segunda-feira, 31 de maio de 2010

Verdade e Deus: Relativização ou Absoluto?


Aspiramos desnudados pela Verdade tal como garimpeiros na busca do ouro a peneirar, assim como também procuramos encontrar o Deus-Deus, e não o Não-Deus, nesta busca incessantemente desenfreada e alucinada, apelamos para as pseudas-verdades e as incalculáveis imagens criadas de “deus” ao longo da corrida dos anos pelas religiões existentes no mundo, que tentam decifrar não somente este mundo, mas para além dele, com a mente, mas principalmente com a alma, pois sim! Teologia não se faz com números e contas exatas tal como é na matemática, mas antes, não passam de meras construções de conjunturas especulativas embasadas nas experiências subjetivas tanto as que vão dia a dia sendo vivenciadas, como as desejadas pela voraz sede interior e intelectual de todo ser que é ser no mundo e em si.

Mas a Verdade-Verdade com V maiúsculo tal como qual não existe, e por isso deve sim, ser relativizada e constantemente re-avaliada na temporalidade e finitude da vivencia humana. A Verdade-Verdade é Deus-Deus, porém Deus-Deus não é a Verdade-Verdade, pois Deus-Verdade não passa de teologização humana que só existe no mais profundo, enganoso, cego e petrificado obscurantismo dogmático das inúmeras religiões, mas o grande e indefinido Assombro, como Deus que está para além de “deus” sendo Ele mesmo Não-Deus-Verdade humana, existe, porém é apenas uma fagulha de toda complexão e imensidão do céu estrelar ou uma partícula de uma gota em um oceano de água em todas as tentativas humanas de teologias já existentes.

Então logo na implicação do pensar honesto, precisamos constantemente nos indagar:
“Afinal de contas, como sabemos o que sabemos ser o que sabemos?”

Não há mais absolutos para minha fé, vejo olhando ao contemplar o mundo, todo esforçar descomunal humano de tentar enquadrar Deus e a Verdade em seus escopos teológicos e religiosos, quando afirmam de suas crenças como Verdades absolutas dizendo: “Eu tenho a Verdade e a fé Verdadeira no único Deus Verdadeiro, e quem quiser ser verdadeiramente salvo e encontrar Deus terá que percorrer o meu caminho, pois as demais crenças e religiões são falsas, e vão queimar no fogo do inferno quem delas não abrem mão para se arrependerem e crerem como eu creio”.

E a partir daí é originado dentro das entranhas religiosas, a grande subversão milenar das teologias, que se dá precisamente por causa do interior exteriorizado, pois ambicionamos que nossa “verdade” seja “verdadeira verdade” para os outros, e isto é um equivoco, pois a nossa “verdade” é “verdade” para nós somente, pois qualquer “verdade” tem que ter o chão da subjetividade interior individual singularizada na consciência conhecida e crida por cada indivíduo!

Deus-mesmo é um Deus além de qualquer e toda tentativa humana de encontrar, decifrar, codificar, decodificar, sistematizar e doutriná-lo, pois Ele é o totalmente outro, e a Verdade-Verdade não existe, a não ser nas mãos do grande Assombro, o que temos tanto em relação a Deus quanto a Verdade, são as nossas percepções subjetivas do encontro de nós com nós mesmos e com o universo mergulhado Nele, sendo tudo e todos, partículas do DNA do divino, podendo-se a partir daí, absorver em nossas almas os sentidos que compõe o universo de sentimentos e percepções, tendo como premissa sempre a nossa finitude humana, logo temos também a clarividência que não importa quanto tempo passe, quanta inteligência seja empreendida na compreensão Dele, serão sempre rascunhos e meros lampejos de fachos de luz em uma incomensurável e espessa escuridão noturna.


Marcio Alves

34 comentários:

  1. "logo temos também a clarividência que não importa quanto tempo passe, quanta inteligência seja empreendida na compreensão Dele, serão sempre rascunhos e meros lampejos de fachos de luz em uma incomensurável e espessa escuridão noturna."

    Linda, profunda conclusão sobre o Grande "Eu Sou".
    Trouxe-me a memória o grande Paulo, quando em um enlevo proclama:
    Ó profundidade das riquezas,
    tanto da sabedoria, como da ciência de Deus!
    Quão insondáveis são os seus juízos!
    E quão inescrutáveis são os seus caminhos!
    Quem, pois, conheceu a mente do Senhor? Ou poderia alguém ter sido o conselheiro do Senhor?
    Ou quem deu primeiro a Ele,
    para que seja recompensado?
    Porque dEle e por meio dEle
    E para Ele são todas as coisas.

    Glória, pois, a Ele, eternamente.
    Aleluia! Amém!

    Terrívelmente difícil é exorcizar o Deus da religião que nos apresentam desde o nosso nascimento.

    Você é lindo moço. Abraço.

    ResponderExcluir
  2. GUIOMAR BARBA

    Minha grande amiga, obrigado pelos sinceros e emocionantes elogios.

    Esta ultima frase minha, eu considero com uma iluminação vinda de Deus, também fiquei muito emocionado quando acabei de escrevê-las, pois escrevi com a minha alma rasgada e totalmente dilacerada!!!

    Bondade a sua, fazer uma comparativa entre minha frase – que confesso ser realmente uma perola – com a poderosa e inesquecível frase do Apostolo Paulo.

    No demais, concordo com você que o difícil mesmo não é “vestir a nudez” de Deus, mas antes, “desnudar as vestes” religiosas colocadas nele, para podermos contemplar o incontemplativo grande e terrível mistério assombroso!!!!

    Seria possível isto?? Não sei, mas o que sei é que nada sei, e prefiro mil vezes este não saber sobre Deus, do que suas vãs construções teológicas, e as certezas dogmáticas!!!

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. "...ambicionamos que nossa “verdade” seja “verdadeira verdade” para os outros, e isto é um equivoco, pois a nossa “verdade” é “verdade” para nós somente, pois qualquer “verdade” tem que ter o chão da subjetividade interior individual singularizada na consciência conhecida e crida por cada indivíduo!"

    Concordo com o significativo trecho do teu ensaio, que republiquei acima.

    Deus é movimento, e quando tentamos absolutizá-Lo fazemos Dele um ídolo, que nada mais é que um ser petrificado e sem vida.

    Abçs,

    Levi B.Santos

    ResponderExcluir
  4. Não-Deus, Deus-Deus hahaha sinto o cheiro de Barth por aqui rsrsrs

    Mas somente a alguns termos você pode aproveitar?

    Acho que você vai se identificar com dialética dele que uma hora nega e depois afirma ao mesmo tempo deixando o homem no suspenso absoluto, não tendo nada o que fazer, sendo culpado de não fazer, eis a contradição da contradição do teólogo anti-antropocêntrico mais famoso da historia.

    Mas mesmo assim o teocentrísmo absoluto dele não é o mesmo da teologia fundamentalista, pois como você mesmo descreveu, Deus é Deus para além de Deus.

    Deus é absolutamente transcendente, qualquer definição uma á relativização daquele que esta para alem de toda e qualquer definição e até mesmo revelação de Sua “pessoa”.

    Sua escrita esta cada vez mais complexa, elegante e até por incrível que pareça: coerente com o meado do texto, mas peca se o objetivo é alcançar as pessoas religiosas que não vão entender patavinas do que escreves.

    ResponderExcluir
  5. Marcio, não vá acabar por escrever de uma forma hermética, nisso tenho que concordar com o Gresder. Lembra-te também da regrinha: "se tu precisas de muitas palavras para dizer algo, então talvez o que tenhas a dizer não seja verdade" (ou algo assim).

    Realmente, o Deus-Deus (ou como queiram chamar, se é que isto existe mesmo) decerto não pode ser contido por ideologias humanas, e tudo o que fazemos é rascunhar idéias a seu respeito.

    O problema é que nós somos uns seres estranhos, que queremos que o nosso ponto de vista seja sempre o melhor, o "superior" aos demais e, se tratando de algo tão importante quanto Deus, essa mania se intesifica ainda mais.

    ResponderExcluir
  6. "O que é Deus? Eu sei, mas quando você me pergunta, não sei" Agostinho.

    Esse pequeno pensamento de santo agostinho resume bem suas filosóficas indagações sobre o Divino.

    Mas com relação à sua frase:

    "Mas a Verdade-Verdade com V maiúsculo tal como qual não existe, e por isso deve sim, ser relativizada e constantemente re-avaliada"

    Você está dizendo que A Verdade não existe? Mas se não existe, prá temos que relativilizá-la?

    Somente se dissermos que A Verdade existe, mas não pode ser alcançada, é que podemos relativizar todas as outras verdades que possuem a pretensão de ser A Verdade.

    O relativo não é relativo sozinho. Ele tem que ser relativizado a partir do absoluto.

    Ou não?

    ResponderExcluir
  7. EDUARDO MEDEIROS

    Sua pergunta: “Você está dizendo que A Verdade não existe? Mas se não existe, prá temos que relativilizá-la?”

    Minha reposta: Leia o contexto, e pare de ficar isolando frases minhas para depois deturpá-las!!!!

    Num contexto desta frase, se encontra esta outra frase, que você ou não leu, ou não entendeu, vejamos:
    “.....a Verdade-Verdade não existe, a não ser nas mãos do grande Assombro, o que temos tanto em relação a Deus quanto a Verdade, são as nossas percepções subjetivas......”

    Ou seja seu burro (kkkkkkkkkkkkkkkkk), a verdadeira verdade esta nas mãos do grande assombro, sendo a verdade como percepção humana relativizada, entendeu ou vou ter que desenhar para você? Rsrsrsrsrsrsrsr

    Sei que você esta sedento para debater comigo, mas isolar frases minhas tiradas de seus respectivos contextos, e depois distorcer o sentido que o próprio texto dá á essas mesmas frases, é sacanagem né DUZINHO!!!! Hahahahahahah

    ResponderExcluir
  8. ISA

    Ok, valeu mesmo pela sua dica, vou tentar prestar mais atenção.

    Mais é exatamente isto que todos, sem exceção, fazemos quando o assunto é “Deus”, apenas rascunhamos idéias, nada mais que isto, só não podemos esquecer-nos que idéias são apenas idéias, não representando ou até mesmo exaurindo todo o assunto.

    ResponderExcluir
  9. GRESDER SIL

    Você venceu. Rsrsrsrsrs
    Admito neste texto a influencia “Bartiriana”. Hehehehehe

    Obrigado também pelos elogios!
    Sinto que você está seguindo aquele velho chavão que diz: “Se não pode contra os inimigos, junte se a eles”. (Quem lê entenda. Kkkkkkkkkkkk)

    ResponderExcluir
  10. LEVI

    Bela síntese da minha frase.
    Temo que o que mais tenha por ai, são absolutos petrificados, dogmatizados e sem vida!

    ResponderExcluir
  11. Demorei mais cheguei. Marcio...seu texto está muito bom...embora eu tenha que mesmo a contra gosto...concordar com o Gresder e o Isa no que diz respeito à dificuldade para muitos entenderem o que quiseste dizer.

    Deixe-me dar uma pequena explanada sobre verdades absolutas e suas implicações. como bem sabes meu sócio...toda ação leva a uma reação...aliás, não existe outra coisa a não ser a ação (acho), pois mesmo a falta de ação já é ação por si mesmo...o que levará à ação de outra pessoa em seu lugar...enfim: Quero discorrer sobre os desdobramentos de verdades absolutas: Existem sim ou não?

    O próprio pensamento de alguém alegar que não existe verdade absoluta é totalmente ilógico. Mesmo assim, diversas pessoas hoje em dia estão abraçando um relativismo cultural que no seu cerne nega qualquer tipo de verdade absoluta. Uma boa pergunta para as pessoas que dizem “não existe verdade absoluta” é:

    “Você está absolutamente certo disso?” É totalmente ilógico fazer tal alegação, pois é uma alegação absoluta que em si própria nega qualquer absoluto. Ela está, em essência, dizendo que o próprio fato de não haver verdade absoluta é a única verdade absoluta.

    Há diversos problemas lógicos que se deve superar para aceitar ou acreditar que não existem verdades absolutas/verdades universais. O primeiro problema é o da autocontradição. Isto pode ser visto na questão exposta acima e no fato de que aqueles que insistem que não existem absolutos estão na verdade acreditando em um absoluto. Eles estão absolutamente certos de que não existe nada absoluto.

    Este tipo de filosofia é tanto autoderrotista quanto autocontraditória. A afirmação de que não existem absolutos está em si própria contradizendo o que eles dizem acreditar!

    O segundo problema com a negação da verdade absoluta/verdade universal é o fato de que todos os seres humanos possuem conhecimento limitado. Como seres humanos com uma mente limitada e finita, nós não podemos logicamente fazer declarações negativas absolutas. Por exemplo... uma pessoa não pode dizer logicamente “Não há Deus” (apesar de muitos o fazerem), porque para dizer isso ela deveria ter conhecimento absoluto sobre o universo inteiro do início ao fim. Quando as pessoas dizem não haver Deus ou não haver verdade absoluta (o que em essência é realmente a mesma coisa), o máximo que elas podem dizer racional e logicamente é “Com o conhecimento limitado que eu tenho, eu não acredito que exista um Deus”, ou “Com o conhecimento limitado que eu tenho, eu não acredito que exista qualquer coisa que seja absolutamente verdadeira”.

    O terceiro problema com a negação da verdade absoluta/verdade universal é o fato de que ela falha ao se associar com o que nós sabemos ser verdadeiro nas nossas próprias consciências, nossas próprias experiências, e com o que nós vemos no “mundo real”. Se não existe tal coisa como a verdade absoluta, então não existe nada certo ou errado sobre qualquer coisa. O que pode ser “certo para você” pode não ser “certo para mim”.

    Apesar de superficialmente esse tipo de relativismo parecer muito apelativo, se ele for levado à sua conclusão lógica ele logo se prova desastroso. Considere apenas por um momento se realmente não houvesse verdade absoluta e se tudo fosse realmente relativo (sem padrões de qualquer tipo). Em essência, o que aconteceria é que todo mundo estabeleceria as suas próprias regras segundo as quais viver e faria o que achasse certo. Isso causa problemas, pois o conceito de certo de uma pessoa logo entraria em conflito com o de outra.

    Por exemplo, e se fosse “certo para mim” ignorar os semáforos no trânsito, mesmo quando eles estão vermelhos? Dessa forma eu estaria pondo a vida de outros em risco. Ou então, eu poderia pensar que é certo roubar de você, mas você pensaria que não é certo. Da mesma forma, uma pessoa poderia decidir que matar outras pessoas é certo e portanto ela poderia tentar matar todo mundo que estivesse à vista,

    ResponderExcluir
  12. SHALON ADONAI!AMADOS, quem sou Eu, para refutar, a VERDADE, mas existe uma tendência ao misticismo e um conceito de espiritualidade, como mostra o livro UMA INTRODUÇÃO À ESPIRITUALIADE CRISTÃ, DO AUTOR ALISTER McGRATH. NÃO HÁ ESPAÇO SUFICIENTE para entrar em debater a essência do tema com detalhamento e a profundidde que merecem. HALLELUJAH. MARANATHA.

    ResponderExcluir
  13. Ô seu maluco, é você que está se contradizendo e se perdendo nesse emaranhado subjetivo-filosófico-hermetico!!!

    Você diz que A Verdade não existe mas existe:

    ..".a Verdade-Verdade não existe, a não ser nas mãos do grande Assombro,..."

    Ora, se existe nas mãos do grande Assombro, então ela existe!!

    Marcinho, as muitas letras de fazem delirar...hahahahaha

    Mas brincadeira à parte, eu entendi o que você quis dizer e concordo. Inclusive com o cometário como sempre brilhante, do Noreda.

    Mas que você foi dúbio, foi...

    ResponderExcluir
  14. EDUARDO MEDEIROS

    Não é que eu fui dúbio em minha postagem, mas antes apenas contraditório mesmo!
    Às vezes digo sem dizer, para em outras não dizer já dizendo.

    Não afirmo nada já afirmado para depois dizer o que não disse, mas que está latente, porém oculto, nesta explicitação implícita de minhas afirmações negativas.

    Caso bem claro é este relacionado com a verdade que você bem citou, mas que nada entendeu, pois a verdade existe ao mesmo tempo em que deixa de existir.

    Entendeu???

    ResponderExcluir
  15. TUBALCAIN

    Não entendi muito bem o que você quis dizer, será que podes ser mais claro???

    Com certeza aqui há sim espaço suficiente para debatermos a essência do tema, pois se não tiver, nós arrumamos!!!!!

    Abraços

    ResponderExcluir
  16. Marcitto,

    Eu nunca li um texto-mais-subjetivo-de-subjetividades-herméticas-redundantes-das-redundâncias-que-redundantemente-redundaram-se-até-dar-uma-síncope-no-HD-do-leitor!!

    hahah.....

    Duzinho você é fonomenal!!!! hahah....está desconstruindo o Marcinho aos poucos...e vejamos,

    No que o Marcinho disse:
    "...a Verdade-Verdade não existe, a não ser nas mãos do grande Assombro..."


    Ele já diz:
    "...pois a verdade EXISTE ao mesmo tempo em que deixa de existir".

    Como assim Marcinho???!!! existe uma tecla de "delete" para a verdade-verdade??!!

    Onde estaria a verdade?? no nosso insconsciente?!!

    Pois, a "oficina para a flexibilidade", está localizada na nossa mente!!

    :P

    ResponderExcluir
  17. Quanto à verdade absoluta,

    Para mim ela EXISTE, e vejamos o porque..

    Quando eu quero provar a existência de um Deus-Deus, eu posso partir em busca de todas as teses possíveis, a fim de concluir a tese de todas as teses, com uma CONCLUSÃO objetiva e verdadeira...verdadeira, pois é a verdade que convencerá de que Deus existe ou não existe!! Certo?!

    Pois é o mesmo que alguém me perguntar uma "Por que?!" de uma determinada coisa e eu responder: "Ahh...porque sim!!"

    Estarei convencendo o "entrevistador" com a minha resposta?! Claro que não, pois me faltaram argumentos convincentes.

    Assim é a Verdade absoluta. Ela não existe se não existe argumentos convincentes para fazê-la tornar a verdade-verdadeira!!!!

    A verdade não deixa de existir, o que nos põe em dúvida, são os "fatos" subjetivos...dúbios...indeterminados.....

    Abraços!!

    ResponderExcluir
  18. Marcinho, vai tomar banho de cachoeira e não me enrola...essa tua explicação é uma tentativa de estabelecer como válida a sua mente de labirinto.

    Vê se pelo menos deixa de ser tão contraditório!!! A Verdade existe em algum lugar transcendental(será os 99% cabalístico ou o céu do cristianismo?) e só por isso podemos dizer que cada um tem uma verdade relativa.

    Perguntaram a um sábio que não enrolava nas palavras se a verdade existia. Ele então respondeu:

    "Há pelo menos três verdades. A minha, a sua, e A VERDADE"

    Entendeu?

    beijinhos

    ResponderExcluir
  19. PAULINHA 1

    Não esquenta não, que dá próxima vez eu vou por uma postagem menos complexa. Rsrrsrsr

    Paulinha o DUZINHO apenas questionou uma frase até aqui, ou seja, esta longe de ser uma desconstrução total do meu texto.

    Que alias, diga-se de passagem, você está questionando o mesmo ponto do DUZINHO, será que é porque você não entendeu o restante que é todo o texto, e está se valendo do comentário do DUZINHO??? Rsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  20. PAULINHA 2

    Toma cuidado de me chamar para o debate, pois você está bem lembrada do que aconteceu na ultima vez, depois não vai dizer que eu não avisei. Heheheheheh

    Quanto ao que disse sobre a verdade que existe ao mesmo tempo em que deixa de existir, significando que, ela existe, porém é relativa no que tange a singularidade subjetiva de cada individuo, e isto está bem explicito na minha postagem! – será que você realmente leu minha postagem???

    ResponderExcluir
  21. EDUARDO MEDEIROS

    Ainda bem que você me mandou tomar banho na cachoeira, e não em outro lugar. Hehehehehe

    Tá bom DUZINHO, dá próxima vez eu escrevo um texto menos contraditório e mais entendível aos mortais. Rsrsrsrsssr

    Quanto a sua explicação sobre a verdade, está bem explicito na minha postagem, bastava você a ter a todo conteúdo da mesma, e não simplesmente em uma frase apenas.

    Vê se aprende DUZINHO, ao invés de ficar isolando frases do contexto das mesmas. Rsrrsrsrsr

    ResponderExcluir
  22. Marcitto,

    Hahahaaa.....é óbvio que eu li a sua postagem, pois é longe de mim, comentar sem ler.

    Mas então você quer um comentário em cima da sua postagem?! e não sobre a questão levantada do Duzinho?!

    CaRmaaaaaaa aeeeeeeee, logo mais eu voltarei, pois ainda estou numa briga para terminar de comentar em todas as salas, pois os textos estão extensos...rs

    Como já li o seu texto, tem uma parte dele que me despertou a atenção para comentar..

    Abraços.

    ResponderExcluir
  23. Aqui estou eu novamente....

    Destaco este fragmento:

    "[...]Deus-mesmo é um Deus além de qualquer e toda tentativa humana de encontrar, decifrar, codificar, decodificar, sistematizar e doutriná-lo, pois Ele é o totalmente outro, e a Verdade-Verdade não existe, a não ser nas mãos do grande Assombro [...]"

    Concordo em partes, mas discordo sobre a questão da verdade...

    Mas então a verdade existe assim como pode não existir...pois tudo depende da questão da relatividade?!...

    Pois bem, então ela EXISTE,

    Pois mesmo dizendo que ela existe e depois deixa de existir, ainda temos flashs da existência dela...

    E se "afirmamos" a existência ou inexistência de algo temos que provar, certo?!

    Pois no meu ponto de vista, que vantagem se tem ao dizer que "sabe-se" algo, se na verdade diz-se que sabe sem PROVAR?!!

    Por isto, eu confesso que nem tudo é possível provar, pois está longe do alcance do homem encontrar argumentos tão significativos e convincente para tudo e a todos...

    Então a verdade existe, mas não é ABSOLUTA?!

    Ou a verdade existe sendo ABSOLUTA?!

    O fato não é provar a existencia da verdade, mas sim o absolutismo desta verdade..

    Pois se a verdade é absoluta, ela é imutável?!.

    Mas se não é absoluta, ela é mutável...mas se é mutável, então não é verdade, e sim mentira?!

    Muito extensa esta questão..

    Mas tratando-se de Deus, eu creio que Ele é igual a verdade, às vezes absoluto, às vezes relativo....pois ele é um deus vivo, e não um deus de pedra....

    Abraços.

    ResponderExcluir
  24. putz que caracoles, marcinho, a paulinha detonou o noreda e agora quer fazer o mesmo com você aahhahahahaha haha

    Outra frase tua contraditória e filosófica que está além das minhas possibilidades de abstrações:

    . "A Verdade-Verdade é Deus-Deus, porém Deus-Deus não é a Verdade-Verdade, pois Deus-Verdade não passa de teologização humana que só existe no mais profundo, enganoso, cego e petrificado obscurantismo dogmático das inúmeras religiões,"

    Primeiro você afirma que a Verdade-Verdade É Deus-Deus....aqui quero entender que você se refere à Verdade que existe mas é inalcançável pelas especulações humanas. Ou talvez seja apenas uma afirmação retórica onde você diz querendo não dizer.

    Quando você diz Verdade-Verdade e DEus-Deus, para mim, isso significa a Verdade que existe de fato, mas está além. Da mesma forma, para mim Deus-Deus é o Deus que de fato existe, sem as roupagens da teologia.

    Talvez essa diferença de interpretação tenha embaralhado as coisas para mim.

    ResponderExcluir
  25. PAULINHA 1

    Ufa! Ainda bem que você leu, pois estava começando achar que você tinha apenas lido o comentário do DUZINHO. Rsrsrsrsr

    ResponderExcluir
  26. PAULINHA 2

    Sim! A verdade absoluta existe, porém ela é constantemente relativizada, por ser muito mais em dados momentos subjetiva do que objetiva!

    Então por isso ela existe ao mesmo tempo em que deixa de existir.

    ResponderExcluir
  27. EDUARDO

    Sem falsa modéstia, a minha postagem não pode estar, justamente para você, além “das suas possibilidades de abstrações”.

    Quando digo que a “verdade-verdade é deus-deus” estou apenas reiterando e corroborando com o texto no sentido de que a verdade absolutamente absoluta esta nas mãos de deus, pois o que temos dela é relativamente relativizada, salvo algumas exceções que por sua vez é a exceção das exceções, reforçando ainda mais a “regra”.

    ResponderExcluir
  28. Exelente postagem. Sim, existe uma verdade absoluta, mas nós humanos por não a entende-la acabamos, pois relativizando-a conforme nossa história, cultura e etc. Deus é muito mais que isso que vemos em tantas igrejas.
    Agora, eu queria te perguntar, a bíblia é uma verdade absoluta que transformamos em verdade relativizada?
    Fik na paz!

    ResponderExcluir
  29. Prezado amigo IGOR

    Obrigado pelo elogio, mas principalmente por sua maravilhosa presença e ainda mais, pelo riquíssimo comentário em nosso blog.

    Seja muito bem vindo e acolhido por nós todos!!

    Fique a vontade amigo, para comentar, e não se constranja a discordar de nós em nenhum momento.

    Queremos promover a reflexão através do dialogo, ora concordando, ora também e principalmente discordando.

    Também concordo com você que deus é muito mais (e coloca infinitamente mais nisto daí) do que “vemos” nas igrejas e, em todas religiões do mundo.

    Agora em relação a sua pergunta, acredito que a bíblia não é absoluta, portanto, logo devemos – como já fazemos por aqui – relativizá-la.

    Alguma outra pergunta, ou opinião?

    Como disse, fique a vontade, aqui estamos apenas trocando e compartilhando idéias, ok?

    Abraços e volte sempre!

    ResponderExcluir
  30. Ohhh MArCiTToOo, fala que tu ficou sem argumentos para discordar de mim e debater!!.....kkkkkkkkkkkkk...

    hsuahsaushuashauhs....

    Abraços.

    ResponderExcluir
  31. PAULINHA

    Mas eu respondi você, apenas não precisei ser prolixo.
    As vezes podemos dizer as mesmas coisas, mas de uma forma sintetizada.

    Fica provocando vai PAULINHA, que se eu resolver debater mesmo contigo, depois não vai ficar chorando falando que esta sem paciência de debater comigo. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  32. Sim, entendo que a bíblia em muitos trechos cabem intepretações, porém devem ser interpretadas de forma correta, entendendo o contexto histórico, filosófico e teológico do período e sendo auxiliado pelo Espírito Santo. Contudo, algumas partes trazem afirmativam que não precisam e não há como interpretá-las, visto que são diretas e objetivas, como, por exemplo amar seu Deus sobre todas as coisas e amar o próximo como a ti mesmo e entre outros.
    Fik na paz

    ResponderExcluir
  33. Olá amigo IGOR

    Que bom que apareceu de novo por aqui, seja sempre bem vindo.

    Na questão sobre a bíblia, ela deve ser relativizada como palavra dita de deus, pois não entendo que a mesma seja inerrante e infalível, sendo escritos apenas e totalmente humanos de experiências vividas com o deus de suas próprias psiques.

    Mas confesso que este espaço para lhe explicar é muito pouco para tão extensa explicação, portanto, lhe pediria muita paciência e que você lesse outras muitas postagens deste blog, para que você viesse compreender o que estou lhe tentando dizer.

    Mas você está certo no que se refere a sua absolutização para quem crer na mesma como palavra de deus.

    No mais, obrigado mais uma vez por sua ilustre participação, e ao ler outras postagens e quiser comentar, fique a vontade, mesmo que seja para discordar.

    Valeu e abraços

    ResponderExcluir

Deixe a sua opinião.

Mesmo que você não concorde com nossos pensamentos, participe comentando esta postagem.
Sinta-se a vontade para concordar ou discordar de nossos argumentos, pois o nosso intuito é levá-lo à reflexão!

Todos os comentários aqui postados serão respondidos!