domingo, 4 de julho de 2010

Corrompendo a "fé" através da religião


Fé nasce do e com o individuo que mais tarde será sendo o que é na influenciação externalizada de seu nascimento e amadurecimento, internalizando as “verdades” objetivas lançada-as no “ar” pelos vastos e radiantes pensamentos religiosos por homens com um forte poder de irresistível e intocável oratória e eloqüência, que persuade mais por sua fala e convicções, tendo um imenso e sedutor carisma, que são capazes de arrastarem multidões de incautos e ignorantes, que se tornaram poderosos conhecedores, mas ainda sim, reféns dos multi-sistemas das mais variadas religiões e suas incontáveis interpretações de cada vertente.

Porém mais tarde na caminhada religiosa do sujeito religioso, não será possível separar distinguindo a fé nata das milhares e milenares crenças das tradições aprendidas, pois estarão de tal forma interligadas e vivenciadas, que não se poderão saber onde começa um, e termina outro, pois uma vai construindo a outra, se incorporando e encorpando na codificação e sistematização da fé na crença do que crer, sendo a fé do mesmo não carecendo mais de constatações e explicações, muito menos ainda de provas, pois se é, na interiorização, sendo apenas difundida o que já esta petrificado dentro do individuo.

Ao passar dos anos, quanto mais o tempo passa, com o sujeito dentro, envolto e absorvendo os conteúdos da mesma, mais difícil será para ele criticar analisando, se quer ainda questionar as pretensas verdades ensinadas e contidas como absolutas, pois entregou e mergulhou de tal maneira a sua vida para aquela tradição de fé, que o sentido último de sua vida é a sua própria fé naquela crença, que de tanto ele crer já se tornou e transformou ele mesmo em sua própria fé, preferindo a morte do que o abandono da mesma, pois ele é o que a fé diz e fez ele ser.

Corrompe-se um ser não pela fé do próprio apesar de usar a mesma, mas pelas pressões e influencias que são exercidas e impostas sobre ele, acorrentando os seus pensamentos que antes eram seus, mas que agora não passam de meros reflexos do espelho grupal dos que estão a sua volta, quer sejam por promessas fantasiosas tanto como melhor sorte nesta terra do que os demais que assim não crêem, como também por ameaça de inúmeros supostos castigos e punições divinas, sendo o carro chefe da benção o céu, já o do castigo, o fogo eterno do inferno.

Mesmo que as inúmeras religiões consigam influenciar as pessoas positivamente, ainda sim será má, pois não será o natural do sujeito, mas antes meros esforços empreendedores onde se gasta energia física e mental para anular a sua essência, quer seja para realizar atos bons, ou para impedir ações ruins, que no final, não conseguirão sustentar, pois elas não passam de atitudes superficiais forjadas pela manipulação, que não deixa de ser, mesmo sendo boa ou rui, pois não faz parte da integridade e composição do sujeito que assim procede.

O natural da fé surge no individuo cansado de todas as roupagens religiosas, que irrompe com todas as tradições, sendo agora muito mais uma questão de sua própria analise e pensamento de sua fé, mesmo que seja esta nua de quaisquer doutrinas e certezas dos inúmeros seguimentos religiosos professos, pois não mais tem ele um seguimento a defender, estando aberto e exposto a universalidade e pluralidade de religiões no mundo existentes, sendo a sua nada mais do que a mais simples e pequena, porém a imprescindível certeza do saber do grande Assombro, e mais nada, sendo tudo e em todas as religiões postas em cheque, pois o seu crê superou o conflito religioso de procurar a verdade, pois sente que não há mais uma verdade, mas todas não passam de meras experiências subjetivas, portanto, uma única fé que esta embasada no Ser que é, não precisando mais da intermediação da religião e nem de seus muitos códigos.

Escrito por Marcio Alves

62 comentários:

  1. SHALON ADONAI! Em Atos 8.31AS CARÊNCIAS HUMANAS SÃO MUITAS, COMPETE-ME ATENDER AQUELES QUE ESTÃO AO MEU ALCANCE. EU não nasci em berço evngélico de crentes, mas depois que me converti, encontrei um livro COMO LIDAR COM A DÚVIDA, SOBRE DEUS E SOBRE VOCÊ MESMO. foi quando Deus começou a falar e agora temos esse maravilhoso espaço de revelação. HALLELUJAH.

    ResponderExcluir
  2. Prezado TUBALCAIN

    Não sei por que, mas tenho uma sensação de que você vem nesta sala....não lê o que nós escrevemos e pior ainda, vem somente para colar estes seus spaw.....gostaria de pela primeira vez nesta espaço, ler um comentário seu a respeito da postagem...será que você consegue heim????

    Estou no aguardo............

    ResponderExcluir
  3. A influência religiosa se aninha tão profundamente que chega um ponto que não conseguimos ter um relacionamento de fé sem se apoiar em dogmas, livros, pessoas ou hábitos puramente apreendidos. Entramos para igreja buscando Deus e encontramos tanta coisa no caminho que nos distraímos do propósito.
    Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  4. MARIANI LIMA

    É um imenso prazer para nós todos ter você aqui.
    Fique a vontade, se sinta em sua casa, para comentar analisando e refletindo, ora concordando, ora discordando, pois procuramos através do dialogo e debate refletir sobre os mais variados assuntos.

    Percebo que você conseguiu entender o cerne da minha postagem, pois de fato, entramos em uma determinada religião com o único e simples objetivo de “encontrar” deus, e sem perceber-nos, vemo-nos totalmente envolvidos e distraídos com os dogmas, crenças, rituais e códigos que até esquecemos-nos do objetivo principal que é deus.

    Passamos a defender os dogmas de uma determinada crença, ao invés de defendermos a vida.

    Buscamos compreender e absorver conceitos doutrinários que nos esquecemos de pensar em deus.

    Tentamos cumprir códigos determinados pela religião, que nos esquecemos de viver a vida.

    Procuramos cumprir rituais e acabamos por nos prendemos a eles.

    Viva a vida, viva deus e abaixo a religião!

    ResponderExcluir
  5. Não entenda mal, pois este texto não deve ter sido escrito ontem, mas ele diz filosoficamente o que eu disse caricaturalmente, principalmente no final quando você coloca a sua fé como a melhor, e depois vai lá no meu blog me questionar ser folgado, que é isso, você questiona nos outros o que quer que os outros questionem em você?
    Seu texto é muito difícil de entender os detalhes, mas da para pegar o espírito dele facilmente, depois eu volto para comentá-lo.

    ResponderExcluir
  6. GRESDER

    Mas é claro que esta minha postagem não foi escrita ontem...apenas postei ontem...mas tinha escrito já algum tempo....como tenho o habito de escrever um texto por semana – apesar de que ultimamente não tenho feito isto por causa do meu serviço – tenho vários textos para postar e que em breve estarei postando.

    Agora como assim eu sou folgado???

    Seu comentário esta inteligível por causa dos muitos erros ortográficos...não consigo entender....dá para caprichar um pouco mais????

    ResponderExcluir
  7. Estou procurando uma igreja onde flui rios de aguas viva,alguém sabe onde posso encontrar uma? Me dê o enderêço,tá? Então tá.E vamos filosofar...
    tito from brasília.

    ResponderExcluir
  8. Marcitto,

    Já respondi às suas perguntas na outra postagem...agora vou comer algumas guloseimas, e daqui uns minutinhos eu retorno para ler esta BOMBA! rs...

    ResponderExcluir
  9. O grande problema é quando a fé se torna cega, ou seja, quando a religião se transforma em religiosidade, que é apenas a manutenção de tradições humanas com começo e fim em si mesmas.

    ResponderExcluir
  10. Marcitto,

    A palavra "religião" é o que provoca as guerras... Sempre foi assim... Sei que tem pessoas dentro da igreja que esquece o foco principal daquela reunião.

    Mas não podemos atentar a essas pessoas, pois, provocaria uma revolta interior.

    Sei, que gosta de me provocar, Hehehe.

    Abraços amigão.

    ResponderExcluir
  11. TITO

    Você não entendeu minha postagem?
    Não defendo nem uma igreja e nem muito menos religião alguma...antes, critico todo sistema religioso.

    Sinceramente TITO esperava mais de você........

    Abraços

    ResponderExcluir
  12. PAULINHA

    Amanhã eu respondo aos seus comentários na minha outra postagem.....quanto a esta, estou no aguardo de seu comentário.

    Abraços

    ResponderExcluir
  13. ISA

    Falaste pouco, mas falaste tudo.....

    Porém lhe pergunto: quando é que a fé se torna cega?
    Existe fé saudável?
    Existe religião sem religiosidade?

    Aguardo vossas respostas............

    Abraços

    ResponderExcluir
  14. HUBNER

    Não somente a palavra, mas as inúmeras religiões.....quem vê você falando assim, até pensa que você não é religioso, como se o cristianismo não fosse mais uma dentre muitas religiões....como se você não defendesse dogmas ha muito engessados...HUBNER acorda meu filho, você é um dos mais religiosos que eu conheço.

    Alias, este seu comentário ficou bem abaixo do esperado......

    Abraços

    ResponderExcluir
  15. Tá bom Marcinho,

    Amanhã eu comento este texto novo, porque eu já li uma vez e preciso ler mais uma porque não compreendi ainda alguns fragmentos.

    Hoje o dia foi meio corrido fazendo coisas da escola, e ainda tive que dar atenção ao meu pobre manancial que estava quase morrendo, mas de repente voltou a respirar....rs...

    Beijos e boa noite!

    ResponderExcluir
  16. PAULINHA

    Quero só vê o que você vai comentar neste meu texto....será que teremos também um debate aqui como esta ocorrendo na minha outra postagem “o constante fluxo da vida” ? rsrsrsrsrs

    Caramba PAULINHA...em pleno domingo, dia de você passear no shopping com o pretinho...de ir ao cinema para ver aquele filmão...você estava trabalhando??? rsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  17. Vamos aos pontos que mais me interessaram do texto:
    “pois elas não passam de atitudes superficiais forjadas pela manipulação, que não deixa de ser, mesmo sendo boa ou rui, pois não faz parte da integridade e composição do sujeito que assim procede.”

    Isso me lembra Paulo, ou pelo menos a interpretação protestante da doutrina da salvação pela graça, aonde as obras humanas não podem salvar o homem por ser obras da carne, fruto do individuo que quer se vangloriar perante Deus com suas obras artificiais que não vem do seu coração regenerado. Sei que você não esta fazendo referencia a isso, mas tomo isso como analogia do que você disse, pois a religiosidade a qual não é a produção autêntica do ser, não pode “salvar” o individuo, enquanto que o individuo comum que é bom (tem os frutos do Espírito) sem a influencia da “Lei” (é salvo pela graça) não precisa da religião. Ou seja, o que você viu hoje, Paulo também viu, mas interpretou diferente.

    Agora esse:
    “que de tanto ele crer já se tornou e transformou ele mesmo em sua própria fé, preferindo a morte do que o abandono da mesma, pois ele é o que a fé diz e fez ele ser.”
    Aqui parece haver uma contradição com a firmação que eu citei acima, pois lá tal religiosidade não faz parte da integralidade do sujeito enquanto aqui esta religiosidade se transformou na essência do indivíduo, mas como você fala da influencia da religião no ser humano tal contradição desaparece para esclarecer o processo em que se da esta transformação do individuo, que antes produzia reações contrarias a sua naturalidade, mas que depois, no processo de mutação religiosa o próprio indivíduo religioso se torna parte integrante desta fé, que o deixa no limbo de se ser essencial a fé que o descaracteriza a sua própria essência individual para se ser produto industrial e impessoal da religião.

    E principalmente esse:
    “pois o seu crê superou o conflito religioso de procurar a verdade, pois sente que não há mais uma verdade, mas todas não passam de meras experiências subjetivas”

    Aqui você chega ao cerne absoluto da questão, pois só existe liberdade no ser humano quando ele encontra a verdade de que não existe uma Verdade tirânica para se descobrir. Pois todas as religiões e facções são ditatoriais na presunção de que somente ela tem a verdade essencial para a o ser humano, excluído assim toadas as outras, e entristecendo até mesmo os mais sensíveis adeptos que no seu mais profundo inconsciente desejaria uma verdade menos rigorosa e egoísta que abarcasse o resto da humanidade. Mas uma vez liberto pela “verdade” de que não se precisa de uma única e soberana verdade, a paz se irrompe no individuo que não precisa mais converter desesperadamente os outros para a sua verdade e que nem mais precisa ANIQUILAR TODAS AS RELIGIÕES sendo que todas são verdadeiras na medida em que todas estão erradas, mas salvas pela verdade tolerante da não necessidade imperiosa de se saber a verdadeira Verdade.

    Seu texto riquíssimo permite muito mais reflexões, mas estes pontos somente são o suficiente para demonstrar seus pontos fortes e sua incompatibilidade pratica e pessoal com a sua própria tese e filosofia religiosa.

    ResponderExcluir
  18. MARCINHO

    Se uma pessoa que alimenta uma determinada fé, seja ela doentia ou saudável, cega ou racional, caso ela venha a perder uma parte desta fé, então esta fé que ela tinha não era fé??!!

    Você concorda que a fé está no nosso pensamento....e quem alimenta a fé, é a nossa mente?!

    As pessoas criam atos de fé porque se sentem auto-dependentes, ou porque os pensamentos delas alimentam certas ilusões?!

    Elas aprendem a ter fé porque os pensamentos delas foram guiados e manipulados para finalmente se crer em algo?!

    Logo, se a fé está em nossos pensamentos...

    Porque uma pessoa decide ser ateu?! Ela não sabe ter um pensamento de fé?! Ou ela simplesmente age com 100% de razão?!

    Beijos...

    ASSINADO: MARCELLA.

    Aqui é uma amiga da Paulinha....estou escrevendo no lugar dela, porque você acabou com ela nas últimas perguntas.....coitadinha dela....preciso ajudá-la a recolher seus cacos......

    ResponderExcluir
  19. Penso que combater religiões é uma luta vã. Enquanto o ser humano não conseguir encontrar a sua plenitude nele mesmo, vai recorrer às religiões. O caminho, que me parece mais eficiente, é o que o próprio Jesus Cristo mostrou. Eu não sou uma religião. Vocês ficam falando Senhor, Senhor, mas porque vocês não fazem o que é justo, o que a própria religião que vocês seguem manda fazer.
    Por isso eu não condeno as religiões. Apenas peço que façam o que o Deus delas exige, pois sei que atrás de cada religião tem a sabedoria de um justo. Mas esta ideia justa foi repelida pelas classes dominantes e o povo se agarra então aos ritos, que não têm mais influência sobre o contexto social.
    A religião que melhor conheço é a cristã. Embora ela tenha mais de 2 bilhões de seguidores, não encontro sequer um que pratique entre outras passagens, Lc 14,33, que é a ideia de um sistema sem posses, sem dinheiro, sem distinção de funções, que nos leva a um mundo composto de sábios e libertos.
    A solução, portanto, para os que acreditam nas ideias de Cristo é colocá-las em prática e mostrar que de fato são capazes de conduzir o ser humano a um mundo justo e livre.
    Sobre este assunto escrevi um livro chamado "Tomai e Comei. Nasce aqui um novo reino." que se encontra no site "Mesa do Editor", aberto ao público. Tenho um projeto que é a fundação de uma ONG. Logo vou publicá-lo no meu blog.

    ResponderExcluir
  20. GRESDER SIL

    Confesso que fiquei desanimado, pois até aqui ninguém tinha feito um comentário decente...não sei se devido a postagem ser um tanto como complexa para muitas pessoas, ou preguiça mesmo de literalmente quebrar a cabeça analisando o meu texto....ai vem você como sempre e “salva” a minha postagem!

    Então logo você também merece um comentário bem caprichado...vou comentar por partes:

    Você disse: ”Isso me lembra Paulo, ou pelo menos a interpretação protestante da doutrina da salvação pela graça, aonde as obras humanas não podem salvar o homem por ser obras da carne, fruto do individuo que quer se vangloriar perante Deus com suas obras artificiais que não vem do seu coração regenerado. Sei que você não esta fazendo referencia a isso, mas tomo isso como analogia do que você disse, pois a religiosidade a qual não é a produção autêntica do ser, não pode “salvar” o individuo, enquanto que o individuo comum que é bom (tem os frutos do Espírito) sem a influencia da “Lei” (é salvo pela graça) não precisa da religião. Ou seja, o que você viu hoje, Paulo também viu, mas interpretou diferente”.

    Minha resposta: Exatamente! Muito embora eu não tenha me espelhado em Paulo para escrever esta postagem, confesso que esta bastante similar, embora ele leve para outro ponto de vista....o da obra interna da graça....sendo que o meu ponto é a completa e total naturalidade do ser em seu habitat natural e em sua personalidade com defeitos e virtudes.

    Mas faltou você dizer o que você acha deste ponto do meu texto?


    Sua frase: “Aqui parece haver uma contradição com a firmação que eu citei acima, pois lá tal religiosidade não faz parte da integralidade do sujeito enquanto aqui esta religiosidade se transformou na essência do indivíduo, mas como você fala da influencia da religião no ser humano tal contradição desaparece para esclarecer o processo em que se da esta transformação do individuo, que antes produzia reações contrarias a sua naturalidade, mas que depois, no processo de mutação religiosa o próprio indivíduo religioso se torna parte integrante desta fé, que o deixa no limbo de se ser essencial a fé que o descaracteriza a sua própria essência individual para se ser produto industrial e impessoal da religião”.

    Minha resposta: Fantástico! Se eu vier a falecer primeiro que você, quero que você traduza interpretando os meus escritos para a humanidade...você foi escolhido por deus para ser o meu interprete ao mundo GRESDER....portanto, esteja feliz com esta honrosa responsabilidade.

    O que mais me resta dizer......você entendeu e absorveu uma das idéias principais do texto!

    continua.........

    ResponderExcluir
  21. GRESDER SIL

    Confesso que fiquei desanimado, pois até aqui ninguém tinha feito um comentário decente...não sei se devido a postagem ser um tanto como complexa para muitas pessoas, ou preguiça mesmo de literalmente quebrar a cabeça analisando o meu texto....ai vem você como sempre e “salva” a minha postagem!

    Então logo você também merece um comentário bem caprichado...vou comentar por partes:

    Você disse: ”Isso me lembra Paulo, ou pelo menos a interpretação protestante da doutrina da salvação pela graça, aonde as obras humanas não podem salvar o homem por ser obras da carne, fruto do individuo que quer se vangloriar perante Deus com suas obras artificiais que não vem do seu coração regenerado. Sei que você não esta fazendo referencia a isso, mas tomo isso como analogia do que você disse, pois a religiosidade a qual não é a produção autêntica do ser, não pode “salvar” o individuo, enquanto que o individuo comum que é bom (tem os frutos do Espírito) sem a influencia da “Lei” (é salvo pela graça) não precisa da religião. Ou seja, o que você viu hoje, Paulo também viu, mas interpretou diferente”.

    Minha resposta: Exatamente! Muito embora eu não tenha me espelhado em Paulo para escrever esta postagem, confesso que esta bastante similar, embora ele leve para outro ponto de vista....o da obra interna da graça....sendo que o meu ponto é a completa e total naturalidade do ser em seu habitat natural e em sua personalidade com defeitos e virtudes.

    Mas faltou você dizer o que você acha deste ponto do meu texto?


    Sua frase: “Aqui parece haver uma contradição com a firmação que eu citei acima, pois lá tal religiosidade não faz parte da integralidade do sujeito enquanto aqui esta religiosidade se transformou na essência do indivíduo, mas como você fala da influencia da religião no ser humano tal contradição desaparece para esclarecer o processo em que se da esta transformação do individuo, que antes produzia reações contrarias a sua naturalidade, mas que depois, no processo de mutação religiosa o próprio indivíduo religioso se torna parte integrante desta fé, que o deixa no limbo de se ser essencial a fé que o descaracteriza a sua própria essência individual para se ser produto industrial e impessoal da religião”.

    Minha resposta: Fantástico! Se eu vier a falecer primeiro que você, quero que você traduza interpretando os meus escritos para a humanidade...você foi escolhido por deus para ser o meu interprete ao mundo GRESDER....portanto, esteja feliz com esta honrosa responsabilidade.

    O que mais me resta dizer......você entendeu e absorveu uma das idéias principais do texto!

    continua..........

    ResponderExcluir
  22. GRESDER SIL

    Confesso que fiquei desanimado, pois até aqui ninguém tinha feito um comentário decente...não sei se devido a postagem ser um tanto como complexa para muitas pessoas, ou preguiça mesmo de literalmente quebrar a cabeça analisando o meu texto....ai vem você como sempre e “salva” a minha postagem!

    Então logo você também merece um comentário bem caprichado...vou comentar por partes:

    Você disse: ”Isso me lembra Paulo, ou pelo menos a interpretação protestante da doutrina da salvação pela graça, aonde as obras humanas não podem salvar o homem por ser obras da carne, fruto do individuo que quer se vangloriar perante Deus com suas obras artificiais que não vem do seu coração regenerado. Sei que você não esta fazendo referencia a isso, mas tomo isso como analogia do que você disse, pois a religiosidade a qual não é a produção autêntica do ser, não pode “salvar” o individuo, enquanto que o individuo comum que é bom (tem os frutos do Espírito) sem a influencia da “Lei” (é salvo pela graça) não precisa da religião. Ou seja, o que você viu hoje, Paulo também viu, mas interpretou diferente”.

    Minha resposta: Exatamente! Muito embora eu não tenha me espelhado em Paulo para escrever esta postagem, confesso que esta bastante similar, embora ele leve para outro ponto de vista....o da obra interna da graça....sendo que o meu ponto é a completa e total naturalidade do ser em seu habitat natural e em sua personalidade com defeitos e virtudes.

    Mas faltou você dizer o que você acha deste ponto do meu texto?


    Sua frase: “Aqui parece haver uma contradição com a firmação que eu citei acima, pois lá tal religiosidade não faz parte da integralidade do sujeito enquanto aqui esta religiosidade se transformou na essência do indivíduo, mas como você fala da influencia da religião no ser humano tal contradição desaparece para esclarecer o processo em que se da esta transformação do individuo, que antes produzia reações contrarias a sua naturalidade, mas que depois, no processo de mutação religiosa o próprio indivíduo religioso se torna parte integrante desta fé, que o deixa no limbo de se ser essencial a fé que o descaracteriza a sua própria essência individual para se ser produto industrial e impessoal da religião”.

    Minha resposta: Fantástico! Se eu vier a falecer primeiro que você, quero que você traduza interpretando os meus escritos para a humanidade...você foi escolhido por deus para ser o meu interprete ao mundo GRESDER....portanto, esteja feliz com esta honrosa responsabilidade.

    O que mais me resta dizer......você entendeu e absorveu uma das idéias principais do texto!

    Continua.........

    ResponderExcluir
  23. Continuação............

    Sua frase: “Aqui você chega ao cerne absoluto da questão, pois só existe liberdade no ser humano quando ele encontra a verdade de que não existe uma Verdade tirânica para se descobrir. Pois todas as religiões e facções são ditatoriais na presunção de que somente ela tem a verdade essencial para a o ser humano, excluído assim toadas as outras, e entristecendo até mesmo os mais sensíveis adeptos que no seu mais profundo inconsciente desejaria uma verdade menos rigorosa e egoísta que abarcasse o resto da humanidade. Mas uma vez liberto pela “verdade” de que não se precisa de uma única e soberana verdade, a paz se irrompe no individuo que não precisa mais converter desesperadamente os outros para a sua verdade e que nem mais precisa ANIQUILAR TODAS AS RELIGIÕES sendo que todas são verdadeiras na medida em que todas estão erradas, mas salvas pela verdade tolerante da não necessidade imperiosa de se saber a verdadeira Verdade”.

    Minha resposta: É meu amigo GRESDER, mas a principal questão desta minha frase muito bem analisada por você é que poucas pessoas chegam a esse nível de maturidade e consciência.

    Então logo o que faremos?
    Deixaremos ao “acaso” de ela por si só descobrir, ou antes, ás ajudaremos?


    Sua frase: “Seu texto riquíssimo permite muito mais reflexões mas estes pontos somente são o suficiente para demonstrar seus pontos fortes....”

    Minha resposta: Obrigado pelo sincero elogio, ainda mais vindo de você.


    Sua frase: “...sua incompatibilidade pratica e pessoal com a sua própria tese e filosofia religiosa”.

    Minha resposta: Agora não entendi este final....por acaso você esta querendo dizer já dizendo que esta minha postagem é utópica???

    ResponderExcluir
  24. Não sei o que esta acontecendo aqui...parece que o comentário está com problemas...vou verificar.....

    ResponderExcluir
  25. Tomai e Comei: Aqui nasce um novo reino


    Penso que combater religiões é uma luta vã. Enquanto o ser humano não conseguir encontrar a sua plenitude nele mesmo, vai recorrer às religiões. O caminho, que me parece mais eficiente, é o que o próprio Jesus Cristo mostrou. Eu não sou uma religião. Vocês ficam falando Senhor, Senhor, mas porque vocês não fazem o que é justo, o que a própria religião que vocês seguem manda fazer.
    Por isso eu não condeno as religiões. Apenas peço que façam o que o Deus delas exige, pois sei que atrás de cada religião tem a sabedoria de um justo. Mas esta ideia justa foi repelida pelas classes dominantes e o povo se agarra então aos ritos, que não têm mais influência sobre o contexto social.
    A religião que melhor conheço é a cristã. Embora ela tenha mais de 2 bilhões de seguidores, não encontro sequer um que pratique entre outras passagens, Lc 14,33, que é a ideia de um sistema sem posses, sem dinheiro, sem distinção de funções, que nos leva a um mundo composto de sábios e libertos.
    A solução, portanto, para os que acreditam nas ideias de Cristo é colocá-las em prática e mostrar que de fato são capazes de conduzir o ser humano a um mundo justo e livre.
    Sobre este assunto escrevi um livro chamado "Tomai e Comei. Nasce aqui um novo reino." que se encontra no site "Mesa do Editor", aberto ao público. Tenho um projeto que é a fundação de uma ONG. Logo vou publicá-lo no meu blog.

    ResponderExcluir
  26. Pessoal como não estou conseguindo postar meus comentários devido algum problema não identificável ainda, tentarei em uma outra hora responder aos mesmos.

    Abraços a todos

    ResponderExcluir
  27. GRESDER SIL

    Confesso que fiquei desanimado, pois até aqui ninguém tinha feito um comentário decente...não sei se devido a postagem ser um tanto como complexa para muitas pessoas, ou preguiça mesmo de literalmente quebrar a cabeça analisando o meu texto....ai vem você como sempre e “salva” a minha postagem!

    Então logo você também merece um comentário bem caprichado...vou comentar por partes:

    Você disse: ”Isso me lembra Paulo, ou pelo menos a interpretação protestante da doutrina da salvação pela graça, aonde as obras humanas não podem salvar o homem por ser obras da carne, fruto do individuo que quer se vangloriar perante Deus com suas obras artificiais que não vem do seu coração regenerado. Sei que você não esta fazendo referencia a isso, mas tomo isso como analogia do que você disse, pois a religiosidade a qual não é a produção autêntica do ser, não pode “salvar” o individuo, enquanto que o individuo comum que é bom (tem os frutos do Espírito) sem a influencia da “Lei” (é salvo pela graça) não precisa da religião. Ou seja, o que você viu hoje, Paulo também viu, mas interpretou diferente”.

    Minha resposta: Exatamente! Muito embora eu não tenha me espelhado em Paulo para escrever esta postagem, confesso que esta bastante similar, embora ele leve para outro ponto de vista....o da obra interna da graça....sendo que o meu ponto é a completa e total naturalidade do ser em seu habitat natural e em sua personalidade com defeitos e virtudes.

    Mas faltou você dizer o que você acha deste ponto do meu texto?


    Sua frase: “Aqui parece haver uma contradição com a firmação que eu citei acima, pois lá tal religiosidade não faz parte da integralidade do sujeito enquanto aqui esta religiosidade se transformou na essência do indivíduo, mas como você fala da influencia da religião no ser humano tal contradição desaparece para esclarecer o processo em que se da esta transformação do individuo, que antes produzia reações contrarias a sua naturalidade, mas que depois, no processo de mutação religiosa o próprio indivíduo religioso se torna parte integrante desta fé, que o deixa no limbo de se ser essencial a fé que o descaracteriza a sua própria essência individual para se ser produto industrial e impessoal da religião”.

    Minha resposta: Fantástico! Se eu vier a falecer primeiro que você, quero que você traduza interpretando os meus escritos para a humanidade...você foi escolhido por deus para ser o meu interprete ao mundo GRESDER....portanto, esteja feliz com esta honrosa responsabilidade.

    O que mais me resta dizer......você entendeu e absorveu uma das idéias principais do texto!

    continua.........

    ResponderExcluir
  28. GRESDER SIL

    Confesso que fiquei desanimado, pois até aqui ninguém tinha feito um comentário decente...não sei se devido a postagem ser um tanto como complexa para muitas pessoas, ou preguiça mesmo de literalmente quebrar a cabeça analisando o meu texto....ai vem você como sempre e “salva” a minha postagem!

    Então logo você também merece um comentário bem caprichado...vou comentar por partes:

    Você disse: ”Isso me lembra Paulo, ou pelo menos a interpretação protestante da doutrina da salvação pela graça, aonde as obras humanas não podem salvar o homem por ser obras da carne, fruto do individuo que quer se vangloriar perante Deus com suas obras artificiais que não vem do seu coração regenerado. Sei que você não esta fazendo referencia a isso, mas tomo isso como analogia do que você disse, pois a religiosidade a qual não é a produção autêntica do ser, não pode “salvar” o individuo, enquanto que o individuo comum que é bom (tem os frutos do Espírito) sem a influencia da “Lei” (é salvo pela graça) não precisa da religião. Ou seja, o que você viu hoje, Paulo também viu, mas interpretou diferente”.

    Minha resposta: Exatamente! Muito embora eu não tenha me espelhado em Paulo para escrever esta postagem, confesso que esta bastante similar, embora ele leve para outro ponto de vista....o da obra interna da graça....sendo que o meu ponto é a completa e total naturalidade do ser em seu habitat natural e em sua personalidade com defeitos e virtudes.

    Mas faltou você dizer o que você acha deste ponto do meu texto?


    Sua frase: “Aqui parece haver uma contradição com a firmação que eu citei acima, pois lá tal religiosidade não faz parte da integralidade do sujeito enquanto aqui esta religiosidade se transformou na essência do indivíduo, mas como você fala da influencia da religião no ser humano tal contradição desaparece para esclarecer o processo em que se da esta transformação do individuo, que antes produzia reações contrarias a sua naturalidade, mas que depois, no processo de mutação religiosa o próprio indivíduo religioso se torna parte integrante desta fé, que o deixa no limbo de se ser essencial a fé que o descaracteriza a sua própria essência individual para se ser produto industrial e impessoal da religião”.

    Minha resposta: Fantástico! Se eu vier a falecer primeiro que você, quero que você traduza interpretando os meus escritos para a humanidade...você foi escolhido por deus para ser o meu interprete ao mundo GRESDER....portanto, esteja feliz com esta honrosa responsabilidade.

    O que mais me resta dizer......você entendeu e absorveu uma das idéias principais do texto!

    Continua.........

    ResponderExcluir
  29. A Teologia da Humanidade Futura não terá por finalidade abolir as religiões. Religiões são manifestações do que vai no coração de quem olha as estrelas com um olhar de alegria.

    A teologia da humanidade futura, que aliás, não é uma teologia na acepção do termo, compreende que cada um buscará naquilo que crê, a explicação última para a existência até o momento em que a razão científica for capaz de fazê-lo de uma forma melhor.

    Nem um deus será mais verdadeiro que outro. Brahma, o deus supremo hindu, andará de mãos dadas com Jesus de Nazaré; Buda, conversará filosofia existêncial com Alah e ambos sorrirão; Iaveh, o deus dos judeus, olhará com compassividade para Olorum, e ambos caminharão o mesmo caminho; até os ateus, crerão na singularidade do universo sem precisar crer em um deus e sem atacar quem deles necessitam.

    A Teologia da Humanidade Futura saberá que todos os deuses de todas as religiões são "verdadeiros" ainda que saibam que nenhum deles é A VERDADE, e isto não causará espanto.

    Então, cessará toda a dor da guerra religiosa. Cessará todo o lado negro que hoje corrompem a religião. A religião e a filosofia serão uma coisa só. A Ciência continuará laica mas saberá reconhecer o sentimento religioso do ser humano e poderá enfim, dizer: Deus não é uma impossibilidade racional.

    ResponderExcluir
  30. Agora, focando mais diretamente teu texto. Não vejo incompatibilidade em se expressar a espiritualidade dentro da religiosidade. Todos os males que você aponta (com razão) na religião, são anomalias. Não deveria ser assim. Deus é Deus de todas as religiões e ao mesmo tempo, Deus é Deus de religião nenhuma.

    Portanto, enquanto a consciência unificadora da teologia da humanidade futura não se estabelecer, sua crítica é oportuna. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça. E se transforme.

    Antagonismos religiosos devem morrer. Devem morrer as religiões? Não, devem morrer o que corrompe a religião. Pode ser utopia. Mas eu sou mesmo utópico. Eu, e muitos outros, estamos fazendo a nossa parte.

    ResponderExcluir
  31. Agora, seu marcinho, você estava desanimado pelos comentários por seu texto ser complexo? E como é que você reclamou que a postagem que eu coloquei na confraria não poderia ser entendido por "meros mortais", desqualificando assim, a sua própria pessoa que é capaz de escrever textos rabuscados como este aqui?

    ResponderExcluir
  32. Amiga da PAULINHA.....MARCELLA

    Que judiação esta sua, falar que acabei com a PAULINHA, pois conhecendo bem a PAULINHA, acho que deve ter sido justamente o contrario....ela deve ter acabado comigo no debate. Rssrsrsrsrsrs

    Sua fala: “Se uma pessoa que alimenta uma determinada fé, seja ela doentia ou saudável, cega ou racional, caso ela venha a perder uma parte desta fé, então esta fé que ela tinha não era fé??!!”

    Minha resposta: Depende do que você entende por fé...por isso, para iniciarmos um debate no campo das idéias, o que é fé para você???

    Pois ela poderia ter perdido a crença que não é a mesma coisa que fé, por isso que eu preciso antes de lhe responder, o que você esta querendo dizer quando diz “fé”.
    Sua fala: “Você concorda que a fé está no nosso pensamento....e quem alimenta a fé, é a nossa mente?!”.

    Minha resposta: Isto vai depender e varia de cada pessoa...muitas vezes a fé pode ser um sentimento e não propriamente um pensamento....porque? você acha que a fé esta na mente das pessoas? Porque?

    Sua fala: “As pessoas criam atos de fé porque se sentem auto-dependentes, ou porque os pensamentos delas alimentam certas ilusões?!”

    Minha resposta: Novamente vai depender de que tipo de fé e de pessoa estamos falando.

    Sua fala: “Elas aprendem a ter fé porque os pensamentos delas foram guiados e manipulados para finalmente se crer em algo?!”.

    Minha resposta: Isto também depende da pessoa que estamos falando.

    Sua fala: “Porque uma pessoa decide ser ateu?! Ela não sabe ter um pensamento de fé?! Ou ela simplesmente age com 100% de razão?!”.

    Minha resposta: Esta pergunta sua novamente, assim como todas as outras é muito abrangente tendo varias respostas...poderia ser dizer que uma das razões é justamente por ter sido esta mesma fé sobreposta pela razão, mas volto a dizer, vai depender variando para pessoa a pessoa.

    MARCELLA se você realmente não for a PAULINHA, quero que saiba que para nós é um imenso prazer ter você em nossa sala...volte mais vezes e fique a vontade.

    Abraços

    ResponderExcluir
  33. TOMAI E COMEI

    Eu respeito a sua opinião, porém.....até concordo que combater a religião é uma atitude vâ, pois sempre existiram pessoas manipuladas e presas nas garras das religiões, mas mais vâ ainda é ter pessoas se submetendo a elas, logo, não podemos nos calar.

    Se o que tudo que precisamos fazer é justiça, não precisamos de religião, ou você acha que sim?

    Até porque existem pessoas boas que não são religiosas, logo, ser religioso ou não é indiferente, ou você acha que as únicas pessoas boas são as religiosas??

    Você disse que apenas pede para fazermos o que deus manda...mas o que deus manda??
    Você não estaria atribuindo a religião o poder de falar em nome de deus???

    Novamente eu lhe pergunto.....se a melhor religião para você é a cristã por causa dos valores, não é possível praticar esses valores sem ser cristão ou religioso???

    Estou no aguardo de suas respostas..........

    Abraços

    ResponderExcluir
  34. “o da obra interna da graça....sendo que o meu ponto é a completa e total naturalidade do ser”

    Agora ficou mais claro o que eu já tinha sentido inconscientemente. Eu concordo com a idéia deste texto, mas usaria de termos diferentes, ou seja: você diz que a graça não é sobrenatural, mas exatamente a naturalidade do ser livre das influencias que adulteram e adoecem a vida. Eu já digo que esta naturalidade que você vê pode ser chamada de graça espontânea do ser. Fica assim concordamos neste ponto com os mesmo pensamentos, mas usamos de interpretações e terminologia, sendo que Paulo via a bondade humana como fruto da graça sobrenatural, você vê tal bondade como fruto inerente do ser humano e eu digo que esta bondade inerente é a graça natural da existência humana Ok?

    Minha frase que você citou: “sua incompatibilidade pratica e pessoal com a sua própria tese e filosofia religiosa”.

    Sua resposta: “Agora não entendi este final....por acaso você esta querendo dizer já dizendo que esta minha postagem é utópica???”

    Como assim você não entendeu? Você não reparou na frase que eu acentue no texto com letras maiúsculas?

    Leia de novo: “Mas uma vez liberto pela “verdade” de que não se precisa de uma única e soberana verdade, a paz se irrompe no individuo que não precisa mais converter desesperadamente os outros para a sua verdade e que nem mais precisa ANIQUILAR TODAS AS RELIGIÕES sendo que todas são verdadeiras na medida em que todas estão erradas, mas salvas pela verdade tolerante da não necessidade imperiosa de se saber a verdadeira Verdade.”

    Ou seja, na pratica você desejaria que não mais existisse religião, mas seu texto que diz que não existi uma única verdade para todos seguirem permite a conclusão obvia e subseqüente de que já que não existe uma verdade tirânica, todos os indivíduos podem seguir cada um a religião e filosofia que quiser, já que não existe tal verdade imperiosa e necessária para se crer e ser salvo.

    Nisso você esta em contradição com a sua tese, pois pela tese seu modo de vida deveria ser tolerante com a diversidade de religião do mundo e não um a postura militante contra a religião.

    Mas se você afirmar que as religiões deveriam acabar, você diz que existe uma verdade mais importante do que a dos outros, que seria a sua da não verdade da religião. Neste caso você não tem saída ou você para com essa idéia ridícula e insustentável de quere3r acabar com a religião, que na pratica não vai fechar uma igreja se quer, ou você continua escrevendo textos como esse e depois se contradiz dizendo que a religião é desnecessária e não devia mais existir.

    Não da para dizer isto: “Estando aberto e exposto a universalidade e pluralidade de religiões no mundo existentes” e isto: “pois o seu crê superou o conflito religioso de procurar a verdade, pois sente que não há mais uma verdade, mas todas não passam de meras experiências subjetivas”

    E depois querer que as religiões não mais existam, sendo que se não existe uma verdade única, todas podem existir como crença subjetiva de cada um, que só faz mal quando interfere no direito do próximo de crer diferente.

    Ou seja: neste quando você diz querer que não mais existam religiões, você é que esta sendo além de contraditório, intolerante, pois julga a sua verdade superior as outras que deveria suprimir e abolir todas as outras.

    Marcio é tão fácil revelar esta contradição que você terá que admitir que esta contra a religião por vingança incomnciete e por vaidade de quere demonstrar sua coragem de desacreditar o divino que os outros tanto temem atitude essa dos outros meninos também: Edson, Gabriel e Evaldo, todos cabaços em relação ao valor subjetivo da fé sentimental na existência do ser humano.

    ResponderExcluir
  35. MARCINHO,

    EU PENSO QUE A FÉ, É UM SENTIMENTO.

    UM SENTIMENTO DESENCADEADO POR CONFIANÇA, RESPEITO, CONSIDERAÇÃO, LEALDADE E CRENÇA....

    MAS HÁ AQUELES, QUE TÊM UMA "FÉ" NÃO POR PRESERVAR E MANTER ESTES SENTIMENTOS AGLOMERADOS, JUNTAMENTE COM ESTA PROVÁVEL FÉ...

    MUITOS ACABAM RESPEITANDO E ACREDITANDO QUE EXISTE UM DEUS (POR EXEMPLO), SIMPLESMENTE POR "COSTUMES"...RELIGIÃO...E A "FÉ" ALIMENTADA POR ELES, ÀS VEZES, PODE SER UMA COISA DA PRÓPRIA MENTE DELES....QUE FOI INFLUENCIADA.

    QUANDO DIGO QUE TÊM PESSOAS, QUE CRIAM AS FÉS EM SUAS "MENTES" E NÃO EM SEUS SENTIMENTOS, ME REFIRO A ALGUMAS, QUE NUNCA SENTIRAM ALGUM TIPO DE INTMIDADE COM DEUS, QUE NUNCA SE IMPORTARAM MUITO COM ELE...MAS QUE AUTOMATICAMENTE, ACABAM CRENDO POR "INFLUÊNCIA"...

    ENTÃO, PENSO QUE HOJE, MUITAS PESSOAS JÁ NÃO PRESERVAM SUAS FÉS COMO ANTIGAMENTE. E MUITAS UTILIZAM-SE DESTE TERMO, SIMPLESMENTE PARA NÃO TEREM QUE DIZER QUE SOMENTE TÊM UM DEUS E SEUS INTUITOS É ESPERAR MILAGRES DESTE DEUS!!

    BEIJOS.

    A MARCELLA NÃO É REAL...FOI ZUEIRA....KKKKK

    ResponderExcluir
  36. EDUARDO 1

    Mas para olhar as estrelas com alegria, precisa ser religioso?

    Por acaso você estaria assim afirmado, que quem é religioso é mais propenso a alegria, justamente por ser a religião uma ilusão que gera alegria?

    Tubo bem EDUARDO, até entendo que ainda perduram coisas que a ciência não conseguiu e talvez nunca consiga explicar....também sei que o extremado ceticismo não prova nada.....porém, não seria o agnosticismo a melhor saída neste caso?

    Pois ainda não vejo o ateísmo como uma opção viável para a explicação de muitas coisas, porém vivo como se elas não existissem, não anulado-as por completa, mas também não me preocupando mais se existem ou não....que alias, quem busca provar que deus, por exemplo, não existe, isto por si só já revela a fé inconsciente daquela pessoa, pois se ele não existe mesmo por que tais pessoas insistem em tentar provar que ele não existe?

    Para mim este seu desejo de que as religiões caminhem de mãos dadas é utópico, pois o grande problema é a luta da verdade com a mentira....se determinada religião tem a verdade, se segue que a outra tem a mentira, e assim, ficam irreconciliáveis, você não acha?

    ResponderExcluir
  37. EDUARDO 2

    A este sentimento que você chama de religioso eu chamo de luta pela sobrevivência de sentido e significado.

    Tanto é, que esta é a minha grande tese embutida de maneira sutil e subliminar no texto, por isso, que eu escrevi “fé” entre aspas, querendo dizer que justamente este sentimento e percepção que vocês religiosos chamam de fé é na verdade um sentimento natural de busca de sobrevivência e de sentido.

    Foi a partir daí que surgiram as religiões.....do forte impulso de querer transcender a morte, continuando a existir, buscando significado.....isto esta inerentemente no homem...é por isso que eu disse na minha postagem, que este instinto “fé” nasce com o individuo.

    Se você reconhece que essas minhas constatações descritas na minha postagem, são anomalias, a grande questão então é: como purificar a religião destas mesmas anomalias? É possível? Como?

    EDUARDO eu penso que o caminho para uma fé saudável é o naturalismo como bem descrevi na minha postagem, porém, se tirarmos o sobrenatural da mesma, o que restará?
    Poderá ainda ser considerada religião?

    Agora você não acha que deveria ter incluído nós também, nesta sua frase: “Eu, e muitos outros, estamos fazendo a nossa parte” e nós, não estamos fazendo também a nossa?

    ResponderExcluir
  38. EDUARDO 3

    O que me levou a fazer aquela critica ao “seu” texto, que na verdade não é propriamente seu, é justamente por isso, você apenas copiou e colou sem ter o “trabalho” de re-escrever o texto com suas palavras....o que acho é que ficaria bem melhor e mais compreensível, pois na minha opinião, o melhor escritor de nós todos é você, por conseguir escrever coisas profundas de uma maneira simples.

    Quanto a maneira de escrever neste e em outros textos, onde utilizo a mesma forma escrituristica, ainda não sei bem controlar...fato é, que eu penso um tema, respiro e sinto este mesmo tema, e deixo minha alma me levar a escrever o que minha mente pensou, porém com a linguagem interior do meu espírito.

    ResponderExcluir
  39. GRESDER

    O que eu quero realmente destruir são os malefícios causados pelas religiões que manipula escravizando os indivíduos, levando-os a uma vida paranóica de culpa e alienação da vida.

    Porém a meu ver, o único jeito de fazer isto, seria naturalizando a fé, mas será possível naturalizar a mesma sem acabar com ela?

    Então sendo assim, se for preciso para libertar as pessoas, ter que acabar com a religião, eu desejo o fim da mesma.

    Podemos não ter fechado uma igreja ou acabado com alguma religião, porém, quantas pessoas já não foram libertadas das algemas religiosas através de ou lendo nossas postagens ou das nossas conversas pessoais com as mesmas?

    Acabar com a religião é que nem ajudar os necessitados...não conseguiremos matar a fome de todos, mas o que pudermos isto faremos.

    No caso das pessoas religiosas, que levam uma vida natural, como é o caso do EDUARDO, livre das correntes paranóicas do sobrenatural, que vê nos rituais simbolismos, que vê na crença seus mitos, não vejo problema, porque até eu vou a igreja nos domingos, pela diversão e prazer de ouvir seus belos e poéticos cânticos, de escutar uma boa pregação que na verdade parece ser mais uma palestra de psicologia, de sentir todo aquele ambiente carregado de “espiritualidade” que não passam de emocionalismo....sou totalmente a favor.

    Você falou do valor existencial da religião para as pessoas, eu vejo da seguinte forma: a vida por si só é crua, cinzenta, sem cheiro e sabor...entendo seu ponto de vista, e até concordo com ele, de que a religião neste caso é o que daria vida, cor, cheiro e sabor existencial para as pessoas......só que GRESDER, mesmo a religião sendo isto, ela não é insubstituível, podemos colocar em seu lugar poesias, musicas, artes, paixões e tantas outras coisas que colorem, vivificam e saboreiam nossas vidas, e são naturais e sem contra indicação ainda por cima, já a religião, para quase todas as pessoas é prejudicial, portanto, podemos sim, tirar a religião das pessoas e em seu lugar por outras dezenas de coisas que vão dar sentido e significado para suas vidas.

    ResponderExcluir
  40. PAULINHA

    A fé que eu me refiro nesta postagem é o instinto humano do desejo da não desistência em contrapartida pela existência e perpetuação da vida após a morte, e no desejo paterno de que deus exista.

    Foi então a partir daí, do desejo inato do homem em transcender na vida e na morte, é que surgiram as religiões, que decodificaram e sistematizaram estes instintos transformando-os em crenças.

    Os seres humanos já propensos por causa destes instintos, são levados a abraçarem a primeira crença religiosa que eles tem contato, por isso é que as pessoas em sua grande maioria, herdam e perpetuam as religiões através de tradições...não foi uma escolha por assim dizer, foi mais uma “fatalidade do destino”....se a pessoa nasce num pais e em uma família de cristã, ela será cristã, mas se ela nasce num pais e em uma familia mulçumana, ela será educada na crenças mulçumanas.

    Eu já desconfiava....desta vez você nem conseguiu disfarçar porque justamente você comentou com seu login. Rsrsrsrsrs

    Outra coisa.....como estou acabando agora de escrever este comentário para você, e tenho que agora me arrumar para ir trabalhar, não poderei de novo, responder aos seus comentários na minha outra postagem “o constante fluxo da vida”, então lhe peço um pouco de paciência, que assim que tiver um tempinho eu com certeza estarei respondendo....lhe encaminharei um e-mail dizendo que comentei, para você saber, ok?

    Abraços

    ResponderExcluir
  41. Paulo Gesio
    A fé é o firma fundamento, sem ´fe é impossível agradar a Deus, quem não agredita nisso, não agredita em Deus e quem não acredita em Deus é uma pessoa vazia e sem esperança.
    Na verdade o que falta a essa pessoa é justamente se entregar a Deus, não nenhum fanático mas creio em Deus e tenho minha fé.
    Vocês já viram alguem endemoniado, já colocaram suas mãos na cabeça de uma pessoa que você não conhece e o demonio se manifestou nela, dizendo que vai matá-la, so quem acredita em Deus pode isso, você que acha que a religião deve acabar não sabe o que esta dizendo, você que vai na igreja por diversão eu te digo que Deus vai usar uma pessoa que você nunca viu na sua vida e que vai falar coisas que so você sabe que é verdade, porque Deus não é Deus de confusão e ele esclarece tudo para você.
    Se todos tivessem uma religião e acreditassem em Deus, teria menos violencia, menos pessos destruídas pela bebida, cigarro alcoo etc..
    Jesus é o caminha a verdade e a vida ninguem vai ao pai se não for por ele.
    Leiam a Biblia sagrada, nem o maior ou os maiores cintistas e pesquisadores do planeta contestam a Biblia então leiam.

    ResponderExcluir
  42. Sim concordo que existem muitas outras coisas que dão sentido e sabor a vida como o esporte a literatura a dança o serviço humanitário a família, o trabalho e a vocação pessoal a busca pelo conhecimento, bom papo bom vinho e bom sexo.

    Tudo isso preenche a vida, mas seu argumento para anular a religião se esfarela diante das comparações, pois se pelo fato de a religião causar muito mal a muitas pessoas ela deve ser anulada, então tudo na vida deve ser aniquilado, pois excessos, exageros, fanatismo e doenças psicológicas podem ser encontrados em todas as atividades e lazeres humanos, o “pecado” permeia toda a existência e tudo toca, aonde houver homem, ali haverá erro, falta, equivoco e escravidão.

    Tudo feito desvirtuado do seu sentido natural faz mal, e, portanto não existe mal inerente na religião, mas mal inerente nas possibilidades de ações e produções humanas, não se aniquila o futebol por causa do fanatismo de alguns torcedores, não se a caba com as bebidas alcoólicas por causa dos viciados e dependentes, a doença esta no homem, e é tão forte, tão real que durante milênios as religiões deram o nome disso de pecado, eu daria o de: “desencontro existencial”, pois ser um “pecador” esta muito mais para uma fatalidade da existência aleatória em que cada um vem a vida, do que na escolha pessoal de cada sujeito.

    A religião é benéfica em essência, quando dela não se usa, quando por ela não se manipula e mata, assim como a política e ciência são inerentemente boas pelos seus motivos e pressupostos originais, mas que podem ser usado pelo egoísmo humano intrínseco no instinto de todo animal humano.

    Portanto não só concluo que a religião em seu estado natural é boa, pois pretende elevar o homem, como também afirmo que ela mais do que nem outro seguimento do conhecimento humano percebeu a “maldade’ inerente em cada um de nós, e a despeito de dar um nome uma origem e uma conseqüência para o “pecado” a pluralidade e os equívocos de interpretações não anulam a sua percepção de que alguma coisa este errado” com os homens.

    Bom eu acho que Paulo queria dizer algo parecido com que eu disse em suas cartas, e que você também disse e em muitos pontos do seu texto. Pois mudam se os pensadores e os termos, mas todos sentimos o mesmo fedor humano no seu estado existencial de “pecado” e alienação da autenticidade de se viver a vida em paz , ou com seu pai Deus, ou coma sua mãe Natureza.

    ResponderExcluir
  43. Outra coisa, você diz que a religião nasceu pelo fato de o homem não aceitar a morte e querer transcender a esta vida, mas eu digo que não é necessariamente isto. Pois eu mesmo sou religioso e “espiritual’ pelo próprio valor em si da religiosidade, não esperando nada no alem, mas apenas a plenitude daqueles que crêem e tem vida coma abundância aqui mesmo nesta existência. tanto como a primeira expressão do judaísmo foi uma religião que não acreditava na vida alem da morte que perdurou ate os tempos de Jesus na crença dos saduseus.

    ResponderExcluir
  44. Prezado PAULO GESIO (não sei porque, mas isto esta me cheirando a GRESDER)

    Como é que você disse? Que quem não acredita em deus é uma pessoa vazia e sem esperança?
    Isto pra você amigo, onde a religião é que dá significado para sua vida...a grande questão não esta em acreditar ou não em deus, mas antes, de nós por nós mesmos buscarmos e darmos sentindo ultimo a nossa existência.

    Acreditar só pelo fato de acreditar em deus, não resolve nada, alias, na pratica da vida, não há diferença entre os que acreditam ou não em deus, pois as fatalidades como as “sortes” sobrevém a todos...ou você acha que por acreditar em deus terá melhor sorte do que os outros que não acreditam??

    Acreditar em deus é como tomar placebo, você não vai nunca resolver o problema curando a doença, apenas aliviando a dor da mesma, mas isto é para os fracos e doentes, talvez por isso que Jesus disse que veio salvar os doentes existenciais que precisam das muletas da fé para se sustentar na vida.

    Os demônios são nossos interiores exteriorizados....você nunca se perguntou porque é justamente na igreja pentecostal que esse fenômeno ocorre??

    Deus vai falar comigo? Sério mesmo? Então tá...vou aguardar...tenho tantas coisas para falar para ele também. Rsrsrsrsrs

    Então quer dizer que para uma pessoa ser boa, tem que ser religiosa?
    Então você acha que o ser humano em si é mal, precisando das religiões para domesticá-los?

    Abraços e estou no aguardo de suas respostas, isto é claro, se você for você e não a PAULINHA ou o GRESDER.

    ResponderExcluir
  45. GRESDER

    Infelizmente não vou poder agora comentar o seu comentário..estou saindo para trabalhar....mas assim que tiver um tempo disponível, estarei comentando.

    Abraços

    ResponderExcluir
  46. EDUARDO

    Estou esperando e muito suas respostas ao meu comentário.

    ResponderExcluir
  47. Paulo Gesio

    Ola Marcio Alves.
    Meu nome é Paulo mesmo, sou um Presbítero e a placa da igreja não me importa, não conheço essas pessoas que você citou, mas devem ser pessoas que pensam diferente de você.
    Antes de qualquer coisa, quero que saiba que será um prazer conversar sobre religião e principalmente sobre Deus com você.
    Acreditar em Deus é ter esperança de um mundo melhor, o homem ou o ser humano sem Deus poder chegar ao extremo é por isso que vemos todos os dias no jornal na internet e em todos os meios de comunicação coisas que nos deixa estarrecido.
    Por exemplo: Jogar a própria filha do alto de um prédio, matar o pai ou a mãe ou o irmão enfim isso é só para quem não tem temor de Deus.
    Olha, existe um mal chamado demônio existem vários demônios e cada um deles faz uma coisa diferente para quem deixa agir.
    Por exemplo: Vício da bebida, do cigarro, das drogas e muita outra coisa.
    O demônio ele não manifesta só dentro da igreja pentecostal não, mas ele manifesta na presença daquele que anda e obedece a Deus, porque Jesus deixou todo o poder de expulsar os demônios e a enfermidade nas mãos do ser humano para isso basta crer e servir a Deus.
    Fala isso Marcio porque faço orações em lares de pessoas que pedem por estar passando por algum problema e sempre que eu e minha esposa e outro casal oramos o demônio se manifesta e tem que sair porque o nome de Deus ele tem que ser glorificado e todo mal toda macumba que foi feita para a pessoa é quebrada destruída naquele momento.
    Não pense que cobro para fazer isso que não cobro não, oro para qualquer pessoa em qualquer lugar sem pedir nada em troca simplesmente porque Jesus já morreu por nós.
    Marcio, meu querido, o ser humano não esta nesta terra para julgar, mas para ser julgado, mas não ser julgado por outro ser humano mas sim por Deus nosso Senhor o único que tem em suas mão o poder e a glória.
    Deus não é placebo ele é real esta dentro de você na sua casa, ele pode te livrar do mal.
    Eu nunca vi um justo sem resposta, eu falo uma pessoa que realmente acredita e serve a Deus esse sempre é vencedor, você não conhece nenhum homem ou mulher que crê em Deus e é fracassado ele pode não ser o ser humano mais rico desta terra mas não falta nada para ele, nem dinheiro nem felicidade, nem saúde nada.
    Eu falo deste Deus.
    Quero conversar mais com você depois fique com Deus.
    Ele esta com você Marcio não deixe as dificuldades da vida fazer com que você perca a vontade de viver e de ser feliz, é só olhar para o céu e conversar com Deus com o coração aberto e ser verdadeiro e ele vem ao seu socorro.

    ResponderExcluir
  48. Paulo Gesio

    Deus é fiel, creia em Deus e tudo ele fará por você.
    Pessoal tenha a fé de vocês e tenha a religão também, mas não qualquer religião, procure aquele que é verdadeira e que não queira nada de volta.

    Você é importante para Deus, não deixem palavras enganarem vocês.

    A pessoa que não cre Deus ela é vazia e sem esperança.

    ResponderExcluir
  49. PAULO GESIO

    O prazer é todo meu puder dialogar com uma pessoa que tem o pensamento totalmente o oposto ao meu.

    Não precisamos acreditar em deus para ter um mundo melhor, o que precisamos mesmo é arregaçar as magas e trabalhar para que isto venha se concretizar....isto é que eu chamo de fé alienante, que faz o homem jogar nas costas largas de deus o que compete a ele fazer e não deus.

    Você quer dizer que o homem faz mais maldades por que não se é religioso?
    Então deixa eu lhe dizer uma constatação factual:
    Nunca se matou tanto do que em nome de deus!
    Só o cristianismo matou mais pessoas do que a primeira e segunda guerra mundial juntas, e você vem dizer que sem religião o homem é pior?

    Volto a afirmar: os demônios não passam dos nossos interiores mais terríveis exteriorizados....você nunca se perguntou porque não há manifestações demoníacas em igrejas tradicionais?

    Porque só manifesta em igrejas pentecostais?
    É porque só lá, neste ambiente, as pessoas são levadas a acreditar que existe demônios que precisam ser exorcizados....de tanto falar no nome dos demônios, estas idéias são incutidas na cabeça das pessoas.

    Você diz que eu não conheço ninguém que “serve” a deus?
    Meu amigo você não me conhece para fazer afirmações ou negações em relação a minha pessoa.
    Pois saiba que eu fui crente durante 15 anos e conheço centenas de outros crentes...é por isso que eu tenho autoridade para falar nas crenças evangélicas.

    O que? Crente sempre é vencedor? Só se for no mundo encantando da Alice no pais da maravilhas!!!

    Um simples exemplo de vida e realidade e não fantasia foi as enchentes em Santa Catarina, que é comprovadamente o estado que possui o maior numero de evangélicos, onde cerca de dez mil pessoas ficaram desabrigadas.

    Mais que deus mais medíocre e rui este seu heim???!!!

    Quer dizer que ele só livra quem for crente, e os outros que se ferrem???!!!

    O que dizer dos milhões de crianças inocentes que morrem de fome??? Cadê o seu deus que não fez nada??

    O homem nunca precisou e nem precisa de deus para nada, só precisa dele mesmo....nós somos os deuses desta terra como também seus próprios demônios....a salvação ou destruição esta em nossas mãos.

    Abraços e volte sempre.

    ResponderExcluir
  50. Que aconteceu? estou esperando sua resposta a mais de três dias e nada, você responde para as mulheres e não respondeu meu ultimo comentário, porque você não briga com alguemdo seu tamanho rss.

    Para as mulheres você tem tempo, para mim não, seu flouxo, agora só aceito sua resposta em forma de Post, se não vou escassear minhas visitas neste blog que promete responder a todos os comentários, mas ó respondem aos mais fáceis kkkkkk

    Meu ultimo comentário foi este agora, crie um post como resposta, para a gente continuar seu franguinho de granja:



    "Sim concordo que existem muitas outras coisas que dão sentido e sabor a vida como o esporte a literatura a dança o serviço humanitário a família, o trabalho e a vocação pessoal a busca pelo conhecimento, bom papo bom vinho e bom sexo.

    Tudo isso preenche a vida, mas seu argumento para anular a religião se esfarela diante das comparações, pois se pelo fato de a religião causar muito mal a muitas pessoas ela deve ser anulada, então tudo na vida deve ser aniquilado, pois excessos, exageros, fanatismo e doenças psicológicas podem ser encontrados em todas as atividades e lazeres humanos, o “pecado” permeia toda a existência e tudo toca, aonde houver homem, ali haverá erro, falta, equivoco e escravidão.

    Tudo feito desvirtuado do seu sentido natural faz mal, e, portanto não existe mal inerente na religião, mas mal inerente nas possibilidades de ações e produções humanas, não se aniquila o futebol por causa do fanatismo de alguns torcedores, não se a caba com as bebidas alcoólicas por causa dos viciados e dependentes, a doença esta no homem, e é tão forte, tão real que durante milênios as religiões deram o nome disso de pecado, eu daria o de: “desencontro existencial”, pois ser um “pecador” esta muito mais para uma fatalidade da existência aleatória em que cada um vem a vida, do que na escolha pessoal de cada sujeito.

    A religião é benéfica em essência, quando dela não se usa, quando por ela não se manipula e mata, assim como a política e ciência são inerentemente boas pelos seus motivos e pressupostos originais, mas que podem ser usado pelo egoísmo humano intrínseco no instinto de todo animal humano.

    Portanto não só concluo que a religião em seu estado natural é boa, pois pretende elevar o homem, como também afirmo que ela mais do que nem outro seguimento do conhecimento humano percebeu a “maldade’ inerente em cada um de nós, e a despeito de dar um nome uma origem e uma conseqüência para o “pecado” a pluralidade e os equívocos de interpretações não anulam a sua percepção de que alguma coisa este errado” com os homens.

    Bom eu acho que Paulo queria dizer algo parecido com que eu disse em suas cartas, e que você também disse e em muitos pontos do seu texto. Pois mudam se os pensadores e os termos, mas todos sentimos o mesmo fedor humano no seu estado existencial de “pecado” e alienação da autenticidade de se viver a vida em paz , ou com seu pai Deus, ou coma sua mãe Natureza.

    Outra coisa, você diz que a religião nasceu pelo fato de o homem não aceitar a morte e querer transcender a esta vida, mas eu digo que não é necessariamente isto. Pois eu mesmo sou religioso e “espiritual’ pelo próprio valor em si da religiosidade, não esperando nada no alem, mas apenas a plenitude daqueles que crêem e tem vida coma abundância aqui mesmo nesta existência. tanto como a primeira expressão do judaísmo foi uma religião que não acreditava na vida alem da morte que perdurou ate os tempos de Jesus na crença dos saduseus."

    ResponderExcluir
  51. Paulo Gesio

    Ola Marcio, tudo bem.

    Eu entendo que você possa ter se decepcionado com Deus, saiba que as coisas que devem acontecer nunca foi nem é e nem será no nosso tempo mas sim ao tempo de Deus.

    Se você pediu e peiu e não esperou o tempo de Deus, ai já é uma coisa sua com ele.

    Eu faço orações nas casas das pessoas e simplesmente chego e oro, somos 4 pessoas no total, eu minha esposa e outro casal.

    Marcio simplesmente quando começamos a orar o demônio manifesta então não venha falar que isso so acontece dentro da igreja, ah, e normalmente fazemos orações por pessoas que não conhecemos e que moram em outra região, zona leste, zona norte em fim e moramos na zona sul.

    Você é conhecedor da verdade, 15 anos crente mas não 15 anos evangélico, 15 anos seguindo Cristo mas não 15 anos servindo a Cristo, o seu erro é ser crente e não evangélico é ser seguidor e não servo, você ficou 15 anos dentro de uma igreja e não acreditava em nada do que acontecia La dentro o que você esperava que Deus fizesse por você.

    O mundo esta podre, e Deus não têm nenhum culpado por inocente, se esta acontecendo estas tragédias que você falou e você mesmo disse que conhece a verdade sabe que tudo isso esta escrito na bíblia sagrada, você acha que Deus iria revelar os acontecimentos e não iria deixar acontecer, não, ele não mente tudo quanto esta escrito vai acontecer pode esperar.

    Depois eu continuo tenho que trabalhar um pouquinho.

    ResponderExcluir
  52. Paulo Gesio

    Marcio você esta querendo se apoiar em que dizendo que Deus não exite e que a religião não vale de nada somente para enganar as pessoas.

    Quem criou o mundo quem fez a terra quem criou o homem quem deu a vida a você.

    Acha que algo aconteceu na sua vida espiritual e você simplesmente perdeu a fé e enquanto você estir sem fé nada mais vai acontecer.

    Não espere nada pelo homem ele não tem nada a te oferecer, as pessoas que estão a sua volta que você pensa ser amigas estas te atacam e te perseguem, e você cada vez mais sem fé.

    Isso não é culpa de Deus Marcio, tenha um pouquinho de fé ao menos para que as coisas na sua vida voltem a acontecer, você tem um vazio dentro do peito e acha que se falar mal do evangélio que você conhece e que não acredita mais vai ajudar mais não é assim.

    Deus te ama e pode fazer você ser um grande vencedor nesta vida, ore a Deus e peça para ele te socorrer.

    Fique com Deus

    ResponderExcluir
  53. Paulo Gesio

    Marcio você esta querendo se apoiar em que dizendo que Deus não exite e que a religião não vale de nada somente para enganar as pessoas.

    Quem criou o mundo quem fez a terra quem criou o homem quem deu a vida a você.

    Acha que algo aconteceu na sua vida espiritual e você simplesmente perdeu a fé e enquanto você estir sem fé nada mais vai acontecer.

    Não espere nada pelo homem ele não tem nada a te oferecer, as pessoas que estão a sua volta que você pensa ser amigas estas te atacam e te perseguem, e você cada vez mais sem fé.

    Isso não é culpa de Deus Marcio, tenha um pouquinho de fé ao menos para que as coisas na sua vida voltem a acontecer, você tem um vazio dentro do peito e acha que se falar mal do evangélio que você conhece e que não acredita mais vai ajudar mais não é assim.

    Deus te ama e pode fazer você ser um grande vencedor nesta vida, ore a Deus e peça para ele te socorrer.

    Fique com Deus

    ResponderExcluir
  54. Prezado PAULO GESIO 1

    Comigo tudo bem e com você?

    Eu não me decepcionei com deus, antes com a fantasiosa e ingênua fé dos crentes que eu tinha.
    Hoje já não vejo deus como um deus tribal pertencendo somente aos crentes, antes vejo um ser que está para além de qualquer inútil e vã tentativa do homem de qualificá-lo sistematizando e colocando ele dentro de uma “caixa” conceitual.

    Tempo de deus.....hum sei.....a tradicional escapadinha evangélica para as soluções ainda não alcançadas dos problemas.

    O que acontece PAULO é que se o fiel crente conquistar alguma coisa é porque deus o abençoou, porém se ainda não é porque ou não é o tempo de deus ou porque ele esta provando a fé.....desse modo, a manipulação continua a pendurar, pois se cumprir o que o pastor falou é que deus assim o quis, porém se não, é porque deus permitiu que não acontecesse...ai fica fácil.

    Como é que você pode vir aqui e se achar na condição de julgar uma pessoa que você nem conhece e dizer se ela era ou não evangélica???

    A onde é que fica o “não julgueis para não ser julgado”???

    Olha, você esta desobedecendo um mandamento de deus, e assim pecado contra ele...cuidado, para naquele grande dia deus condenar você por isto.

    Esta sua frase de “o que você esperava que Deus fizesse por você” é o maior problema de toda religião....o de alienar as pessoas da vida, fazendo com que elas não assumam a responsabilidade, jogando sempre para as costas largas de deus o que é da responsabilidade e dever humano fazer.

    ResponderExcluir
  55. PAULO GESIO 2

    O que você quer dizer com “O mundo esta podre, e Deus não têm nenhum culpado por inocente” ???

    Por ventura você esta querendo dizer já dizendo que as tragédias, mortes, assassinatos, doenças, fome e miséria é tudo castigo de deus sobre a humanidade???

    Era só o que faltava mesmo....o seu deus além de ser interesseiro porque só ajuda quem é o serve, ainda por cima é o próprio diabo em pessoa, pois destrói milhões de seres humanos com os piores castigos.

    Quanto as tragédias e acidentes esta escrito na bíblia é fácil de responder....sempre existiram catástrofes no mundo, o que esta acontecendo agora que nos dão uma impressão de que esta aumentando e por isso estamos no final do mundo, é devida a tecnologia avançada de noticiar esses tais eventos, coisa que não ocorria a 100 anos atrás.

    Portanto, as profecias de catástrofes na bíblia não são previsão do futuro, mas antes apenas constatações do que sempre ocorreu no mundo.

    ResponderExcluir
  56. PAULO GESIO 3

    Onde é que eu disse que deus não existe???
    Se for um deus mesquinho e limitado dos crentes que salva um crente de um assalto mais não salva 280.000 pessoas de um tsunami, este deus para mim não existe...mas agora se você me disser que há um ser supremo jamais conhecido e entendido que dão total liberdade não interferindo em nossas escolhas, ai eu acredito....portanto, a melhor pergunta a se fazer neste caso não é “você acredita em deus?”, mas antes “você acredita em qual deus?”.

    Quem criou o mundo e deu vida a nós todos, com certeza não foi o deus dos crentes, que dá e depois fica cobrando ameaçando de quem não o servi vai queimar eternamente no inferno....este deus não passa de criação humana.

    Não aconteceu nada comigo, mas antes com o mundo....eu não fecho os olhos como você, olhando somente para a igreja e dizendo que deus operou lá curando dor de dente, barriga e nariz, enquanto o mundo sofre e geme de dor e de injustiça sem a menor intervenção divina.

    Eu prefiro mil vezes esperar e contar com o homem do que com deus, saber porque??
    Deus não ajuda ninguém....não interferem em nossas vidas......se ele fosse interferir, ele tinha que começar nos piores lugares com as pessoas mais necessitadas...portanto, é hora de conscientizar as pessoas de que uma ajudado a outra, nós vamos conseguir melhorar o mundo.

    ResponderExcluir
  57. nosomosdejesus.blogspot.com13 de julho de 2010 12:34

    Paulo Gesio

    Ola Marcio, Não poderei responder neste momento mas responderei mais tarde.

    ResponderExcluir
  58. Prezado PAULO GESIO

    Ok....estou aguardando suas respostas para continuarmos nosso dialogo.

    Abraços

    ResponderExcluir
  59. Caro Márcio Alves, é interessante a forma com que você agrega conteúdo ao blog. Eu quase não conseguiria escrever da mesma forma. Faltam pausas longas, pontos. No entanto, não sei como, eu consigo entendê-lo perfeitamente.

    ^^

    As horas vão passando, e eu me sinto bem aqui. Qualquer hora vou escrever um artigo, quem sabe em meses ulteriores, usando técnica similar. rsrs...

    ResponderExcluir
  60. Caro THULIO JARDIM

    Seja muito bem vindo e recebido nesta sala do pensar, fique muito a vontade para comentar deixando sempre seu ponto de vista que é visto de um ponto, mesmo quando as pessoas comentam discordando de nossas idéias, não achamos rui, pelo contrário, é o que mais queremos, pois procuramos escrever sempre de uma maneira polemica para suscitar nos leitores, uma acurada reflexão.

    Quanto ao estilo dos meus textos, embora a maneira que eu mais goste de escrever seja realmente assim, como neste texto, procuro sempre diversificar o máximo que posso, para não cansar os leitores.

    Abraços e volte mais vezes.

    P.S: ficarei feliz se você algum dia escrever inspirado nas minhas escritas.

    ResponderExcluir
  61. Oi, Marcio:
    Devagarinho vou botar a leitura em dia por aqui.
    Neste texto de hoje concordo com você. Fé é uma coisa, religião (argh) é outra. Acabo de criar uma máxima: "Felizes os pobres de religião, deles será o reino dos céus" rsrsrsrsrs
    Eu sei que sou debochada mesmo, mas tem coisas que só levando na brincadeira para poder aturar.
    abração
    Atena

    ResponderExcluir
  62. Oi ATENA

    É um imenso prazer e satisfação ter você por aqui......se sinta em sua casa.

    É isso ai.....minha proposta é de que o ser humano não precisa dos mecanismos anestesiantes e ilusórios da religião para ser feliz, pelo contrario, religião escraviza e manipula o ser humano, sendo muito mais nocivo do que solucionador da problemática existencial.
    Ela é como um doril para uma dor de enxaqueca, ou placebo para doenças terminais.

    Abraços e espero ter sua presença participativa mais vezes por aqui.

    ResponderExcluir

Deixe a sua opinião.

Mesmo que você não concorde com nossos pensamentos, participe comentando esta postagem.
Sinta-se a vontade para concordar ou discordar de nossos argumentos, pois o nosso intuito é levá-lo à reflexão!

Todos os comentários aqui postados serão respondidos!