segunda-feira, 29 de março de 2010

Deus (im)-potente (não) é (oni)-potente! (?)



Como já tratei em outras postagens anteriores a esta, sobre a onisciência e soberania de Deus, quero dar o último e mais perigoso passo, reconhecendo o sofisma e axioma que enfrentarei, abordando a temática mais delicada de todos os atributos divinos.

Inicio com um dilema proposto pelo filosofo Epicuro (341 a.C a 271 a.C):
“Se Deus existe, ele é todo poderoso e é bom, pois não fosse todo-poderoso, não seria Deus, e não fosse bom, não seria digno de ser Deus. Mas se Deus é todo-poderoso e bom, então como explicar tanto sofrimento no mundo? Caso Deus seja todo-poderoso, então ele pode evitar o sofrimento, e se não o faz, é porque não é bom, e nesse caso, não é digno de ser Deus. Mas caso seja bom e queira evitar o sofrimento, e não o faz porque não consegue, então ele não é todo-poderoso, e nesse caso, também não é Deus”.

Diante do trágico tsunami, Leonardo Boff disse também algo muito parecido: “Se Deus é onipotente, pode tudo. Se pode tudo porque não evitou o maremoto? Se não o evitou, é sinal de que ou não é onipotente ou não é bom”.

Até mesmo o grande Papa não escapou deste dilema universal, em sua visita ao campo de concentração de Treblinka perguntou: "Onde estava Deus quando esse horror aconteceu?"

Depois do atentado terrorista ao World Trade Center o New York Times publicou um artigo com essa mesma pergunta: “Onde estava Deus? Se estava lá, por que deixou acontecer?”.

Longe de mim propor uma solução fácil, e até mesmo uma solução para aquilo que os teólogos chamam na teologia de teodiceia, temática esta que é considerados por todos, o maior de todos os problemas pensantes, que filósofos, teólogos, sociólogos e estudiosos tentaram e tentam decifrar e não conseguiram, e, talvez nunca consigam, não pelo menos de modo satisfatório.

Mas para tentar responder este dilema, não me apoiarem em chavões, em respostas simplistas e decoradas, antes tentarem expor o que intui o meu coração, de um modo bem simples, porém verdadeiro.

Inicio com a base que sustentará meu argumento afirmando: Deus não é onipotente!
Alias, o que é ser onipotente para seres impotentes?

A questão toda é que qualificaram deus, colocaram nele atributos humanos, elevando à máxima potencia de perfeição idealizada, daí terem surgidos adjetivos tais como; onisciência, onipresença, soberania e onipotência.
A teologia clássica, não o bastante terem atribuído a deus, adjetivos humanos, ainda projetaram em deus uma imagem de super-homem, advinda da filosofia grega, que concebia os seus deuses como que perfeitos.


Mas tanto no judaísmo, que Deus é visto como passional, que Se envolve com os seres humanos, mostrando sentimentos, até em Cristo que é para mim o grande símbolo de Deus, é visto sendo impotente, pois assim como os homens, Ele sofre e chora pela dor que machucaram o seu coração.

Parto da própria cosmovisão Cristã, para anular a concepção de onipotência tradicional de Deus. Deus não pode tudo, como possibilidade e como poder, pois já no ato da criação, este mesmo Deus se esvazia, se retira, dá espaço para o homem conviver com Ele e sem Ele.

Mas é na crucificação de Cristo que vemos a sua total impotência, quando no momento de grande dor de seu filho, Ele não o livra, não porque não quer, mas porque não pode.

A partir do momento que Deus cria o ser humano, e dá liberdade, Ele impõe sobre Si limites, não sendo mais soberano, pois o mundo esta agora na mão do homem que ele criou.

Não conhece o futuro porque este ainda não existe, podendo fazer tudo que está intrinsecamente ligado ao seu caráter de poder fazer, sendo poderoso, porém limitado.

Assim resolvo para minha fé o grande paradoxo, pois somente assim deus não seria culpado pelo sofrimento no mundo, sendo porque o homem é livre e deus não intervém, sendo na natureza que é imprevisível visto Ele não conhecer o futuro, seja pela dor do sofrimento e miséria no mundo, não podendo resolver tudo, interpela o homem na construção para colocar ordem no caos, sendo o homem o grande responsável.

Ou é assim, na fraqueza de deus, ou é no não acreditar em sua existência, ou até mesmo em sua impessoalidade deistica que conforta o meu coração triste e abatido por tantos males no mundo, e pelo silencio e não interferência Dele.

Deus esta com os que sofrem, sofrendo junto, e nunca sendo o carrasco e causador do mal.
Em sua próxima dor e choro, Deus vai estar lá, não como potencia, mas com sua frágil e marcante presença, chorando com seu imenso amor.

Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.


Marcio Alves

77 comentários:

  1. Marcio tá arrumando encrenca com os líderes e teólogos de plantão,são todos aparentados de Anás e Caifás,cuidado.É um tema complicado mas a filha de Billy Graham em entrevista em TV lhe fizeram esta pergunta por ocasião do ato do terror que derrubou as Torres Gemeas, World Trad Center - Onde estava Deus naquela tragédia?
    Ela respondeu:Que Deus estava nas Escola e foi expulso;que Deus não pode dar pitaco nos abortos;que Deus foi desprezado pela nação amaericana,e que Deus foi expulso como o Ser abençoador dos americanos,que o trocou por outro 'deus',e que Deus está onde sempre esteve,nós é que nos afastamos Dele.Tá?
    Não tenho a pretensão de dizer que essa resposta atende a sua expectativa,mas é uma resposta.
    fui,tito monteiro from brasília.

    ResponderExcluir
  2. Olá Marcio,

    Diante do dilema de Epicuro e Hume, faço minhas as palavras do Padre F.Varillon:

    "É a Onipotência do Calvário que revela a verdadeira natureza da Onipotência do ser infinito. A humildade do amor oferece a chave: é necessário pouco poder para se exibir, é necessário muito poder para apagar a si mesmo. Deus é um poder ilimitado de apagamento de si. Deus é infinitamente rico. Mar rico em amor, não em haveres [...] Riqueza em amor e pobreza são sinônimos. Deus é soberanamente independente, portanto livre. Mas livre para ir até o fim do amor. O fim do amor é a renúnica à independência. No limite, é a morte"

    No percurso da cruz é que percebemos o todo-poder de Deus. Nossa leitura da Onipotência divina deve ser feita em retrospectiva, referenciada pelo paradoxo Onipotência-Impotência.

    Abç,

    Alex.

    ResponderExcluir
  3. TITO

    Muito obrigado pela sua ilustre presença e significativo comentário, colaborando com nossa reflexão, fique a vontade mesmo que seja para discordar de minhas frágeis idéias, e volte sempre.

    Seu argumento se utilizando da resposta da filha de Billy Graham dá a entender que o atentado foi um castigo de Deus, por desobediência dos americanos??

    ??????????

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. ALEX CARRARI

    Realmente a onipotência Deus se evidencia e se aprofunda paradoxalmente em sua impotência, na fragilidade de seu amor, no seu auto-esvaziamento, na kenosis de Cristo, na liberdade humana, Deus que é infinito, dá espaço para criaturas finitas conviver com Ele e até mesmo sem Ele.
    Como disse Simone de Beauvoir: “O ato da criação não é um ato de expansão de Si, antes de esvaziamento, Deus sozinho é muito mais do que Deus com suas criaturas”.

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Amigos e leitores deste blog, fiquem a vontade para comentar, discordar, concordar e qualquer outra coisa. Rsrsrsss

    Estou saindo para trabalhar agora, mas logo mais, estarei respondendo a todos os comentários.

    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Mas antes de sair para trabalhar, um adendo ao comentário para o TITO:

    Cara, eu já arrumei e faz tempo, confusão com os guardiões da reta doutrina, basta você ler somente os títulos das postagens anteriores, e verás que estamos mexendo numa caixa de maribondos faz tempo.

    Mas esta é a nossa grande proposta, de repensarmos todos os dogmas pétreos engessados e enlatados do Cristianismo ortodoxo.

    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Prezado Marcio

    A Loucura da Cruz, pôs em cheque a imagem de um Deus onisciente e onipotente que estava na cabeça do homem vétero-testamentário.

    Assim, esta colocação de Deus no mundo torna-se possivel na medida em que compreendemos que Ele se submeteu a nosso querer, bom ou ruim. Ele não veio como Senhor todo poderoso e vencedor, mas veio suplicando.

    Cristo - A "Fraqueza" que nos trouxe a paz, desacralizou os conceitos de oniscência e onipotência que residiam no inconsciente do homem.
    O que está em jogo, agora, não é mais a onipotência e a onisciência, mas sim aquilo quue está "além da potência", ou seja, a revelação do enigma de um desejo, que é responsável pelo nsacimento de um desejo no outro.

    Somos agora animais "desejantes", libertos da repressão castradora do pensar que a imagem de um Deus onisciente e onipotente iria nos sobrepujar.

    Foi a imagem desse Deus "onipotente e onisciente" que fugindo da mente de Cristo, deixou-lhe nú, à própria sorte, quando ele assumiu os riscos de sua própria decisão, referendando nele mesmo, a nossa condição humana. Então se viu abandonado e só, sem a gasta "imago paterna", que aflorando do seu inconsciente, num grito nostálgico, assim se revelou metaforicamente nessa emblemática frase:

    "Deus meu, Deus meu por que me abandonaste?"


    Abçs,

    Levi B. Santos

    ResponderExcluir
  8. Marcinho,

    o pensamento de Epicuro é interessante, mas veja:

    Um deus todo-poderoso que não pode fazer algumas coisas é tão ruim quanto um deus que quer fazer algo mas não pode.

    Não acredito que deus morreu na cruz. Logo, não acredito no "deus esvaziado". Nem a teologia paulina afirmava isso e muito menos, a teologia dos evangelistas.

    O brado de desamparo de Jesus na cruz, é exatamente porque o deus todo-poderoso que deveria vir em seu socorro e implantar o seu Reino de uma vez por todas, nada fez.

    Prezado Tito,

    onde estava deus quando os EUA eram um país realmente cristão e milhares e milhares de negros eram humilhados e mortos pela "supremacia racial branca e cristã" da Klu-Klux-Klan?

    Ou quando sabendo-se abençoado por deus, os pioneiros cristãos dizimaram milhares e milhares de nativos??

    ResponderExcluir
  9. Márcio, pelo visto você tem feito bem a liçãozinha de casa a respeito do que os "papais" Kant,Spinoza, Friedrich Schleiermacher, Albrecht Ritschl, Ernst Troeschl,Bultmann e etc ensinaram. Pensava que você cria em Jesus, não nesses ditos "pensadores" que nada mais faziam do que destruir,não a teologia, mas o Jesus dos Evangelhos. Acalme, to lendo com afinco seus "pais", pois quero cada vez mais conhecê-los para que cada vez mais forte eu possa refultá-los, mas te digo uma coisa: cada linha que leio desses ditos "pensadores" me dá ansia de vômito.Mas não é por isso que vamos brigar,rsrs,(só se você quiser,kkk) afinal, Jesus mandou amar todos, inclusive os ateus (sim, porque um de seus pais disseram que Jesus é apenas um "gênio religioso" e não Deus encarnado)
    Cada vez mais entendo o por quê de seus argumentos e respostas, que nada mais são do que papagaiamentos dos mesmo.
    Abçs

    ResponderExcluir
  10. Tudo ruma, pelo que vejo em seu blog Márcio, com a ajuda dos "malucos-belezas", que um dia você irá dizer a célebre frase: "Jesus não é Deus". Esse dia chegará e estarei aqui, sentadinho no meu cantinho,ok,rs!O Dudu já começou a dar a deixa:"Não acredito que deus morreu na cruz", porque você não faz logo como Bultmann?Chuta logo o pau da barraca e fala abertamente que Jesus escrito nos Evangelhos não é Deus?O que ainda falta pra chegar a esse ponto?
    To esperando viu,rs.

    ResponderExcluir
  11. "Onde Deus estava quando isso aconteceu?" Essa certamente é uma das frases que Deus mais deve ter ouvido na vida!

    Mas eu proponho outra pergunta: "E onde o homem estava quando isso aconteceu?".

    Como você mesmo disse, nós somos co-responsáveis pelo nosso destino. Não podemos nos dar ao luxo de nos considerarmos seres pensantes e minimamente autônomos, se a cada coisa que sai errada nós jogamos a culpa no Deus.

    O que o Jesus fez? Descobriu que os homens são filhos de Deus; e pagou o preço por isso. Deus somos nós, nós somos um, e isso impossibilita o inferno, pois se uma parte de nós estará lá, todos nós estaremos.

    Tchau, meu Gardenal está me paquerando nesse momento.

    ResponderExcluir
  12. Mestre LEVI

    Também concordo que o advento não somente de Cristo, mas principalmente da cruz, pois em cheque a onipotência de Deus, e o seu grito de “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”, nos revela isto, não o não querer de Deus, mas antes a sua impotência, deixando ser violentado pela maldade humana, como também no seu curto, e de pouco alcance geograficamente falando, de seu ministério, mostrando assim, que Deus não pode tudo, que quer acabar com o mal, mas não consegue, e por isso que Ele nos interpelar, pois somos os seus parceiros na construção e reorganização do caos.

    Abraços

    ResponderExcluir
  13. EDUARDO MEDEIROS

    Eu sei que a minha resposta não resolve completamente o enigma proposto por Epicuro, tanto que a minha resposta primeira parte dos pressupostos Cristãos, mas se você não percebeu, eu ainda dou mais duas alternativas, além da principal do texto, para explicar o silencio e não interferência divina na refreação do mal, são eles: a não existência ou impessoalidade de Deus.

    Embora a idéia principal do texto seja mesmo a fraqueza e não onipotência divina, o que é mais forte em mim, é justamente a crença deistica da impessoalidade, que Deus nos criou e nos abandonou a própria sorte, sem interferir e gerenciar a nossa realidade, sendo Ele mesmo inqualificável, inominável e inefável.

    A questão da teologia relacional com sua cosmovisão de Deus esvaziado, para mim é apenas e maravilhosamente um símbolo de Deus.


    Mas então Duzinho, qual é a tua visão do assunto binômio onipotência e bondade divina??

    Pois até aqui, em seu comentário, você se restringiu a dizer o que não é para você, mas então o que é??

    Abraços

    ResponderExcluir
  14. Mano ED.

    Esses caras ai não são meus “pais”, nunca li nada de nenhum deles, embora um dia ainda pretenda ler, pois a fila de livros que tenho que ainda ler é extensa demais, mas quem sabe eu não encaixe algum livro desses caras na minha leitura.

    Mas para que essa necessidade tão desesperadora de ler-conhecer para refutar, se você acredita, não tem do que temer, e se tem é porque sua fé já não é mais fé, mas simplesmente um mero assentimento intelectual.

    Não Ednelson, meus pensamentos não são um papagaiamento do pensamento desses caras ai, até porque eu nunca li nada deles, bem diferente de você, que é uma sombra e eco do seu pai querido e idolatrado CAIO FABIO, ou estou errado???? Rsrsrsrsrssrs

    Mas quem disse que eu já não disse que Jesus não é Deus???

    Ou você não percebeu ainda, que quando falo de Jesus, eu sempre digo que ele é um símbolo de Deus, ou seja, que não é LITERALMENTE a encarnação, mas sim uma representação, que, diga-se de passagem, para minha fé, pois eu creio neste símbolo que Jesus para mim é.

    Em relação ao que os Apóstolos escreveram, tanto nos evangelhos quanto nas epistolas, não passa de teologia, pois o próprio Cristo nunca disse ser ele mesmo Deus, antes sua ênfase recaia em ser um filho do homem.

    E agora, esta mais contente, com esta revelação minha???? Rsrsrsrsrs

    Abraços

    ResponderExcluir
  15. Mano ISA

    Concordo com você, que alias é uma concordância com o meu texto. Hehehehe
    A pergunta mais correta diante da própria maldade humana, não deveria ser “onde está deus?”, mas antes “onde está, ou estava nós?”, pois cabe a nós, e não há Deus promover justiça, igualdade e solidariedade humana.

    Mas ainda sim, mano Isa, mesmo solucionando parte desta problemática, fica ainda outra parte que precisa de uma solução, que eu passo para você, pois já dei minha modesta e frágil opinião, o que falar de um Tsunami, terremoto e enchentes que matou e mata milhares de pessoas, como Deus sendo poderoso e bondoso ao mesmo tempo, pode permitir isto????

    Como é que Deus permite crianças nascerem com doenças graves, condenando-as a vegetarem pelo resto da vida????

    Abraços e não se esqueça de trazer um gardenal para mim também, que ultimamente estou precisando e muito. Hahahahahah

    ResponderExcluir
  16. O que?? o ED estava esperando o marcinho revelar que Jesus não era deus???? haaaaaa

    Ô Ed, você lê mesmo os textos do marcinho??

    Marcinho, seu descontrutor insandecido, primeiro eu disse que as duas opçõs não são boas.

    deus só pode ser onipotente se ele, apensar de ser pessoal, deixou os homens à própria sorte, como você também afirmou.

    Essa é até uma ideia interessante, visto que deus mandou o homem "dominar a terra"; logo, este planeta é responsabilidade nossa e tudo que aqui acontece, acontece tão somente devido às ações humanas.

    Então, racionalmente "crentemente" falando rsss, deus ou é onipotente mas não se mete no "domínios" humano ou ele é uma consciência universal não moral e não pessoal.

    As duas opções são interessantes.

    ResponderExcluir
  17. Meu Grande polêmico Amigo aqui estou;

    Bem que eu queria me esconder, fazer como o Pai fez com o filho virar a face para não contemplar as chibatadas que o filho levava na cruz, doeu no filho, mas doeu mais ainda no pai que nada pode fazer.

    Então estou contigo nesta e me apresento para apanhar junto contigo, a final é isto que se espera dos amigos; Se não posso te livrar do sofrimento, sofrerei contigo, e a tua dor será a minha.

    Vamos lá;

    Deus é Amor (nada tem á ver com a Igreja do Missionário).

    Sendo Deus a expressão do Amor, não pode haver nele o mál, portanto não vence o mál causando mais maldades, mas vence o mál com o Amor que lhe é inerente.

    Para os que enxergam Deus com um ser todo poderoso, fica incompreesivel ver um Deus contemplar a maldade e nada fazer para combatê-la, então se entende que este combate deveria ser uma demonstração de força e de poder contra um oponente a altura, mesmo que para isto seja necessario destruir.

    O Deus que creio é conhecido por criar e jamais destruir, ainda mais destruir as obras de suas mãos.

    Os maiores reponsáveis pela maldade e pela destruição somos nós que somos livres até para escolher o mál, mas que sofreremos a consequêcias das escolhas mál intencinadas, não porque seremos punidos por Deus mas porque este é o curso natural das coisas, do tipo:
    "Quem planta o mál, por ventura colherá o bem? Todos já sabem a resposta e Deus não é o culpado.

    ResponderExcluir
  18. Adorei tudo, a escrita, o estilo, a abordagem, o tema, a resposta e principalmente o estado de alma de quem pensou o texto.

    Mas você sabe que para um fundamentalista isso não é problema, quanto mais desgraça melhor, quanto mais destruição melhor, pois é evidencia de que Jesus esta voltando para salvar aqueles que não bebem cerveja e transam antes do casamento.

    Eu mesmo não me preocupo, e nunca pensei nestas tuas questões e respostas, foi você que as levantou para mim, até agora eu sem saber sempre imaginei que Ele de uma forma ou de outra, no fim da historia seria justo com todos.

    Mas com estas questões levantadas eu prefiro imaginar que Deus deixou o mundo ser mundo em toda a sua beleza e fealdade, sendo insenssivel a dor por poder no final acabar com toda lágrima e tristeza, quer na extinção absoluta ou na redenção total.

    ResponderExcluir
  19. Marcio Alves, sabes que concordo contigo no que diz respeito à "kenosis" de Deus...muito embora mesmo que muitos por aqui não percebam, também existem divergências entre meus e teus pensamentos...e isso não impedirá jamais que você seja meu melhor amigo.

    Falando um pouco de Epicuro, Talvez este valente filósofo tenha sido o mais mal interpretado história e seja visto de forma errônea no panteão dos pensadores (como julga o mano Ed). Seu nome e filosofia viraram sinônimos de um hedonismo devasso. O estilo de vida Epicurista é amplamente considerado como uma celebração à sensualidade, à indulgência do prazer, uma apreciação desavergonhada em todas as questões de libertinagem e gulodisse.

    Mas que injustiça com o mano Epicuro!

    O humilde, calmo e reservado Epicuro, ficaria horrorizado com a orgia que acontecia e continua acontecendo na intenção de seu nome. É verdade que Epicuro valorizava grandemente a busca pelo prazer, mas na sua definição do tema, estaria mais relacionada aos prazeres pelos ociosos e não à libertinagem...viu Edinelson!?

    Este homem levava uma vida tranqüila e contemplativa, comendo modestamente, bebendo moderadamente e filosofando na maior parte do tempo reclinado em sua rede.

    A palavra "Epicurismo", em verdade, significa o contrário do seu uso comum atual. Enquanto a filosofia original significava uma busca pelo prazer, o prazer era definido como MODERAÇÃO, LEITURA e INTROSPECÇÃO, e não se referia às indulgências sensuais que o mundo insinua hoje.

    Pena que quando o Cristianismo tornou-se, a fé predominante e filosofia do império romano, é possível que os primeiros padres da Igreja, em sua busca constante de repreensão de qualquer espécie de "heresia", tenham tentado consignar Epicuro ao amontoado de cinzas da história.

    ResponderExcluir
  20. A pior coisa que nós podemos fazer é afligir-nos com o futuro incerto. Se pudermos viver o agora e alcançar a tranqüilidade um dia de cada vez, estando no melhor lugar possível, a iluzória porém eminente paz interior será nossa.

    Uma das coisas mais importantes e mais maravilhosas da vida é a amizade. O pacífico Epicuro acreditava em oferecer a sua própria vida em benefício de um amigo se necessário fosse. Os amigos são as únicas pesoas em quem você pode confiar e devem ser preservadosem nossos corações. As recompensas da amizade são imensas.

    Epicuro ou os Epicuristas...como quiserem, eram igualitários, tratavam homens e mulheres como iguais, e as distinções sócioeconômicas eram completamente ignoradas...até mesmo os escravos eram tratados com serenidade. Isso era inédito no mundo greco-romano, e pelo que vejo, essas idéias ainda não são completamente praticadas nos dias de hoje.

    Ele não acreditava em Deus?

    Posso ver Deus claramente nesses pensamentos Epicuros que citei acima!

    ResponderExcluir
  21. Marcio Alves, sabes que concordo contigo no que diz respeito à "kenosis" de Deus...muito embora mesmo que muitos por aqui não percebam, também existem divergências entre meus e teus pensamentos...e isso não impedirá jamais que você seja meu melhor amigo.

    Falando um pouco de Epicuro, Talvez este valente filósofo tenha sido o mais mal interpretado história e seja visto de forma errônea no panteão dos pensadores (como julga o mano Ed). Seu nome e filosofia viraram sinônimos de um hedonismo devasso. O estilo de vida Epicurista é amplamente considerado como uma celebração à sensualidade, à indulgência do prazer, uma apreciação desavergonhada em todas as questões de libertinagem e gulodisse.

    Mas que injustiça com o mano Epicuro!

    O humilde, calmo e reservado Epicuro, ficaria horrorizado com a orgia que acontecia e continua acontecendo na intenção de seu nome. É verdade que Epicuro valorizava grandemente a busca pelo prazer, mas na sua definição do tema, estaria mais relacionada aos prazeres pelos ociosos e não à libertinagem...viu Edinelson!?

    Este homem levava uma vida tranqüila e contemplativa, comendo modestamente, bebendo moderadamente e filosofando na maior parte do tempo reclinado em sua rede.

    A palavra "Epicurismo", em verdade, significa o contrário do seu uso comum atual. Enquanto a filosofia original significava uma busca pelo prazer, o prazer era definido como MODERAÇÃO, LEITURA e INTROSPECÇÃO, e não se referia às indulgências sensuais que o mundo insinua hoje.

    Pena que quando o Cristianismo tornou-se, a fé predominante e filosofia do império romano, é possível que os primeiros padres da Igreja, em sua busca constante de repreensão de qualquer espécie de "heresia", tenham tentado consignar Epicuro ao amontoado de cinzas da história

    ResponderExcluir
  22. Marcio Alves, sabes que concordo contigo no que diz respeito à "kenosis" de Deus...muito embora mesmo que muitos por aqui não percebam, também existem divergências entre meus e teus pensamentos...e isso não impedirá jamais que você seja meu melhor amigo.

    Falando um pouco de Epicuro, Talvez este valente filósofo tenha sido o mais mal interpretado história e seja visto de forma errônea no panteão dos pensadores (como julga o mano Ed). Seu nome e filosofia viraram sinônimos de um hedonismo devasso. O estilo de vida Epicurista é amplamente considerado como uma celebração à sensualidade, à indulgência do prazer, uma apreciação desavergonhada em todas as questões de libertinagem e gulodisse.

    Mas que injustiça com o mano Epicuro!

    O humilde, calmo e reservado Epicuro, ficaria horrorizado com a orgia que acontecia e continua acontecendo na intenção de seu nome. É verdade que Epicuro valorizava grandemente a busca pelo prazer, mas na sua definição do tema, estaria mais relacionada aos prazeres pelos ociosos e não à libertinagem...viu Edinelson!?

    Este homem levava uma vida tranqüila e contemplativa, comendo modestamente, bebendo moderadamente e filosofando na maior parte do tempo reclinado em sua rede.

    A palavra "Epicurismo", em verdade, significa o contrário do seu uso comum atual. Enquanto a filosofia original significava uma busca pelo prazer, o prazer era definido como MODERAÇÃO, LEITURA e INTROSPECÇÃO, e não se referia às indulgências sensuais que o mundo insinua hoje.

    Pena que quando o Cristianismo tornou-se, a fé predominante e filosofia do império romano, é possível que os primeiros padres da Igreja, em sua busca constante de repreensão de qualquer espécie de "heresia", tenham tentado consignar Epicuro ao amontoado de cinzas da história

    ResponderExcluir
  23. A pior coisa que nós podemos fazer é afligir-nos com o futuro incerto. Se pudermos viver o agora e alcançar a tranqüilidade um dia de cada vez, estando no melhor lugar possível, a iluzória porém eminente paz interior será nossa.

    Uma das coisas mais importantes e mais maravilhosas da vida é a amizade. O pacífico Epicuro acreditava em oferecer a sua própria vida em benefício de um amigo se necessário fosse. Os amigos são as únicas pesoas em quem você pode confiar e devem ser preservadosem nossos corações. As recompensas da amizade são imensas.

    Epicuro ou os Epicuristas...como quiserem, eram igualitários, tratavam homens e mulheres como iguais, e as distinções sócioeconômicas eram completamente ignoradas...até mesmo os escravos eram tratados com serenidade. Isso era inédito no mundo greco-romano, e pelo que vejo, essas idéias ainda não são completamente praticadas nos dias de hoje.

    Ele não acreditava em Deus?

    Posso ver Deus claramente nesses pensamentos Epicuros que citei acima!

    ResponderExcluir
  24. Marcio Alves, sabes que concordo contigo no que diz respeito à "kenosis" de Deus...muito embora mesmo que muitos por aqui não percebam, também existem divergências entre meus e teus pensamentos...e isso não impedirá jamais que você seja meu melhor amigo.

    Falando um pouco de Epicuro, Talvez este valente filósofo tenha sido o mais mal interpretado história e seja visto de forma errônea no panteão dos pensadores (como julga o mano Ed). Seu nome e filosofia viraram sinônimos de um hedonismo devasso. O estilo de vida Epicurista é amplamente considerado como uma celebração à sensualidade, à indulgência do prazer, uma apreciação desavergonhada em todas as questões de libertinagem e gulodisse.

    Mas que injustiça com o mano Epicuro!

    O humilde, calmo e reservado Epicuro, ficaria horrorizado com a orgia que acontecia e continua acontecendo na intenção de seu nome. É verdade que Epicuro valorizava grandemente a busca pelo prazer, mas na sua definição do tema, estaria mais relacionada aos prazeres pelos ociosos e não à libertinagem...viu Edinelson!?

    Este homem levava uma vida tranqüila e contemplativa, comendo modestamente, bebendo moderadamente e filosofando na maior parte do tempo reclinado em sua rede.

    A palavra "Epicurismo", em verdade, significa o contrário do seu uso comum atual. Enquanto a filosofia original significava uma busca pelo prazer, o prazer era definido como MODERAÇÃO, LEITURA e INTROSPECÇÃO, e não se referia às indulgências sensuais que o mundo insinua hoje.

    Pena que quando o Cristianismo tornou-se, a fé predominante e filosofia do império romano, é possível que os primeiros padres da Igreja, em sua busca constante de repreensão de qualquer espécie de "heresia", tenham tentado consignar Epicuro ao amontoado de cinzas da história

    ResponderExcluir
  25. A pior coisa que nós podemos fazer é afligir-nos com o futuro incerto. Se pudermos viver o agora e alcançar a tranqüilidade um dia de cada vez, estando no melhor lugar possível, a iluzória porém eminente paz interior será nossa.

    Uma das coisas mais importantes e mais maravilhosas da vida é a amizade. O pacífico Epicuro acreditava em oferecer a sua própria vida em benefício de um amigo se necessário fosse. Os amigos são as únicas pesoas em quem você pode confiar e devem ser preservadosem nossos corações. As recompensas da amizade são imensas.

    Epicuro ou os Epicuristas...como quiserem, eram igualitários, tratavam homens e mulheres como iguais, e as distinções sócioeconômicas eram completamente ignoradas...até mesmo os escravos eram tratados com serenidade. Isso era inédito no mundo greco-romano, e pelo que vejo, essas idéias ainda não são completamente praticadas nos dias de hoje.

    Ele não acreditava em Deus?

    Posso ver Deus claramente nesses pensamentos Epicuros que citei acima!

    ResponderExcluir
  26. A pior coisa que nós podemos fazer é afligir-nos com o futuro incerto. Se pudermos viver o agora e alcançar a tranqüilidade um dia de cada vez, estando no melhor lugar possível, a iluzória porém eminente paz interior será nossa.

    Uma das coisas mais importantes e mais maravilhosas da vida é a amizade. O pacífico Epicuro acreditava em oferecer a sua própria vida em benefício de um amigo se necessário fosse. Os amigos são as únicas pesoas em quem você pode confiar e devem ser preservadosem nossos corações. As recompensas da amizade são imensas.

    Epicuro ou os Epicuristas...como quiserem, eram igualitários, tratavam homens e mulheres como iguais, e as distinções sócioeconômicas eram completamente ignoradas...até mesmo os escravos eram tratados com serenidade. Isso era inédito no mundo greco-romano, e pelo que vejo, essas idéias ainda não são completamente praticadas nos dias de hoje.

    Ele não acreditava em Deus?

    Posso ver Deus claramente nesses pensamentos Epicuros que citei acima!

    ResponderExcluir
  27. Marcio..por enquanto tudo bem por aqui...vamos ver se não acontecerá o conjecturado em minha mente de psicopata.rsss

    ResponderExcluir
  28. Márcio

    E aqueles dias, aqueles bilhões de dias em que a Terra era sem forma e vazia?

    E os meteoros gigantes que caiam na terra?

    E os dinossauros?

    E, e...

    Por que as catástrofes acontecem e matam milhares de pessoas? Não sei. Talvez pela ação humana contra a natureza? Mas, e quando não tinhamos chegado aqui ainda, o que os antigos dinossauros haviam feito contra ela para serem destruidos?

    Não teremos todas as respostas.

    ResponderExcluir
  29. P.S>

    Eu não entendo como pode existir pessoas tão incoerentes, insignificantes e desalmadas...a ponto de hackear a senha de alguém!!...

    Irmãos Confraternos, fiquem esperto com as contas de e-mail de vocês...este hacker só pode ser alguém que está ao nosso meio...pois só uma pessoa com afinidades, conseguiria fazer tal ato.

    Abraços!!

    ResponderExcluir
  30. EDUARDO MEDEIROS

    Estou achando também, que o Ed não lê os meus textos, somente pelo titulo já dá para ele sacar as heresias que vou estar abordando, acho que a comida pensante é muito indigesta para ele – estou brincando com você, tá Ed??!! Hahahahahahahahaha

    Duzinho você só repetiu o que eu já afirmei, ou seja, quero que você traga novas luzes para a tematica, outros pontos de vistas, entende???

    Abraços

    ResponderExcluir
  31. JAIR DOS SANTOS

    Realmente se partimos do pressuposto cristão do amor de Deus, então logo não seria da vontade dele a maldade existente no mundo.

    Mas então eu te pergunto, para ficar mais claro para os leitores, você então acredita que Deus não tem todo o poder???

    Abraços

    ResponderExcluir
  32. GRESDER SIL

    Fala logo o que você quer de mim???
    Ou então você esta doente??
    Bateu a cabeça, ou alguma coisa desse tipo???
    Pela primeira vez neste blog, você elogiou uma postagem minha!!!!
    Estou ficando preocupado com você Gresder, você já foi ao medico??? Hahahahahahaha

    De fato é verdade sim, que quanto mais desgraças no mundo, melhor é, para a fé infantil e alienante dos evangelicos, e pensar que um dia eu já pensei assim, por isso que eu digo, a melhor coisa em ser um fundamentalista é quando deixamos de ser um!!!!!

    Serio mesmo Gresder??? As indagações que levantei, você nunca antes tinha lido, ouvido e se quer pensado???
    Pois eu sofro com essas e outras questões, que são na verdade paradoxo e irreconciliaveis, portanto, nos restando intuir mesmo.

    Você ao meu ver, faz uma boa mistura entre o deus insensivel do calvinismo e grego, com o deus relacional que deixa o homem ser homem em plena e total liberdade, boa ideia meu amigo.

    Abraços

    ResponderExcluir
  33. Mano ISA

    Sim, não teremos todas as respostas, mas é exatamente por isso, por não termos e talvez nunca teremos respostas factuais, é que precisamos muito mais intuir muitas coisas, e é neste sentido que elaborei e fiz estas perguntas a você, que eu mesmo respondi em minha postagem, ou você acha que quando você fala em vida além da terra, você faz o que, se não intuir??

    Mas eu respeito o seu não querer, ou pelo menos não tentar responder, nem que seja com a intuição a essas questões tão dificeis, justamente por serem tão dificeis.

    Abraços

    ResponderExcluir
  34. PAULINHA

    Volta aqui, que comentário é este: “Abraços aos confraternos”??
    E o comentário sobre a postagem???
    Não entendi?????

    Abraços

    ResponderExcluir
  35. OLA SEJA MUITO BEM VINDA AO MEU CANTINHO ADOREI SUA VISITA, SOU MAIS UM SEGUIDO SEU COM MAIS TEMPO OU UMA PASSADA NOS OUTROS BLOG S SEUS E DIGO DE ANTE MAO ACHEI MUITO INTERESSANTE SEU BLOG, BASTANTE CONTEUDO, SOBRE O MISTERIO QUE E FALAR DE DEUS, NAUM SIGO NENHUMA BANDEIRA OU RELIGIAO, ME INTERESSO SOBRE TUDO AQUILO QUE FALA DO AMOR DE DEUS, POREM CONFESSO QUE TENHO UMA QUEDINHA PELA FORMA DE EXPRESSAR EVANGELICA GOSTARIA ENTENDER...................BJUX VOLTE SEMPRE, AO MEU BLOG TE ESPERO NO OUTRO TBM SE QUIZER RIR MUITO RSRSRSRSRS BJUX DE ANJO

    MARQUINHOS

    ResponderExcluir
  36. Olá Márcio

    Como harmonizar um Deus amoroso, que deu sua própria vida para salvar pecadores, com a existência de doença, sofrimento e morte? Que dizer de realidades como violência, terrorismo, roubos assassinatos frios que acontecem todos os dias? É Deus responsável por tudo isso? Se não quem é? Deixemos que a Bíblia responda.
    è só ler o que o apóstolo Paulo disse em 2Timóteo 3:1-4 e Mateus 24:6,7,10
    Muitas pessoas ao olharem para tanta miséria e tanta injustiça, afirmam que Deus não existe; afinal, Se Ele existe, por que Ele permite todas estas coisas? Não sabem que o deus deste mundo não é Deus e sim,o principe do mundo (por enquanto), aquele que veio ao entrar o pecado no paraíso, ele é coerente com seu mundo.
    E isso é o que ele tem a oferecer.
    "Então porque Deus não faz alguma coisa para acabar com tudo isso?
    Eu lhe respondo: Ele fez!
    E você pergunta: O que?
    Ele morreu na cruz por nós!
    Mas a pergunta correta seria, não minha, mas do próprio Deus, Onde você está????

    Importa-se Deus com nós, ou está Ele tão ocupado com o Seu grande Universo que o deixa à mercê da sorte? Preocupa-se Deus com nosso mundo e seu futuro?

    Antes de Jesus subir ao céu, Ele mesmo pronunciou a confortadora palavra: "Voltarei".
    E onde estaremos nós??????

    Abraço

    ResponderExcluir
  37. Marcio;

    Vou te responder, sei que minha resposta fara com que o Pai o Filho e Espirito Santo se virem de costa lá no céu...rsrsrs

    Agora é serio.

    Deus não é todo poderoso!

    Abriu mão de todo o poder (que quiseram lhe imputar)

    Para manifestar seu verdadeiro atributo; Deus-é-Todo-Amoroso.

    Portanto posso dizer que ELE é Poderoso, pois contra o Amor não existe maior poder!!!

    ResponderExcluir
  38. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  39. Hahahahaah....

    Marcinho, na verdade este comentário foi um teste que eu estava fazendo, para ver se os meus comentários ficavam postados, ou se em seguida seriam excluídos, como estava acontecendo com os comentário do Edson..

    Aliás, estes dois últimos comentários do Edson, fui eu que escrevi com a conta de usuário dele....

    Foi apenas um teste, depois que consegui recuperar a conta de e-mail e do blogger dele....ele foi vítima de um "hacker"....olha e que dor de cabeça para eu recuperar...

    Mas recuperei tudo....ele está na ativa novamente....rs...

    Voltarei para comentar alguma coisa sobre a postagem, que na verdade já li há alguns dias atrás....rs

    Poderosíssimaaa postagem!!! rs

    Beijos amigo!!

    ResponderExcluir
  40. Serio Marcio, existem coisas em que eu não penso e não me preocupo em saber.

    Imagina se eu ou você se interessasse por todos os temas que cada um se interessa, a vida não teria graça, pois não aprenderíamos muito, um com o outro.

    Este tema se encaixa perfeitamente na teologia de rua do seu texto máster: “não creio em milagre”, portanto eu aconselho que você sozinho projete um livro sobre esse assunto com o nome: teologia de rua.

    Mas não pode ser uma coletânea das postagens, senão, não desperta interesse serio ao assunto, mas antes, você deveria reescrever tudo em capítulos totalmente interligados, pois estou sentindo a cada dia uma conexão de um mesmo pensamento coerente que tem por tema principal a Não soberania de Deus desembocando na pratica da teologia de Rua.

    E não vem me dizer que você já tinha pensado nisto, pois o Edson falo que o livro que vocês querem fazer é uma antologia dos textos deste blog, sem pretensões de publicações nacional.

    Mas para isso eu acho que seria bom você projetar mentalmente o livro por mais de um dois anos assim como eu faço. Quanto ao Edson, já que ele é humilde rsrs ele apenas te ajuda com a correção e aperfeiçoamento da idéia, pois como um pensador sistemático ele é um excelente poeta...

    ResponderExcluir
  41. hacker???? cruz credo!!! tá amarrado!!!

    sério: Edson, porque você acha que é um de nós?

    ResponderExcluir
  42. DOCE ANJO

    Obrigado pela sua participação, fique a vontade para comentar.

    Abraços

    ResponderExcluir
  43. Amiga FRANCINI

    É um grande prazer ter lá por aqui, dando sua contribuição para enriquecer ainda mais a temática supracitada.

    Não entrarei na questão do mérito do “sacrifício” de Jesus na cruz do calvário, pois esta foi minha temática anteriormente a esta última, portanto lhe convido a ler, o tema é: “Deus assassinou o seu filho?”.

    Não questiono a responsabilidade humana, pois a meu ver, a pergunta correta não é mesmo “onde está Deus?”, mas antes “onde estávamos?”, conforme muito bem você também expressou.

    Mas sim, questiono a sua outra explicação para problemática do mal no mundo, onde você responsabiliza o diabo, mas esta também tem lá as suas implicações, pois se Deus tem todo poder, e o diabo esta em suas mãos, logo tudo que o diabo faz de mal, seria pela vontade Dele, então assim sendo, o diabo agiria segundo as ordens toda-poderosa de Deus, a implicação seria que Deus então compactua com o mal, pois no mínimo o permiti.

    Como resolver tal aparente contradição?

    Em relação a volta tão esperada de Jesus, leia se possível também uma postagem do meu amigo e parceiro deste blog, Edson Moura, o tema é: “Arrebatados”.

    Abraços e obrigado pela visita, se sinta em sua casa. Rsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  44. JAIR DOS SANTOS

    Respondeste como poeta que és meu caro amigo, gostei de sua explicação, principalmente esta última frase sua: “Portanto posso dizer que ELE é Poderoso, pois contra o Amor não existe maior poder!!!”.

    Abraços

    ResponderExcluir
  45. PAULINHA

    Você também é uma hacker e das boas heim???!!!!
    Ainda bem que você esta ao nosso lado, e principalmente do lado do Edson, pois se não, eu estaria a estas horas, sem meu parceiro de blog.

    Em relação à postagem, obrigado pela parte do “poderosíssima”, mas quer dizer que você já leu faz dias e ainda não comentou??

    Mas cadê aquela Paulinha debatedora e faladora pelos cotovelos, estou sentido muito a sua falta em nosso blog, será que foi o blog da confraria que fez você “sumir”???

    Não se esquece de nós não, viu Paulinha. Rsrsrsrsrsrsrs

    Abraços

    ResponderExcluir
  46. GRESDER SIL

    É verdade, as nossas singularidades é que fazem toda diferença e dão o ar da graça em nossas relações de amizades e de blogs.

    Tai uma boa idéia mesmo, eu escrever um livro com o tema teologia de rua..... vou pensar nisto, valeu mano!!!!!

    ResponderExcluir
  47. O mal está na forma como aprendemos "o que é Deus". Ah.... como somos enganados... O que as religiões fazem com a gente é um crime! Acho melhor parar por aqui, pois se me empolgo, escrevo um romance...rs.

    ResponderExcluir
  48. Boa noite!
    vimos oferecer o nosso selinho de 3 mil visitas conquistadas e tambem nosso selinho de Pascoa
    No amor de Cristo
    ibca

    ResponderExcluir
  49. Amiga SUELI

    É uma pena, por que você não deu continuidade ao seu romance???

    Fique a vontade não somente para filosofar ou teologizar, mas também para poetizar e romantizar. Rsrsrsrsrsrs

    Você foi ao “X” da questão, não somente o mal eu diria, mas todo o nosso saber Deus, está condicionado e limitado a grande problemática de como vemos (interpretamos) Deus.

    Gostei muito do seu pequeno, porém profundo e significativo comentário, volte sempre!!!

    Abraços

    ResponderExcluir
  50. IBCA

    Valeu pelo presente, mas não temos por habito aceitar selinhos.

    Quando quiser vir aqui e comentar uma postagem nossa, será um prazer.

    Abraços

    ResponderExcluir
  51. Marcio Alves, gostei da postagem, ainda mais por querer dizer que tiraram os poderes de Deus. Ou que foram prematuros quando julgaram, por 6.000 anos´, que ele os tinha?
    Se ele sofre junto com os infelizes sem poder ajudá-los, porque pedir lhe ajuda? Se ele é um impotente, porque o inventaram? Todos querem dividir a dor, mas o prazer, poucos querem dividir. Uma tábua pôdre pode ser a salvação de um náufrago sem a ajuda de ninguém.Sua teoria é muito pobre e inconsistente. Seu Deus está agonizante e será destruido pelo CERN.He,he,he.

    ResponderExcluir
  52. ALTAMIRANDO MACEDO

    Para mim, a opção mais coerente e racional é sem duvida a deistica, porém, partindo da premissa teológica cristã, o que conforta o meu coração é a im-potencia de um deus que ama e que é sensível ao drama humano.

    Reconheço a fragilidade de meus pressupostos teológicos, ainda mais quando eu reconheço que não partem de convicções, mas antes, são apenas meras intuições do meu coração e mente.

    Valeu mais uma vez por sua participação.

    ResponderExcluir
  53. Amigo Ilmo. Excelentíssimo Doutor e Mestre MARCINHO, rs..

    Na verdade eu sumi da Blogosfera por estes dias, porque a coisa anda crítica este ano, como já disse no Blog da Confraria agora pouco, estou com muitos problemas com alunos de 11 anos, que nem números eles conhecem.....estou trabalhando "alfabetização primária" com eles novamente, começando do zero, para ver se os adequo aos conteúdos deste ano....

    Mas então, a Paulinha que fala pelos cotovelos voltou ...rs

    A respeito da sua postagem, que extingue o Onipotência de Deus, eu diria que esta postagem, lida por uma pessoa que está a fio para pular de um precipício e se matar, ela faria isso, depois de ler esta postagem....rs

    Muito forte esta questão de Deus não ser Onipresente, Onipotente......

    Pois talvez, estaríamos julgando um Deus, que ao certo não sabemos se Ele é tudo isto ou não....
    Nunca ouvimos a VOZ (em tom alto e claro) de Deus falar conosco, nunca olhamos na face de Deus, nunca sentimos a sensação de tocar sobre as vestes deste Deus....
    Como poderíamos julgar um "ser"...se ao certo nunca tivemos experiências com este ser?

    Exemplo: Vejo uma pessoa passando na rua, estou no meu direito sem ao menos ouvir a voz daquela pessoa, dizer que aquela pessoa é muda?!
    Eu nunca ouvi a voz da pessoa....como vou saber se ela conversa ou não?! Tenho que dar a oportunidade dela se aproximar de mim, e assim conhecê-la verdadeiramente.......

    Esta é a questão de Deus, eu e ninguém está no direito de julgar um Deus, pois nunca tivemos "intimidade", ou momento experiente com Deus....

    Nunca entenderemos quais os propósitos de Deus, até onde Ele pode agir, até onde é onipresente e onipotente.......a única coisa que temos que fazer, é dar oportunidades para este Deus agir em nossas vidas, louvando-o sempre, adorando-o sempre.....e melhor que isto, nós temos que ser FIÉIS à sua palavra.....

    Se vamos entender tal coisa ou não, isto não depende de nós, pois o que vamos saber ou não saber a respeito deste Deus, nada mudará....pois ainda existe um Deus, seja Ele todo poderoso ou não, existe um Deus que rege sobre nós, e perante ele ainda somos uma gotinha de água no oceano...porque somos seres mortais........

    Estamos no nosso direito de questionar?! Sim, claramente que sim...afinal somos seres pensantes...

    Mas JULGAR, isto não podemos fazer....não podemos julgar ninguém, para não sermos julgados....e a pior coisa que pode existir, é o julgamento sobre alguém, pois o julgamento nem sempre é justo...

    Não digo que Deus é onipotente ou impotente, pois sinceramente não o conheço a ponto de julgá-lo, e através de hipóteses mundanas não terei argumentos suficientes para defender tal tese...

    Apenas respeito meu Deus....

    Nesta fala sua:
    Deus esta com os que sofrem, sofrendo junto, e nunca sendo o carrasco e causador do mal.

    Se Ele não é o causador do mal...como Ele causou o mal do maremoto, ou mal da morte de seu filho?! Não basta me dizer que Ele é impotente....
    Só preciso compreender este fragmento, que não condiz com o resto da sua fala no texto.....(encontrei uma pequena falha?!) rs

    Mas Deus está com os que sofrem...sofrendo junto....Ele nos assiste, Ele nos ama de forma incondicional....

    E à este Deus, é que dedico a minha vida.....

    Beijos amigo!!

    P.S. Vou sentar-me, que lá vem estoria...hahahahaha....

    ResponderExcluir
  54. Meu amigo Altamirando Macedo, que história é essa de que o CERN (Organização Européia para Pesquisa Nuclear) vai destruir Deus?

    Sou totalmente à favor da ciência, mas você há de convir, depois do fiasco de 2008 com o LHC (Grande colisor de Hádrons, ou acelerador de partículas), você ainda tem esperanças de que seja possível, que este equipamento magnífico realmenye conseguirá operar na sua capacidade total, ou seja, 14 teraelétrons volts?

    Ou você não tem a leve desconfiança de que os cientistas vão acabar sucumbindo ao exaustivo trabalho de ler os dados gerados por esta máquina..e por fim descobrirão que na verdade só pode ter siso mesmo Deus quem criou o “big bang”?

    Talvez você esteja somente sendo sarcástico, e nisso eu até aprovo seu comentário desdenhoso, mas, precisamos entender que: Mesmo que Ele tenha criado todo o universo, Ele não interfere nessa criação, como pensão os crentalhões do mundo.

    Abraços irmão, e quando quiser expôr argumentos científicos, pelo menos, explique do que está falando, pois nem todos por aqui, são íntimos dos avanços que se deram lá na Suíça.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  55. Errata:

    Onde se lê "realmenye...leia-se "realmente!
    Onde lê-se "Pensão"...leia-se "pensam"

    Deve ser o sono!
    rsss

    ResponderExcluir
  56. Caro amigo Edson Moura, você não entendeu minha picardia. No texto, o Marcio Alves deixa claro que o Deus cristão está nú e sem poderes. Enfiei o CERN no contexto para ironizar os cristãos que estão comparando as experiência do LHC a Deus e temem a formação de buracos negros, furacões e terremotos ou outras catástrofes frutos da falta de informações. O LHC não é uma experiência nova, está baseada numa das teorias de Einstein e já é desenvolvida desde a década de 40. Os cientistas não estão querendo provar, ou não, a existência de Deus nem tirar suas virtudes improváveis mas, por outro lado, ela vem contribuindo, desde que a igreja permitiu, com uma melhor qualidade de vida até para os descrentes dela.
    Por mais que o CERN não atenda os anseios dos cristãos, ele já começou a descobrir nuances como o Bóson de Higgs. Eu fico com a ciência, quem quiser que espere por mais 6.000 anos.
    ABRAÇOS.

    ResponderExcluir
  57. PAULINHA

    Finalmente você apareceu, nem que seja aos 45 minutos do segundo tempo. Hehehehe

    Boa sorte com a missão nada fácil de alfabetização primaria com seus respectivos alunos.

    Talvez seja justamente o contrario, a pessoa que esta para pular em um precipício, ao saber que deus não interferirá, terá mais consciência do que uma, que acredita que tudo é determinado por deus, e que deus estará com seus braços abertos para impedir a queda. Rsrsrsrsrs

    Na verdade Paulinha, eu não estou e nunca estarei julgando deus-mesmo, mas antes toda compreensão de deus, por não passar disto, meras e frágeis construções de percepções de deus.

    Não temos mesmo direitos ou se quer a possibilidade de julgar deus, mas podemos e devemos julgar, questionar e até desconstruir as inúmeras percepções e sistematizações de deus feita e crida pelos homens em suas experiências.

    Pois é Paulinha, ai é que esta a grande implicação de seu pensamento sobre deus, se nunca vamos entender ele, como podemos dizer que estamos fazendo sua vontade??

    Novamente eu repito, e acho que você não entendeu a postagem: EU NÃO ESTOU JULGANDO DEUS-MESMO, POIS DEUS-MESMO É INEFAVEL, INCONGNOSCÍVEL E INCOMENSURAVEL, SENDO ENTENDIDO E COMPREENDIDO PELAS INUMERAS PERCEPÇÕES SUBJETIVAS HUMANAS, DAÍ, O MEU QUESTIONAR E JULGAR, SER FEITO EM CIMA DESTA COMPREENSÃO, E NUNCA DE DEUS-MESMO!!!!!!

    É justamente isto a resposta!!!
    Ele não é o causador do mal, então logo se segue que não foi Ele que ocasionou os desastres naturais e nem pode os impedir, por isso que Ele não é culpado por tais acontecimentos.

    Abraços

    ResponderExcluir
  58. Amigo MARCINHO,

    Eu entendi perfeitamente a sua postagem, mas é que todo ponto de vista é vista de um ponto, e no meu ponto de vista, dizer que Deus é impotente por não impedir alguns acontecimentos trágicos, foi um julgamento (de início).
    Mas como já me esclareceu os fatos, não há mais o que discutir e nem qustionar...pois entendi perfeitamente que você não JULGA Deus-mesmo, mas faz questionamentos com base nas percepções subjetivas aqui existentes (resumindo, maremoto, tsunami, etc..etc...acontecimentos trágicos onde não foram impedidos de acontecer, e simplesmente aconteceram matando muitas vidas inocentes)...

    Mas agora sim estou satisfeita com esta fala:

    "Ele não é o causador do mal, então logo se segue que não foi Ele que ocasionou os desastres naturais".

    Excelente!!

    P.S. Segundo Pedro Bial, usar "Caps Look" é falar gritando!! hahahahahahahah.......

    ResponderExcluir
  59. PAULINHA

    Eu costumo usar o "Caps Look", quando quero e preciso às vezes, dar uma ênfase em determinadas frases minhas, nunca passou por minha cabeça estar gritando, nem com você e nem com qualquer outra pessoa, portanto, vou continuar usando, não se deixe influenciar por tudo que diz a televisão.

    Abraços

    ResponderExcluir
  60. Okk MARCITTO...."no problem" amigo!! ...


    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  61. Amigo Macedo, talvez os cientistas nunca encontrem a famigerada "Bóson de Higgs"..talvez ela nem exista. Mas quem sabe essa fagulha de Deus não esteja dentro de cada ser humano.

    Agora sim entendi sua colocação! Abraços e espero que não tenha se ofendido...pois não foi minha intenção.

    ResponderExcluir
  62. Sr. Marcinho descupa por não comentar no seu texto aqui neste Blog, é que está semana fiquei sem Net... e sabe como é dificil essa situação.

    Gostaria de relatar meus sinceros votos de alegria, a sua pessoa, póis tem me dado a oportunidade de crescer mais e mais.

    Sou contra a ingratidão de Gibran ao dizer. "Aprendi silêncio com os falantes, tolerância com os intolerantes e gentileza com os rudes. Ainda, estranho, sou ingrato a esses professores." Na verdade sou grato a todos eles, os professores latem, mais não mordem.

    Abraços amigo Marcio.

    Hubner Braz

    ResponderExcluir
  63. Amigo HUBNER

    Achei legal a sua atitude de vir aqui e, mesmo não sendo obrigado, se explicar o porquê de sua ausência desta sala do pensamento, não somente achei legal, mas importante também, pois já estava imaginando que você tinha desistido de participar nesta sala.

    Saiba Hubner, embora muita coisa eu discorde de você, é justamente por isso que sua presença e comentários aqui são importantíssimos, pois se ninguém contrariar, não tem graça e nem dialogo, por isso eu senti muito mesmo sua ausência.

    Abraços

    ResponderExcluir
  64. Caro Edson Moura, é claro que não me ofendi. Estamos discutindo opiniões e é através deste método que tenho me engrandecido. Obrigado por haver participado e, com certeza, surgirá outra oportunidade.
    O Bóson de Higgs pode ser uma fagulha de Deus, como não fui apresentado, ainda, a nenhum dos dois, continuo indiferente.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  65. Meu caro Marcio
    Há algum tempo percebi que você seguia o meu blog, mas por distração não procurei conhecer mais sobre as suas postagens. Tenho que começar parabenizando, sobretudo pela coragem de dar a cara pra bater quando toca na ferida de muitos princípios atuais trincados nomeados de teologia, coisa que eu evito. Eu confesso ter uma visão simplória desses “mistérios” como a famosa contradição de Deus ser amor e não evitar o sofrimento. Prefiro me dedicar às lições mais simples de Deus e deixar de lado um pouco os questionamentos, mas digo que sempre estarei acompanhando o blog nem que seja apenas para refletir. Geralmente eu escolho pensar que a minha mente é insuficiente para explicar o porquê e a forma de Deus agir. Eu fujo de dar respostas com respaldo da razão, pois acredito que nunca será o bastante pra mim e pra ninguém, mas admiro muito a sua coragem capacidade e sabedoria. Desejo a você força para continuar fazendo diferença no meio de toda hipocrisia. Abraço.

    ResponderExcluir
  66. Prezado amigo CALEBE

    Obrigado por suas significativas palavras.
    Realmente não é fácil escrever indo no contra-fluxo do senso comum evangélico, questionando tudo, abrindo questões dogmatizadas pela ortodoxia, mas minha intenção é simplesmente – como você mesmo pode observar – a reflexão, não podemos nunca parar de pensar, cometer suicídio intelectual não, até porque, se pararmos de pensar, outros pensaram por nós.

    Abraços e volte sempre, será muito bem recebido, mesmo que algum dia venha discordar, pois é justamente onde há discussões que mais aprimoramos o nosso refletir!

    ResponderExcluir
  67. Márcio, Li teu último texto "Complexidão existencial" mas não me achei digno de comentar, rsrs.

    Gostei deste aqui.

    Não quero simplificar ou dar uma resposta de "caixinha".

    Li todos os comentários.

    Não duvido da onisciência, onipotência e onipresença de Deus, apenas não consigo entender porque todos acham que se é onipotente é obrigado a agir usando seus "poderes". Observei que a maioria dos comentários caminhou por esta linha de pensamento para aprovar ou reprovar os "poderes soberanos" de Deus.

    Ora bolas, onde Deus estava quando as pessoas estavam morrendo? Onde ele estava quando crianças submergiam nas águas do Tsunami?
    Onde mais? Na Disney World Celestial, recebendo as crianças e todos os que entraram para a vida, alegres, felizes. Porque a morte foi tragada.

    Porque Deus para provar que me ama teria que me deixar viver meus miseráveis 80 anos sem sofrimento? Fazendo isto Ele não estaria fazendo nada.

    O problema é que todo mundo quer uma "mãozinha" de Deus.

    Nós nos achamos no direito de acioná-lo para nos socorrer como nosso super-herói, mas, as coisas não são assim.

    Lembra do acidente em Angra no início do ano?
    Naquele dia eu me atrevi a escrever algo relacionado à catástrofe e a intervenção ou não de Deus.

    Se tiver um tempinho e quiser ler seu comentário será bem-vindo, rsrs. (http://evaldocristao.blogspot.com/2010/01/tragedia-em-angra-dos-reis.html)

    Abraços.

    Evaldo Wolkers.

    ResponderExcluir
  68. EVALDO WOLKERS

    Você só pode estar brincando quando diz que não se achou digno de comentar o meu último texto, pois já li muitos textos seus, e reconheço que você possui muita profundidade escrituristica.

    Admiro sua coragem de ler todos os comentários desta postagem, apesar que esta até que vai, pois são “apenas” 69 comentários, quero ver você ler todos os comentários das postagens anteriores que ultrapassaram os 100. Rsrsrsrsrsrsrs

    Você por acaso esta querendo dizer que deus consola os que sofrem tirando suas vidas?

    Você não acha que a tese de uma “Disney World Celestial” não é alienante da vida existencial?

    Se nós temos total liberdade dada por deus, e ele não interferi em nossa realidade, então ele não seria soberano no sentido de manipular controlando e determinado tudo que acontece conosco?

    Mas você não acha que o termo onipotencia é uma invenção humana?
    Pois o que seria para você onipotencia divina?
    Deus pode tudo? Então ele pode criar uma pedra que ele mesmo não possa carregar?

    Fico no aguardo daqui o que vai daí. Rsrsrsrsrss

    Abraços

    ResponderExcluir
  69. Márcio, Márcio porque me persegues? (rsrs)

    Sempre fazendo de um comentário um fórum, rsrs.

    Vou tentar responder heim, mas não me venha com mais perguntas, não gosto de transformar comentários em fóruns, gosto de escrever e que cada um conclua o que quiser concluir.
    Afinal de contas explicar tudo detalhadinho é coisa para fariseu, rsrs, que se acha sabichão.
    Como eu sou neófito, não tenho que explicar o inexplicável, pois tal tentativa só aprimoraria minha mediocridade.

    Você por acaso esta querendo dizer que deus consola os que sofrem tirando suas vidas?
    R: Estou dizendo que esta vida (existencialmente falando) não é a melhor coisa para nós (se cremos que existe vida pós-morte).
    Sendo assim, esta vidinha de 80 anos no máximo não é o que Deus tem de melhor para nós (se cremos que existe vida pós-morte).
    Então, porque achar que Deus evitaria desgraças e mortes, se temos a promessa de uma vida extremamente melhor que esta? (se cremos que existe vida pós-morte).
    O que disse seria algo do tipo: "Morreu, legal, vem cá, você é mais um que passou no vestibular", rsrs.

    Você não acha que a tese de uma “Disney World Celestial” não é alienante da vida existencial?
    R: Foi só uma brincadeira, rsrs.

    Se nós temos total liberdade dada por deus, e ele não interferi em nossa realidade, então ele não seria soberano no sentido de manipular controlando e determinado tudo que acontece conosco?
    R: Eu não disse que Ele controla e manipula, pelo contrário, eu neguei isto.

    Mas você não acha que o termo onipotencia é uma invenção humana?
    R: O que não é uma invenção humana? Qual termo não seria?

    Pois o que seria para você onipotencia divina?
    R: Ser e existir por si, independente de outrem, fodasticamente falando, o cara.

    Deus pode tudo? Então ele pode criar uma pedra que ele mesmo não possa carregar?
    R: Pode, e daí? A gente mesmo não cria um monte de merda que não consegue carregar? Os próprios fariseus criaram tanta "pedra" que não conseguiam carregar.
    A religião é uma pedra que o homem criou.


    Obs.: Quando disse que não tinha calibre para comentar teu último post é porque você foi alucinadamente, viajantemente, muito além, rsrs.
    Você bebe Santo Daime ou fuma alguma erva? (rsrs). Ao ler me senti da mesma forma que me sinto ao ouvir "O segundo sol" cantado pela Cássia Eller.

    Abraços


    Evaldo Wolkers.

    ResponderExcluir
  70. EVALDO WOLKERS

    Este é meu dom, provocar debates, fazendo de um blog um verdadeiro forum. Rsrsrsrsrsrs

    Bem, é uma pena mesmo, mas já que você não gosta de discussões, eu vou respeitar, mas que o meu dedo esta coçando para te encher de perguntas, isto tá (rsrsrsrs), até porque cada resposta sua tem implicações inesgotaveis!!!!

    Mas em fim, fazer o que, então tchau......... hahahahahaha

    Obs: Não bebi nada demais, e nem muito menos fumei. rsrsrrsrsrs
    Apenas acordei em um dia inspirado.

    Abraços

    ResponderExcluir
  71. Márcio,

    Estava somente brincando, para te irritar como tenho feito em outros posts.

    Fique à vontade para perguntar e também não se omita em responder.

    Afinal de contas, aprendemos com nossas dúvidas e nossas tentativas de responder dúvidas alheias.

    Manda lá, estou aguardando, rsrs.

    Um grande abraço,

    Evaldo Wolkers

    ResponderExcluir
  72. Olá Márcio,
    A Oração ao Deus Desconhecido
    Antes de prosseguir em meu caminho e lançar o meu olhar para
    frente uma vez mais, elevo, só, minhas mãos a Ti na direção de
    quem eu fujo.
    A Ti, das profundezas de meu coração, tenho dedicado altares
    festivos para que, em Cada momento, Tua voz me pudesse chamar.
    Sobre esses altares estão gravadas em fogo estas palavras:
    "Ao Deus desconhecido”.
    Seu, sou eu, embora até o presente tenha me associado aos
    sacrílegos.
    Seu, sou eu, não obstante os laços que me puxam para o abismo.
    Mesmo querendo fugir, sinto-me forçado a servi-lo.
    Eu quero Te conhecer, desconhecido.
    Tu, que me penetras a alma e, qual turbilhão, invades a minha vida.
    Tu, o incompreensível, mas meu semelhante, quero Te conhecer, quero servir só a Ti. [Friedrich Nietzsche]

    Uma tradução feita por Leonardo Boff de uma oração escrita por
    Nietzsche.

    Penso que seu grito é mais um desafio, é mais uma tentativa de sacudir Deus, talvez não tanto para responder os seus questionamentos, mas para interferir a favor da humanidade afligida por tanta dor. Imagino o quanto você sofre... Não é um elogio, mas acredito que você tem uma grande alma.

    Lembro-me que durante os vinte anos que trabalhei com viciados em álcool, drogas e outros, por vezes seguida sentindo-me impotente diante da extrema dor e pobreza de muitas famílias, eu perguntava a Deus: se é verdade que você deu seu único filho pela humanidade, onde está agora o seu amor? E muitas e muitas vezes chorava desafiando-o, quase irada.

    No entanto, Márcio, posso dizer que eu vi Deus agir em momentos cruciais, e também nas coisas mínimas, como no exemplo: calça as tuas sandálias Pedro... E depois de tantas experiências vividas, eu não posso negar que Ele é real, que Ele é o meu melhor amigo e que Ele sim, está de olho nesta terrinha que Ele criou com tanto amor e carinho.

    Eu gosto de ler você. Abraços.

    ResponderExcluir
  73. olá, mesmo lendo alguns trechos (lembrando que não consegui lê tanta, besteira), não tenho nem o que falar, mesmo pq vcs tem tanto "conhecimento",que não existe palavras para explicar. Só lamento, pq pessoas como vcs tentam justificar-se no erro e viver suas vidas fora na bliblia, se vcs querem sair dos caminhos do Senhor saiam... Mas pare de se justificar.SE viraram ateu,... lamento! A unica coisa que percebi é que vcs tentam justicar pq não conseguiram seguir o caminho de JEsus, foi dificil né? Lamento , lamento muito.... muito mesmo ....

    ResponderExcluir
  74. Caro anônimo

    Primeiramente não precisava se esconder atrás do anonimato, mas antes nos dizer o seu nome, pois aqui, procuramos não a unanimidade das idéias, mas debates que gerem reflexões.

    Portanto, meu caríssimo anônimo não precisava ficar com medo de não escrever seu nome.

    Se é besteira tanto assim o que eu escrevi, porque não tenta então refutar o mesmo???
    Ou você não tem capacidade para tal???

    A bíblia precisa ser contextualizada, caso contrário se tornará anacrônico todos àqueles que querem viver por ela.

    Ninguém por aqui virou ateu meu amigo, apenas não acreditamos mais em um “deus” elitista, muito medíocre que é detido por algum seguimento religioso.

    Qual “caminho de Jesus” que nós desviamos que você se refere?

    Se for o caminho da instituição e religião, com toda certeza estamos muito desviado, mas agora se for o caminho humanitário proposto por Jesus, este sim estamos dentro.

    Abraços e volte sempre, mas dá próxima vez, coloque seu nome, seja homem de verdade! (ou mulher. Rsrsrsr)

    ResponderExcluir
  75. Meu amigo, vocês não entendem o amor de Deus, porque não procuram ao Deus único e verdadeiro, se vocês examinassem as escrituras com a mente aberta, entenderiam que Deus não divide sua glória com ninguém, mas ainda assim, Ele dá liberdade "livre arbítrio" para que você escolha seu próprio caminho, a partir daí Ele não tem mais compromisso com você, pois você escolheu rejeitar a Sua divindade, e seguir seu caminho por sua conta e risco. Deus é amor, mas também é justo e respeita suas escolhas!

    ResponderExcluir

Deixe a sua opinião.

Mesmo que você não concorde com nossos pensamentos, participe comentando esta postagem.
Sinta-se a vontade para concordar ou discordar de nossos argumentos, pois o nosso intuito é levá-lo à reflexão!

Todos os comentários aqui postados serão respondidos!