quarta-feira, 7 de julho de 2010

“A fé e as mortes que ele causou” Parte I

 Depois de vários adiamentos, finalmente dou início à seqüência de postagens onde, de forma bem resumida, faço relatos sobre acontecimentos que marcaram nossa história, e que tem a “fé” como eixo para seu desencadeamento. Espero que, no decorrer dos comentários, possam ser esclarecidos alguns pontos que ficaram obscuros, devido a necessidade de sintetizar ao máximo o texto, para quer não ficasse cansativo aos leitores. Este é apenas o primeiro de uma série de artigos meticulosamente preparados para trazer aos que não tiveram a oportunidade de conhecer, o “terror em nome de Deus”. Boa leitura!

Não pode se dizer que o Holocausto, tido entre os maiores genocídios contínuos da história, tenha sido motivado unicamente por questões religiosas, uma vez que o objetivo final de Adolf Hitler era a conquista do mundo em nome de uma raça ariana. No entanto, ao mesmo tempo em que os nazistas diziam estar servindo a Deus ao eliminar os Judeus, eles também estavam ligados a uma série de procedimentos pagãos, de cunho religioso e esotérico. Por outro lado, a perseguição aos judeus não foi exclusividade dos nazistas. Durante séculos, eles sofreram perseguições principalmente da igreja Católica, que por muito tempo afirmaram que os judeus eram responsáveis pela morte de Jesus, aliás, um judeu.

Alguns episódios da história servem de exemplo, como as Cruzadas e a Inquisição. Antes do início da Segunda Guerra Mundial, o anti-semitismo era muito forte no Ocidente. Em minha opinião, o holocausto demonstrou os resultados “demoníacos” que residem em nossa tradição de pregações e ensinamentos anti-semitas. Desta forma o anti-judaísmo cristão promoveu a causa nazista de várias maneiras. Ele levou os nazistas a focarem suas ações inicialmente nos judeus, e criou atitudes que permitiram que eles executassem seu programa de extermínio enfrentando pouca resistência.

Lamentavelmente a desastrosa doutrina católica preparou o caminho para Hitler e sua “solução definitiva”. Em grego o termo “Holocausto” significa uma oferenda feita em sacrifício. Foi usado no século XX para designar o extermínio sistemático, realizado pelos nazistas, de diversos grupos considerados indesejáveis, entre eles Judeus, homossexuais, comunistas, ciganos e deficientes. O número exato de mortes durante o holocausto é desconhecido. Estima-se que aproximadamente seis milhões de judeus tenham sido assassinados.

O Holocausto distingue-se dos outros genocídios da história pelo método sistemático empregado pelos nazistas. Ele foi levado a cabo em todas as regiões ocupadas pelos Alemães. Os meios usados para o assassinato em massa foram diversos, e, com o passar do tempo, foram sendo “aprimorados”, com um número crescente de vítimas. Além de execuções, os nazistas realizaram experiências médicas cruéis e bizarras em prisioneiros, incluindo crianças. Quando Hitler assumiu o poder, sua ideologia racista passou a ser empregada, defendendo a existência de apenas uma raça superior, a saber, a ariana. As demais raças eram consideradas inferiores e responsáveis pela perturbação da sociedade. Eles deveriam ser destruídas ou servir à raça superior. Foi dessa forma que teve início a perseguição aos judeus, negros, ciganos, homossexuais, doentes mentais e terminais.

Quando os judeus que eram capturados pelos nazistas, chegavam aos campos de concentração, eram separados em filas de mulheres, crianças e homens. Havia então a separação dos mais fracos, que eram encaminhados para a câmara de gás disfarçadas de chuveiros coletivos. Os prisioneiros se despiam imaginando que iam tomar banho, mas eram fulminados pelo gás mortal e, depois, enviados para o crematório. Dentes de ouro eram retirados e algumas vezes a própria pele era usada em candeeiros. Os cabelos das mulheres eram raspados antes delas entrarem nas câmaras de gás, e reciclados para confecção de produtos como tapetes e meias

Mas você pode estar se perguntado:

O que o Edson quer dizer com isso que está escrevendo?

Na verdade, eu é quem faço algumas perguntas:

Onde estava é igreja neste momento da história? Onde estava a fé? Onde estava Deus? Em que a fé dos Judeus os ajudou? E mais:

Não foi uma fé cega que motivou o “Führer” a cometer esta barbárie? Por que o Papa Pio XII silenciou-se nesse momento? Será que lá no fundo, ele não estaria batendo palmas para o führer? De todas as hipóteses, a mais provável é que o papa Pio XII, ao escolher o silêncio no que dizia respeito ao extermínio judeu pelos nazistas, estaria apenas comportando-se como um estadista e não como um líder religioso.

"Parabéns para ele!"

Por Edson Moura

35 comentários:

  1. Olá,
    Me reservo ao direito do anonimato e expressa minha opinião sobre o suposto "Holocausto"

    Que provas existem de que os nazis mataram seis milhões de judeus?
    Nenhuma. Tudo o que temos é o testemunho pós-guerra, na sua maioria de "sobreviventes" individuais. O seu testemunho é contraditório e muito poucos dizem que realmente viram algum "gaseamento". Não existem documentos convincentes chegados até nós e nenhuma grande evidência: nenhum monte de cinzas, nem crematórios capazes de destruir milhões de corpos, nem "sopa humana", nem abajures feitos de pele humana e nenhuma estatística demográfica acreditável.
    Que evidência existe de que os nazis não mataram seis milhões de judeus?
    Extensas evidências forênsicas, demográficas, analíticas e comparativas demonstram a impossibilidade de tal número. O grandemente repetido número de “Seis Milhões” é um exagero irresponsável.

    Porque pessoas negras podem se orgulharem de serem negras e nos não podemos nos orgulhar de ser branco?

    brancos foram torturados e mortos na africa do sul isso é normal? então fica por isso mesmo?

    A igreja católica sempre "chupou o saco" dos poderosos!
    O nosso amado PAPA "HITLERIANO" Papa Bento XVI serviu o exercito de Hitler.
    Quem era Joseph Ratzinger, realmente? E quem é Bento XVI? Os dois são o mesmo homem? Ou alguma coisa mudou?

    Hitler não foi um Monstro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é isso cara Hitler não foi um monstro, na africa do sul perseguiram os Brancos

      Excluir
  2. Olá Edson,
    Deus estava no mesmo lugar que está hoje quando milhares e milhares de inocentes têm sido sacrificados dia a dia em todos os recantos do planeta a bel prazer de assassinos cruéis.

    "Estas coisas tens feito e eu me calei; pensavas que Eu era teu igual; mas Eu te arguirei porei tudo a tua vista...

    Como Hitler a igreja católica, não ficará sem sua devida punição. Eu creio no juízo final.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Caro anônimo, se assim posso chamá-lo. Embora eu não concorde de forma alguma com atitudes bárbaras...inclusive pena de morte para assassinos, gostaria que você reparasse no texto que a crítica que faço, é à "fé",(não importa se católica, esotérica, espírita, ou qualquer outra vertente do termo fé...simplesmente critico a fé!)

    Gostaria muito que você se identificasse, pois certamente, pessoas que leêm este blog, ficarão em dúvida ou até mesmo desconfiadas de que eu mesmo esteja forjando um comentador. mas como posso perceber inclinações partidárias da nacional socialização, concordo em responder-lhe mesmo no anônimato.

    Chamamos de "Holocausto" ao tratamento desumano que os judeus sofreram nas mãos dos nazistas, e que tornou-se um "símbolo" do mal até os dias de hoje. Como vários outros símbolos, o Holocausto tornou-se sagrado para muita gente.

    Para muitas pessoas, tanto judeus como não-judeus, ele simboliza o horror do genocídio contra os judeus especificamente. Alguns anti-semitas modernos descobriram que atacar o Holocausto causa tanto sofrimento para alguns judeus quanto atacar aos próprios judeus. O termo usado para o ataque a qualquer aspecto da "simbologia" ou da "mitologia" do Holocausto é "Negação do Holocausto".

    Todos os grandes eventos sempre serão permeados de alegorias. Se são atos bons...receberão uma dose extra de glamour, e se são atos maus, como mau considero o assassinato em massa, receberão também sua dose extra de exageros. Assim aconteceu com o cistianismo...assim aconteceu com o apartheid.

    Parece ser esta a principal motivação do Instituto para Revisão Histórica e seu "Journal of Historical Review", que há muito tempo vem publicando artigos atacando a exatidão de uma ou outra alegação sobre o Holocausto. Parece-me ser ela, uma revista "histórica" dedicada quase que exclusivamente à questão de fazer o Holocausto parecer um exagero de historiadores tendenciosos.

    continua...

    ResponderExcluir
  4. continuando...

    Esse instituto foi fundado em 1978 e alega ser um "centro de pesquisa, educação e publicação dedicado à verdade e exatidão na história." Se a verdade e a precisão histórica fossem os únicos objetivos desse grupo, duvido que fosse causar tanta controvérsia.

    No entanto, parece que seus promotores estão mais preocupados com o preconceito que com a verdade. Assim, mesmo as inexatidões que corretamente identificam são recebidas com desdém e escárnio. Afinal, eles nunca tratam da questão principal do Holocausto. Tratam apenas de números:

    teriam sido seis milhões, ou "apenas" quatro milhões, ou 2 milhões os judeus que "morreram" ou "foram mortos"?

    Tratam de questões técnicas: Esse chuveiro poderia ter sido usado como uma câmara de gás?

    E as mortes, foram elas devidas a causas naturais, sim ou não?

    Hitler realmente emitiu uma ordem para a "Solução Final", sim ou não? Se emitiu, onde estria ela?

    Não estou dizendo que essas não sejam questões legítimas, nem estou dizendo que essas perguntas não deveriam ser feitas. O que digo é que os que negam o Holocausto não tratam das questões referentes às leis raciais que levaram à prisão e encarceramento de milhões...ou milhares, sei lá, de judeus em vários países pelo crime da "raça".

    Não se preocupam com a atitude de aglomerar pessoas como animais e transportá-las para "campos de concentração", onde os que não morriam por doenças eram levados a morrer à míngua ou eram assassinados, ou se tivessem "sorte" sobreviviam para executar trabalhos forçados.

    Não tocam no assunto das questões morais da experimentação médica em seres humanos, ou da perseguição dos homossexuais e dos enfermos. Por que?

    Enfim, como já disse, minha ênfase é para a questão da fé, que acaba por transformar homens em zumbis, prontos para executar qualquer ordem que seu "Führer" (seja ele Deus...Alá...Maomé...Kardec...Exú ou qualquer outra entidade religiosa).

    De qualquer forma, agradeço sua perticipação neste espaço, e espero que volte mais vezes.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Guiomar, minha querida, que Deusw esteja no mesmo lugar, disso eu nunca duvidei. Mas é exatamente esta questão que me encomoda. Por que as pessoas não param para pensar um pouco, e veêm que Deus não interfere em suas vidas?

    Não acredito que haverá punição para o Hitler, assim como também não haverá punição para os assassinos atuais. Muito menos uma punição em um "grande dia". Essas pessoas que praticaram atos tão desumanos, já pagaram no tempo em que estiveram aqui. O próprio Hitler, se viu obrigado atirar a própria vida.

    Quando nós dizemos que pessoas ou instituições serão julgadas no dia do Juízo, isso nos torna vingativos, e por conseqüência, pessoas talvez até piores que eles. Não me agradaria nem um pouco, ver pessoas sofrendo no "inferno"...e a você...agradaria?

    Abraços Guiomar!

    ResponderExcluir
  6. Oi Edson, Deus interfere na minha vida pessoal quando eu permito. Ele respeita meu livre arbítrio.

    Eu não vejo como vingança e sim como justiça.

    Tudo que eu quero é ver pessoas salvas do inferno, para isso, tenho trabalhado todo tempo que posso. Sei muito mais que este não é o propósito de Deus, mandar alguém para o inferno.Cada um escolhe aonde deseja passar a eternidade, mas não podemos esquecer: só há um caminho...

    Beijão.

    ResponderExcluir
  7. Édeson, você comente um erro grave: A fé não provocou a Segunda Guerra. Judeus morreram não por causa da fé.

    O que contribuiu com tantas guerras e mortes ao longa da história foi a participação de instituições que se puseram como única interprete da fé e usaram a fé como meio de obter poder político e econômico.

    Olhe para Jesus...
    Olhe para Buda...
    Olhe para Gandhi...
    Olhe para Madre Teresa...
    Olhe para Zilma Arns..
    Olhe para São Francisco...
    E tantos e tantos outros. Estes tiveram fé autêntica.

    Não chame de fé o que as instituições políticas disfarçadas de religião tinham e usavam como manipulação de mentes e corações para seus próprios fins nada nobres.

    A religião organizada esteve ao lado de Hitler na pessoa do papa Pio XII, a fé autêntica, não. A religião organizada dominou as mentes e corações durante a Idade Média, a fé autêntica, não.

    Prá terminar, eu ouvi da boca de um sobrevivente do holocausto que a única coisa que manteve o povo judeu vivo e coeso durante todos os séculos de dominação estrangeira foi exatamente, a fé em D'us. "ainda que a figueira não floresça..." lembra?

    Por favor, não volte a cometer esse erro grotesco novamente.

    E só uma palavria para o anônimo nazista: se Hitler tivesse matado 6 judeus inocentes, ele já seria um monstro.

    ResponderExcluir
  8. Eduardo meu amigo, não existe erro algum , ou pelo menos desse que você está falando. O que seria essa "fé genuína" meu amigo? Será ela uma fé que eu nã conheça ainda?

    Os judeus morreram por uma fé que não era a deles Edu. Hitler conseguiu levar 90% dos alemães a terem fé numa raça superior.

    O que é que os protestantes dizem hoje sobre sua fé? Dizem ser o povo escolhido...separados ou santos...povo eleito...herdeiros da promessa. Este tipo de fé é má Edu.

    Eu também tenho fé! Fé no ser humano..."esperança de que o homem não seja tão mal que precise de fé para ser bom"

    Edu, você me inspirou a escrever e como minha filosofia é feita no chão da existência não poderia ser inspiradop de outra forma senão por conversas e discussões saudáveis como as muitas que já tivemos.

    Postarei o que escrevi, daqui à pouco no "ciências Religião Política e Educação".

    Capitão, faço coro com você e vou além:

    Se Hitler tivesse matado um judeu sequer, por motivos raciais ou quaisquer outros motivos, ainda assim ele seria um monstro.

    Abraços meu irmão

    ResponderExcluir
  9. Adoração & Santidade, obrigado por participar neste espaço. Você sera sempre bem vinda (o) por aqui. Entendo perfeitamente sua posição quanto à temática em questão, mas gostaria de fazer uma pergunta:
    Sua frase...

    "...Eu não vejo como vingança e sim como justiça."

    O que é a justiça senão a própria vingança, mas desta vez, amparada pelo sistema jurídico que nós mesmos criamos, para, vingarmo-nos daqueles que cometem atos que nos prejudicam?

    Temos o caso recente do goleiro do Flamengo que, segundo apontam os indícios, teria planejado a morte de uma garota.

    O que ós quermos que aconteça com ele?

    é claro que queremos que ele seja julgado e condenado pelo crime que provavelmente cometeu, certo?

    Pois bém, esta é a nossa vingança...só que feita com amparo de autoridades judiciais.

    Quando fazemos "justiça" com as próprias mãos, estamos claramente nos vingando...mas quando deixamos que o os orgãos responsáveis executem a vingança, estarão eles fazendo "justiça".

    Abraços e obrigado pela sua visita!

    ResponderExcluir
  10. Edson, meu amigo, o que eu chamo de fé genuína é a fé que não precisa do culto. Não precisa da catedral. Não precisa dos compêndios de teologia. Que não querem saber se Deus age assim ou age assado. A fé genuína é mística. O processo todo se dá naquela parte do cérebro que a ciência já descobriu que tem por única função, a transcendência.

    É uma fé que vê com os olhos da poesia, como disse Rubens Alves no texto que postei na confraria. É uma fé que vê Deus na pedra, na montanha, na borboleta, no sorriso, na solidariedade. É uma fé que não dá rosto para Deus, visto que o rosto de Deus é o teu próprio rosto, e o teu Deus será exatamente como tu és.

    Também tenho fé no ser humano. Deus também deve tem fé no ser humano...

    Mas Deus para mim é o Mistério último da criação. É o iniciador consciente da existência. Tudo que passar disso para mim, é "de procedência maligna".

    O que você disse:

    "O que é que os protestantes dizem hoje sobre sua fé? Dizem ser o povo escolhido...separados ou santos...povo eleito...herdeiros da promessa. Este tipo de fé é má Edu."

    Concordo com você. Esse tipo de fé não fará o ser humano evoluir. É uma fé má. A minha fé não vê grupinho escolhido de Deus: eleitos, se é que há, são todos os homens de boa vontade que já passaram por este mundo. Os de má vontade apenas agiram conforme a sua própria ignorância.

    ResponderExcluir
  11. Edson, esta adoração está me perseguindo, por duas vezes entra no lugar do meu nome nos comentários.

    Vingança, ao meu ver é quando alguém se nivela ao ofensor e o ataca com ódio, sem misericórdia, enquanto a justiça pede a devida punição do culpado ainda que, com misericórdia.

    Se o goleiro Bruno houvesse sido punido anteriormente quando comenteu as outras maldades contra as garotas de programa, talvez ele houvesse pensado melhor e não teria chegado a esta monstruosidade.

    Quanto a fé, eu concordo plenamente com o Edu, acho que tem havido muita confusão com os termos "fé e religiosidade."

    Agora, assino: Guiomar Barba.

    ResponderExcluir
  12. Guiomar, kkkkkk, eu já desconfiava que era você, mas não quis arriscar e cometer uma gafe!rsss

    Acho que agora eu, você e o Edu estamos nos entendendo a respeito do termo fé!

    A respeito da vingança e da justiça, vou ter que discordar de você amiga, pois a misericórdia não encontra espaço na justiça do homem. Misericórdia somente com Deus, pelo menos é isso que diz a Bíblia né?

    Por exemplo:

    Se o juiz que for julgar o caso "Bruno goleiro do Flamengo", usar de misericórdia com os culpados, automaticamente ele estará sendo injusto com a família da vítima, você não acha?

    Abraços!

    ResponderExcluir
  13. Edu, só para complementar, eu conheço um "judeu", seu nome é Wolfgang Friedish Saigo, ele é alemão...e ateu...e Alemão. Escrevi judeu em aspas pois quero deixar claro que judeu não,é um povo e sim uma religião. Pois bem, o Senhor Wolfgang almoça todas as terças-feira no resturante em que eu trabalho. Recentemente ele me trouxe seu passaporte da época da perseguição, e com o carimbo do Reich.

    Perguntei para ele o que foi que o salvou dos campos de concentração, inclusive para onde seu pai foi levado e não voltou. Ele me disse que apenas teve sorte e agradece ao país que o acolheu de imediato...a saber o Brasil.

    Admiro este senhor de 85 anos, absolutamente sem fé, e que não vê a hora de morrer para enfim descansar.

    Quanto ao último comentário, agora sei qual é a fé que você tem...mas não considero fé e sim, simpatia pelo místico.

    Abraços capitão!

    ResponderExcluir
  14. Edson, acho que as campanhas pró ou contra qualquer coisa são quase sempre viciadas em sua origens. Exemplo: me vês fazendo campanha sistemática contra a homofobia, colocando bandeiras gays no meu blog e coisas assim? Não faço isso porque não preciso. Porque a homossexualidade, graças a Deus (não à religiosidade) deixou de ser um problema para mim há algum tempo. Eu não preciso ficar batendo na mesma tecla todo post a favor da homossexualidade, tanto que já fazia um certo tempo que eu não abordava o assunto no meu blog.

    Não entra em campanha contra a religião ou contra a fé alheias. Resolve os teus próprios problemas com a religião e com a fé antes de empreender uma cruzada anti-fé e anti-religião.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  15. Edson,
    A misericórdia deve ser um atributo de qualquer ser humano. Inclusive Deus fala que não terá misericórdia de quem não teve misericórdia. Uma coisa é justiça outra coisa é vingança. Se o juiz agir com justiça ele dará ao Bruno uma sentença justa, punitiva e digna.
    Ele agiria sem misericórdia se usasse contra o réu da mesma monstruosidade que ele supostamente usou para com a Eliza.

    Quem sabe era o que merecia, finalmente ele não é réu primário.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  16. Os lideres das religiões sempre tiveram a chances de lutar contra os tiranos mas sempre ouve o medo.. mas por que esse medo de outro homem? ser eles tem o seus "deuses" ao seu lado... então eles não confiam em seus deuses?? não confiam na sua fé? Qual seria outra razão pelo medo de lutar??
    A única vez que um lide de um religião lutou pelo algum motivo belo foi na "Primeira Cruzada" a única vez que a igreja católica foi "homem". Já o resto faz a religião como um meio de alcançar o poder e começa a criar várias regras para conseguir manipula seus discípulos e mande sobre controle!

    você só é salvo pela sua fé mas ela não salva sua vida da morte, nada salva =/
    Somos Animais mais evoluídos mas nosso destino final é igual... a morte é igual para todos.. Leões, vacas, gatos e seres humanos.

    ResponderExcluir
  17. Guiomar, minha linda, estou procurando entender o que você está dizendo a partir do que você crê. Mas me diga: você acredita em inferno?
    se acredita, você acha que Deus será justo ao deixar lá bilhões de pessoas porque não aceitaram ao seu filho como salvador?

    ResponderExcluir
  18. Edson, interessante o exemplo do judeu ateu. Só mesmo o povo de Israel de ter uma religião e ser ateu...rssss Mas esteja certo que a fé desse povo em seu deus os trouxeram até aqui, mesmo que na época do holocausto muitos se perguntavam: "que vantagem há em ser o povo eleito?"

    Agora, seu cabeçudo, não venha me dizer você o que é a minha fé!!!! Eu não tenho simpatia pelo místico, eu estou mergulhado nas ondas quânticas da mística.

    ps. "ondas quânticas" é só prá dar uma enfeitada na frase, kkkkkkkkkkk
    Existem místicos que são cientistas que vêem na física quântica um paralelo com a espiritualidade. Mas eu ainda não compreendi de todo o que eles querem dizer...mas continuo lendo seus livros até entender.

    ps 2: é de bom alvitre você seguir o conselho do Isa. Se você quiser denunciar o sistema religioso corrupto que é hoje o cristianismo, eu te ajudo. Mas se você quiser arrancar deus do coração das pessoas, você terá em mim sempre um respeitoso adversário.

    beijos também, por que não? rss

    ResponderExcluir
  19. Oi Edu,

    Nós não somos fantoches nas mãos de Deus. Eu creio sem dúvidas que Ele tem um lugar para tantos quantos queiram ir para lá. Espero que não seja de ruas de ouro, nem pedras preciosas, mas que tenha rios, florestas, animais e mar, se for diferente disto, me alegro sabendo que herdaremos a terra.

    Mas imagina se ele levasse para este lugar: Elias Maluco, Malufe(representando outros), Bruno, Fernandinho Beiramar, Nenen e todos este monstrinhos que dia a dia cometem os mais hediondos crimes...

    Meu amigo, para mim o inferno será o sofrimento na medida dos atos de cada um que não quer se arrepender, portanto não seremos forçados a viver com estes elementos em um mundo tansformado, no caso aqui na terra, se eles escolheram seu caminho de maldade. Portanto, não depende da justiça de Deus e sim da minha escolha.

    Beijão.


    Edson,
    Não entendi: Judeu é uma religião e o camarada era judeu e ateu? Explique-se mano.
    Abraço

    ResponderExcluir
  20. Titio Edson,

    Será que você é o anônimo? Brincadeirinha...

    continuaa....

    ResponderExcluir
  21. Fatos sobre Hitler.

    * Hitler mandou fazer o Fusca em homenagem à sua primeira vez, quando perdeu o cabaço no carro do namorado.
    * Hitler estudou na Escolinha Acarajé Feliz
    * Hitler é a única pessoa na história a ter um pênis de tamanho negativo (-7 centímetros).
    * É fundador,ao lado de Luís Boça,do "clube dos minigueimeiros".
    * Hitler costuma jogar pôquer no Inferno todas as quartas-feiras com Mussolini, Voldiê, Darth Vader, Átila o Huno, Chuck Norris, Lord Tenebrian e Saddam Hussein. Ele sempre fica sem dinheiro e bota a culpa nos judeus.
    * É um jogador compulsivo de War, mas usa sempre a mesma tática: invadir a Polônia primeiro. Quando ele começa com a Polônia, pede que os territórios sejam redistribuídos.
    * Odiava mortalmente Karl Marx, mas agora são bons amigos e sempre assistem ao Jornal Nacional juntos.
    * Ficou em primeiro lugar na lista dos mais cruéis.
    * Hitler, na intimidade, adorava gefilte fish.
    * Foi um designer frustrado. Aí, quando subiu ao poder, mandou fechar a Bauhaus. Se Hitler não pode ser designer, ninguém pode! Humpf!
    * Era cagão demais para invadir a Suíça.
    * Era membro-fundador do Clube do Bigodinho, ao lado de Charlie Chaplin, Grande Irmão e Plínio Salgado.
    * Poucos sabem, mas Hitler, aos 5 anos de idade, liderava um grupinho de alunos, os "Hail RBD", que dominou a pré-escola em poucos dias.
    * Hitler usava absorvente (!)
    * Sua mãe criava pintinhos em Amsterdan e tinha um amante que era filho de João do Pulo, campeão mundial de bolinhas de sabão e engolidor de pérolas menstruadas.
    * Hitler faz uma participação especial ajudando Sora por trás em Kingdom Hearts
    * Hitler tinha apenas um testículo (fato real!).
    * Hitler teve um filho: Quico, do seriado Chaves. Quico, assim como o pai, foi um emo famoso.
    * Hitler não tem biscoito.
    * Hitler não morreu, virou purpurina.
    * Hitler já fez parte da legião urbana.

    ResponderExcluir
  22. Edson você saber que eu não sou você e eu sei que eu sou eu e não você.. Nessa é nossa conversar é particular sobre o tema... não quero opinião de pessoas que não tem o menor conhecimento sobre o mesmo. vocês tem opiniões tradicionais sobre o suposto "Holocausto" vocês seguir opiniões de outras pessoas e não tira suas próprias opiniões sobre o tema!
    Só Judeus que morreram no "Holocausto"?
    Não!Morreram mais católicos do que judeus no holocausto, mas isso não aparece porque os judeus têm a propaganda do mundo.

    Eles afirmam também que como 60 milhões de pessoas morreram na 2ª guerra, 6 milhões de judeus não pode ser considerado tão grave assim. Na versão deles, contrariamente à Mitologia do Holocausto, não houve tentativa dos nazistas, nem de ninguém, de exterminar os judeus. Houve uma tentativa, grandemente bem-sucedida nas áreas controladas pelo Eixo, de expulsar os judeus da Europa. Afirmam também que o número comum de seis milhões de mortos é grande demais em pelo menos 500% e que as camaras de gás jamais existiram.

    Para termina... Na aquela época era comum ocultismo no qual Hilter praticava..

    Será o diabo dominou Hilter? kkkkkkkkkkk

    Nunca existiu o Holocausto!

    ResponderExcluir
  23. Agora falando Sério Edisinho.

    Sabemos que não foi a fé que promoveu está querra, e sim as teses racistas e anti-semitas de Hitler, que defendia uma raça totalmente pura "a ariana". Documentos apresentados durante o Julgamento de Nuremberg indicam que, no período em que Adolf Hitler esteve no poder, grupos minoritários considerados indesejados - tais como Testemunhas de Jeová, eslavos, poloneses, ciganos, homossexuais, deficientes físicos e mentais, e judeus - foram perseguidos no que se tornou conhecido como Holocausto.

    Isso significa que não foi por causa da religião, o acontecimento desta querra, e sim por causa de uma ideologia errônea criada para propagar um sangue puro e exterminar os impuros de sangue.

    Agora estamos entendidos Tio...See you later.

    ResponderExcluir
  24. Tio Edsinho,

    Vee se para de namorar um pouco e vem responder os nossos comentários.

    Tô vendo que esse anônimo não entende nada de Hitler. Ele falou algumas coisas que foi real, mais outras não passa de exagero delirante.

    ResponderExcluir
  25. Guiomar, o que te garante numa futura terra restaurada outra vez a serpente não vai se insinuar e levar a humanidade a uma outra "queda"?

    Sim, pois segundo consta no imaginário teológico cristão, o próprio céu não era um lugar seguro para se viver já que foi lá que começou a rebelião de Lúcifer.

    ResponderExcluir
  26. Os caras não aparecem por aki... poxa!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  27. Vou ouvir uma palavra do Polvo-Profeta!!!

    ResponderExcluir
  28. E o polvo-profeta acertou mais uma... caramba!!!

    ResponderExcluir
  29. Hitler não foi um monstro, o Papa Pio XII não foi um infiel, a culpa não é de Deus. A culpa é do imbecíl que se julga superior a outros animais e promove todo tipo de barbaridade contra sua própria espécie.Em nome de Deus ou não.
    Não houve holocausto,foi só uma brincadeirinha com o nome de 2ª guerra mundial para não esquecer que houve uma 1ª e treinando para a 3ª. Chamam isto de evolução e botam Deus no meio. Santa ignorância.

    ResponderExcluir
  30. Edu,
    Quando o diabo se rebelou contra Deus, ele estava no céu e era um querubim.

    Quando nós estivermos na eternidade, ele estará no lugar que lhe é devido, donde jamais poderá sair.

    Talvez você vai me perguntar quem me garante que não surgirá outro diabinho lá no céu?
    Quando ele foi jogado na terra todas as crias dele vieram junto, com certeza Deus não se engana jamais.
    Beijão.

    ResponderExcluir
  31. Amorzinho,

    Somente hoje pude ler com calma este artigo.

    Ficou muito bom....e particularmente, este assunto é um tanto polêmico...o que nos instiga a querer debater...

    Adorei os comentários do DUDU....os seus também estão magníficos...Parabéns para ambos!!

    Creio que Hitler foi conduzido a tanta crueldade por influência de uma fé, que não foi nem um pouco genuína....

    Podemos lembrar, que Hitler foi submetido à 42 atentados contra sua vida...e ele permaneceu de pé, pois sempre pensou que uma "providência" estava intervindo à seu favor.

    O que instigou a continuar firme e forte na sua missão....e dividir grupos...e permitir a morte de milhares de seres inocentes..

    Beijos meu amor.

    ResponderExcluir
  32. O que chamamos de "solução final" para termos uma idéia clara de tudo que abrange o aparecimento de Adolf Hitler ate o seu suicídio no Führerbunker, em Berlim, a 30 de abril de 1945,a idealização da solução final parte de dois mentores Richard Walther Darré,Alfred Rosenberg, os executores Heinrich Himmler,Ernst Kaltenbrunner,Adolf Eichmann,sem ter uma leitura solida dos compêndios o que se fala sobre nazismo e muito vago,Os jornalistas falam aberrações por que não possuem o mínimo de preparo sobre o assunto. Joachim Fest. A MAIOR AUTORIDADE SOBRE NAZISMO NO MUNDO. um historiador e escritor alemão; tornou-se mundialmente conhecido pela sua biografia de Adolf Hitler lançada em 1973 e pelo apoio na autobiografia de Albert Speer lançada em 2000.SE QUER FALAR SOBRE NAZISMO DEVE PROCURAR O SEU MATERIAL E LER EXAUSTIVAMENTE.

    ResponderExcluir
  33. Deus e Diabo não tem nada a Ver com Isso, é verdade real vem do consentimento de cada um , ele queria expulsar os ''imperfeitos'' para q Pudesse se tornar o Mundo Perfeito,
    Hitler Foi um Monstro,mas apesar de tudo ainda sim tem a admiração de Muitos Inclusive a Minha!!

    ResponderExcluir

Deixe a sua opinião.

Mesmo que você não concorde com nossos pensamentos, participe comentando esta postagem.
Sinta-se a vontade para concordar ou discordar de nossos argumentos, pois o nosso intuito é levá-lo à reflexão!

Todos os comentários aqui postados serão respondidos!