunta isso:

    "Donde você tirou mais essa: médico por perto?"

    Ora Guiomar, acho que não sou eu quem deveria ler mais a Bíblia, pois todos sabem que Paulo era assistido continuamente por Lucas...que era médico.

    Mas se quiseres constatar esta parte da história que fora omitida nos evangelhos, é só ler o livro "Carta do apóstolo Paulo à Rufo de Tortosa"

    Ps. Este livro eu lí em 2000, e anda era crente, e comparei-o com as cartas de Paulo aos Gálatas e à Éfeso. é um apócrifo que não entrou no cânom da igreja católica e conseqüentemente também não é aceito pela igreja protestante.

    ResponderExcluir
  145. Guiomar, você está forjando provas contra você mesmo, pois este teu depoimento está à meu favor. Veja:

    "O que se chega a conclusão que ele teria uma enfermidade asquerosa nos olhos, tanto que ele também diz: "E vós sabeis que vos preguei o evangelho a primeira vez por causa de uma enfermidade física. E, posto que a minha enfermidade na carne vos foi uma tentação, contudo, não me revelastes desprezo nem desgosto; antes, me recebestes como anjo de Deus. como o próprio Jesus Cristo." (Gálatas 4.14)."

    Guiomar, o que causaria mais desprezo e aversão em qualquer pessoa? Uma doença nos olhos, ou ataques epiléticos recorrentes? logo, a enfermidade física que Paulo está falando deve ser muito mais constrangedora do que uma cegueira ou conjuntivite.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  146. Gabi kkkkkkkkkkk
    "Gui, não seja ignorante a respeito de sua própria religião. Ela tem nem 2000 anos filha. Se for falar da judaica, ela é mais nova que o hinduismo. Todas elas alegam as mesmas coisas que você, fato é que algumas são, historicamente, mais antigas que a sua. Pela ordem de idade, elas teriam até mais vantagem rsrsrs"

    Não é questão de ignorância, a questão é que minha religião é Deus e Ele não teve princípio e não terá fim. Portanto...

    Eu não lí no jornal, eu ouvi no jornal nacional. Muitas surpresas ainda virão...
    Beijo.

    ResponderExcluir
  147. Gui, se você segue a bíblia, então sua religião é tão antiga quanto ela. Se você criou sua definição para um deus, então ela é tão antiga quanto você. O resto é tentativa de dizer que "Meu deus é maior que o seu".

    ResponderExcluir
  148. Edsinho,
    "Você disse:"Guiomar, o que causaria mais desprezo e aversão em qualquer pessoa? Uma doença nos olhos, ou ataques epiléticos recorrentes? logo, a enfermidade física que Paulo está falando deve ser muito mais constrangedora do que uma cegueira ou conjuntivite."

    Depende de cada um, para uns um ataque epiléptico é curioso apenas, para outros, causa medo e por ai vai.

    Não sabemos que tipo de doença Paulo teve nos olhos, você está especulando, no entanto, ele deixa claro que era algo repulsivo.

    Eu não forjei nada, eu citei o fato como está escrito. Você sim está determinando a enfermidade sem provas. rsrs

    Beijão querido e que tenha um fim de semana ótimo.

    ResponderExcluir
  149. Gabi,

    "Gui, se você segue a bíblia, então sua religião é tão antiga quanto ela. Se você criou sua definição para um deus, então ela é tão antiga quanto você. O resto é tentativa de dizer que "Meu deus é maior que o seu". "

    A bíblia é realmente meu manual de fé. Só não esqueça que a idade dela não impede de que ela traga relatos de antes da fundação do mundo. Que ela tenha sido inspirada pelo Criador do Universo que não teve princípio e não terá fim.
    O meu Deus não é propriedade minha. Ele é meu e de tantos quanto O queiram. Como Ele criou todas as coisas, então Ele é maior que tudo!

    Beijo e um fim de semana sob a proteção do Altíssimo.

    ResponderExcluir
  150. Edsinho,
    "Ora Guiomar, acho que não sou eu quem deveria ler mais a Bíblia, pois todos sabem que Paulo era assistido continuamente por Lucas...que era médico."

    Continuo dizendo que você deve voltar a ler a bíblia.

    Nos livros de Gálatas e Éfeso, não encontro absolutamente nada que respalde algum escritor dizer que o médico Lucas estava ao dispor de Paulo para alguma eventual emergência.
    Também nunca soube que um epiléptico necessariamente teria um médico de plantão vinte quatro horas. Seria bem despendioso para um rico, imagina para uma pessoa na condição do apóstolo Paulo...
    Lucas deveria ter muitos pacientes na sua dependência por certo, não podia ser enfermeiro de plantão.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  151. Ora Guiomar, se Lucas tina muitos pacientes de plantão, como poderia ele escrever os atos dos apóstolos e o evangelho mais completo de todos?

    Será que ele apenas plagiou alguns dos outros evangelhos ou será que ela realmente acompanhou muito mais os passos de jesus, do que os outros 12 apóstolos?

    Essa eu quero que você me responda! Te peguei maninha!rsss

    ResponderExcluir
  152. Ora ora Edsinho,

    Você acredita que escritores não têem mais nada para fazer na vida? Eu conheço um escritor de vários livros que é Presidente Internacional dos Desafios Jovem Peniel. Conheço outro que é conselheiro internacional de pastores. Foi diretor da Editora Betânia.
    Ou você acha que escritores de biografias não fazem outra coisa na vida?

    Essa não Edsinho, arranja outra para me pegar mano. Te amo tá?

    ResponderExcluir
  153. Edsinho,
    Veja como você distorceu minha afirmação:
    Você:
    Ora Guiomar, se Lucas tina muitos pacientes de plantão, como poderia ele escrever os atos dos apóstolos e o evangelho mais completo de todos?"

    Eu:
    "Lucas deveria ter muitos pacientes na sua dependência por certo, não podia ser enfermeiro de plantão."


    Eu: "Lucas deveria ter muitos pacientes na sua dependência por certo, não podia ser enfermeiro de plantão."

    ResponderExcluir
  154. Guiomar, então você está me dizendo que o evangelho que Lucas escreveu, nada mais é do que o fruto de um apanhado de coisas que ele ouviu?

    Não se pode comparar uma biografia hoje, com uma biografia de dois mil anos.

    Abraços maninha!

    ResponderExcluir
  155. Caro Edson,

    Obrigado pelas boas vindas, apesar de começar a comentar somente agora, sou leitor deste blog desde o seu inicio, e confesso que me ajudou a entender bastante coisa, e agora to vendo que as coisas estão bem avançadas, com cientistas, biólogos, abionegecistas, evolucionistas e etc... kkkkkk.
    Claro que me lembro da vez que fomos ver o Feliciano, e se muita coisa mudou pra você de lá pra cá, comigo ocorreu a mesma coisa, aliás, o Marcio que me conhece há muitos anos sabe que mesmo no auge da minha "vida cristã" eu tinha algumas duvidas com algumas coisas, vou citar uma, o inferno, nunca entendi o propósito disso, e quando questionava os super crentes eles me diziam: "você não tem que entender, tem que aceitar", e eu como a maioria dos crentes, fiz isso, aceitei sem entender, fiquei aliviado quando li uma postagem sua sobre o inferno, vi que não era o único, kkkkk.
    Bom, hoje eu estou numa fase onde estou reavaliando tudo que eu aceitei como verdade nesses 11 anos de igreja, e agora de uma forma diferente, sem ter medo do que as pessoas vão achar ou dizer a respeito da minha opinião.
    Desculpe-me pela demora para responder, essa semana foi corrida pra mim.

    Abraços.

    Marcus.

    ResponderExcluir

Deixe a sua opinião.

Mesmo que você não concorde com nossos pensamentos, participe comentando esta postagem.
Sinta-se a vontade para concordar ou discordar de nossos argumentos, pois o nosso intuito é levá-lo à reflexão!

Todos os comentários aqui postados serão respondidos!